Martin Citas

Repasamos el pensamiento y las citas célebres de uno de los frailes más críticos con el catolicismo. Xavier Molina. Martín Lutero (su nombre original era Martin Luder, que posteriormente cambió a Martin Luther), fue un teólogo y fraile católico alemán que vivió entre 1483 y 1546. 13-mar-2020 - Explora el tablero de Martha Vega Carrillo 'Citas de martin luther king' en Pinterest. Ver más ideas sobre Citas de martin luther king, Martin luther king, Citas. — George Raymond Richard Martin. Discussing the influence of real-life faiths on his work and its religious systems, [email protected] (August 2011) Contexto: I think worship of death is an interesting basis for religion, because after all death is the one universal. Martin Lutero fue el fundador del luteranismo. Fuente: pixabay.com-Nuestro Señor ha escrito la promesa de la resurrección, no solo en los libros, sino en cada una de las hojas de la primavera.-Ahí donde Dios construyó una iglesia, también el diablo construyó una capilla. Frases de Martin Van Buren Descubre citas e frases interesantes y verificadas · Martin Van Buren fue el octavo presidente de los Estados Unidos y el primero... La guía de estudio de El Gaucho Martfin Fierro contiene una biografía de José Hernández, ensayos literarios, cuestionarios, temas principales, personajes y un resumen y análisis completo. Martin Niemöller - Citas célebres y imágenes con frases de Martin Niemöller para Facebook y Twitter. Martin Engineering develops bulk material handling solutions including belt cleaners, dust management solutions, industrial vibrators worldwide. THE INDUSTRY LEADER. Cintas helps more than one million businesses of all types and sizes get READY™ to open their doors with confidence every day by providing a wide range of products and services that enhance our customers’ image and help keep their facilities and employees clean, safe and looking their best. With products and services including uniforms, floor care, restroom supplies ... Las mejores frases de Martin Luther King sobre el amor, educación, tolerancia, libertad, justicia, la no violencia, y mucho más. Luther King fue un pastor estadounidense y activista que lideró el Movimiento por los derechos civiles para los afroamericanos.

La comunidad bitcoin de Hong Kong lanza campaña de concientización sobre el criptoactivo

2020.09.15 17:07 Morocotacoin La comunidad bitcoin de Hong Kong lanza campaña de concientización sobre el criptoactivo

La comunidad bitcoin de Hong Kong lanza campaña de concientización sobre el criptoactivo


La comunidad de bitcoiners de Hong Kong lanzó una campaña educativa de concientización sobre el criptoactivo, coordinada por la Asociación Bitcoin de esta región, una organización con más de 5.000 miembros.
«Bitcoin Tram» es el nombre de la campaña financiada por donaciones de la propia comunidad y estará vigente del 11 de septiembre al 8 de octubre en tres tranvías y vallas publicitarias ubicadas en Hong Kong.
Entre los lugares escojidos destacan la parte externa de las oficinas centrales del Bank of China HK, HSBC y Standard Chartered HK, según señaló News bitcoin.
Las tres tranvías bitcoin de dos pisos cruzarán las vías este y oeste en la isla de Hong Kong, cada una con el logo de bitcoin.
Las vallas publicitarias a las afueras de Chater Garden se exhibirán del 11 al 24 de septiembre, y las vallas publicitarias en la isla de Hong Kong del 11 de septiembre al 1 de octubre.

Los méritos del bitcoin

La Asociación Bitcoin de Hong Kong utilizará las donaciones de la comunidad para comprar espacios publicitarios que cuentan con declaraciones informativas que destacan «los riesgos y los méritos del bitcoin».
El cofundador de la Asociación Bitcoin de Hong Kong, Leo Weese, explicó que «el objetivo es principalmente iniciar una conversación sobre los méritos de bitcoin, especialmente en el contexto de los desafíos económicos en curso».
«Creo que la belleza de esto es que no es un anuncio de la empresa, sino que se centra exclusivamente en el bitcoin en sí mismo, como una tecnología disruptiva (#GlobalInternetMoney), una cobertura contra la inflación (#DigitalGold) y como un medio para la inclusión financiera (# BeYourOwnBank)» agregó Weese.
La campaña incluye cinco mensajes diferentes que resaltan algún aspecto de por qué bitcoin es un importante agente de cambio.
En los mensajes se incluyen citas del pionero de Internet Stewart Brand y del comisionado de la FCC TAM Craven , además de frases que hablan sobre las fortalezas de bitcoin.
En la parte inferior de cada panel se incluye el mensaje: «Descargo de responsabilidad: su bitcoin es su responsabilidad. No habrá rescates ni flexibilización cuantitativa. Las transacciones de bitcoin son irreversibles. No apto para blanqueo de capitales».
Weese informó que la idea no es impulsar una inversión, sino promover y fomentar bitcoin y su tecnología en Hong Kong.
«Los anuncios se armaron en solo dos semanas desde el inicio, la recaudación de fondos, el diseño y la implementación», dijó el cofundador de la Asociación Bitcoin de Hong Kong.
Por su parte el cofundador de CMCC Global Martin Baumann, expresó: «Amo esta iniciativa, quizás la campaña de bitcoins más grande hasta la fecha, a nivel mundial».
«El distrito financiero de Hong Kong está completamente cubierto de bitcoin hoy con paneles a lo largo de todas las paradas de autobús y tranvías de bitcoin que circulan por el distrito financiero de Hong Kong».
submitted by Morocotacoin to u/Morocotacoin [link] [comments]


2020.09.15 17:07 Morocotacoin La comunidad bitcoin de Hong Kong lanza campaña de concientización sobre el criptoactivo

La comunidad bitcoin de Hong Kong lanza campaña de concientización sobre el criptoactivo


La comunidad de bitcoiners de Hong Kong lanzó una campaña educativa de concientización sobre el criptoactivo, coordinada por la Asociación Bitcoin de esta región, una organización con más de 5.000 miembros.
«Bitcoin Tram» es el nombre de la campaña financiada por donaciones de la propia comunidad y estará vigente del 11 de septiembre al 8 de octubre en tres tranvías y vallas publicitarias ubicadas en Hong Kong.
Entre los lugares escojidos destacan la parte externa de las oficinas centrales del Bank of China HK, HSBC y Standard Chartered HK, según señaló News bitcoin.
Las tres tranvías bitcoin de dos pisos cruzarán las vías este y oeste en la isla de Hong Kong, cada una con el logo de bitcoin.
Las vallas publicitarias a las afueras de Chater Garden se exhibirán del 11 al 24 de septiembre, y las vallas publicitarias en la isla de Hong Kong del 11 de septiembre al 1 de octubre.

Los méritos del bitcoin

La Asociación Bitcoin de Hong Kong utilizará las donaciones de la comunidad para comprar espacios publicitarios que cuentan con declaraciones informativas que destacan «los riesgos y los méritos del bitcoin».
El cofundador de la Asociación Bitcoin de Hong Kong, Leo Weese, explicó que «el objetivo es principalmente iniciar una conversación sobre los méritos de bitcoin, especialmente en el contexto de los desafíos económicos en curso».
«Creo que la belleza de esto es que no es un anuncio de la empresa, sino que se centra exclusivamente en el bitcoin en sí mismo, como una tecnología disruptiva (#GlobalInternetMoney), una cobertura contra la inflación (#DigitalGold) y como un medio para la inclusión financiera (# BeYourOwnBank)» agregó Weese.
La campaña incluye cinco mensajes diferentes que resaltan algún aspecto de por qué bitcoin es un importante agente de cambio.
En los mensajes se incluyen citas del pionero de Internet Stewart Brand y del comisionado de la FCC TAM Craven , además de frases que hablan sobre las fortalezas de bitcoin.
En la parte inferior de cada panel se incluye el mensaje: «Descargo de responsabilidad: su bitcoin es su responsabilidad. No habrá rescates ni flexibilización cuantitativa. Las transacciones de bitcoin son irreversibles. No apto para blanqueo de capitales».
Weese informó que la idea no es impulsar una inversión, sino promover y fomentar bitcoin y su tecnología en Hong Kong.
«Los anuncios se armaron en solo dos semanas desde el inicio, la recaudación de fondos, el diseño y la implementación», dijó el cofundador de la Asociación Bitcoin de Hong Kong.
Por su parte el cofundador de CMCC Global Martin Baumann, expresó: «Amo esta iniciativa, quizás la campaña de bitcoins más grande hasta la fecha, a nivel mundial».
«El distrito financiero de Hong Kong está completamente cubierto de bitcoin hoy con paneles a lo largo de todas las paradas de autobús y tranvías de bitcoin que circulan por el distrito financiero de Hong Kong».
submitted by Morocotacoin to CryptoMexico [link] [comments]


2020.08.23 07:31 altovaliriano GRRM entra com processo para reaver direitos de filmagem de 'O Troca-Peles'

A novela 'O Troca-Peles' é uma obra de terror originalmente publicada em 1988 que, na síntese publicada no portal Gelo & Fogo, conta a história da "investigadora Randi Wade, que busca, depois de muitos anos, resolver o estranho assassinato de seu pai e uma série de outros, onde as vítimas são deixadas sem pele".
Segundo informações do The Hollywood Reporter, George entrou com um processo para reaver os direitos audiovisuais da obra, vendidos à produtora Mike the Pike em 2009 e subsequetemente à Blackstone Manor. As produtoras tinham 5 anos para filmar, mas não realizou o projeto e, no fim do prazo, diante da perspectiva de ver os direitos voltarem à mão de Martin, a Blackstone gravou apenas algumas cenas com elenco e equipe muito pequenos.
Martin alega que a jogada da produtora teve a únicas intenção de privá-lo injustamente de seus direitos. Werthead informa que uma jogada semelhante havia sido feito contra Robert Jordan pelos direitos de filmagem de A Roda do Tempo, o que levou à produtora que não cumpriu sua parte do acordo ter conseguido um acordo extrajudicial que lhes garantiu participação na atual adaptação sendo feita pela Sony/Amazon Prime).
O advogado de Martin ainda afirma que a medida judicial só foi tentada porque a produtora havia ameaçado processar GRRM se ele tentasse usufruir dos direitos, mesmo que agora após o prazo de 5 anos. Diz-se que a produtora alega ter cumprido suas obrigações e agora tem direito perpétuos sobre a adaptação audiovisual da obra.
Werthead opina que o caso Martin vs Blackstone não parece que vai ter o mesmo fim daquele envolvendo A Roda do Tempo, pois, se por um lado GRRM hoje tem poder financeiro para bater de frente com a produtora, por outro as alegações lhe soam como indicando que já há outros interessados nos direitos de 'O Troca-Peles' (Werthead cita a HBO como potencial interessada).
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.08.10 04:47 altovaliriano Stannis Baratheon (Parte 6)

Se Martin gosta de histórias de corações em conflito consigo mesmo, Stannis Baratheon levou um coração em guerra consigo mesmo a seu próprio estandarte.
Muitas contradições são postas à prova para Stannis na sequência da derrota no Água Negra. Mas como a história de Stannis é toda sobre a dicotomia entre homem político e héroi mítico, suas contradições também podem ser reduzidas a duas motivações. Encarar que é um pretendente cujo “orgulho obstinado” se provou inútil ou assumir que é um salvador predestinado cuja derrota serviu a um propósito maior?
De volta a Pedra do Dragão, é natural pensarmos que Stannis gostaria de ouvir umas boas desculpas de Melisandre. Porém, a sacerdotisa sabe muito bem que ficar na defensiva seria uma péssima estratégia. Especialmente quando estava bem claro que o rei havia apenas dispensado porque Bryce Caron havia pertubado sua vaidade. Então, quando Davos estava ausente e os Florents dominavam o cenário de Pedra do Dragão, Melisandre aproveitou para dizer “eu te avisei” sem oposições.
[…] Se eu estivesse com vocês, sua batalha teria tido um final diferente. Mas Sua Graça estava rodeado de descrentes, e seu orgulho mostrou-se mais forte do que sua fé. A punição foi severa, mas aprendeu como erro.
(ASOS, Davos III)
Estivesse Davos por perto facilmente ele poderia apontar os custos em vidas humanas que a suposta lição tomou, inclusive de seus próprios filhos. Porém, a determinação que diversos dias no Rochedo do Rei Bacalhau (que tradução horrível…) construiu minguou conforme o Cavaleiro das Cebolas definhava nas masmorras de Pedra do Dragão.
Quando finalmente o rei e o cavaleiro se encontraram, a urgência de ambos havia passado. Stannis não está dando ouvidos a qualquer tipo de estratégia para tomar o Trono de Ferro a força porque sabe que seria apenas mais uma partida de um jogo que ter certeza que não ganhará.
Sor Axell gostaria de me levar a retomar a guerra – disse o Rei Stannis a Davos. – Os Lannister acham que estou acabado e derrotado, e os senhores meus vassalos abandonaram-me, quase todos. Até Lorde Estermont, pai de minha própria mãe, dobrou o joelho a Joffrey. Os poucos homens leais que me restam vão perdendo o ânimo. Desperdiçam seus dias bebendo e jogando e lambem as feridas como vira-latas enxotados.
(ASOS, Davos IV)
Mas Stannis não quer perder, por isso não age. Muitas opções lhe são apresentadas por seus conselheiros. Sua primeira Mão, Alester Florent propõe que aceite a derrota e Stannis fecha esta porta ao depô-lo e aprisioná-lo.
Que Lorde Stannis retiraria sua pretensão ao Trono de Ferro e se retrataria de tudo o que havia dito a respeito da bastardia de Joffrey, sob a condição de ser aceito de volta à paz do rei e confirmado como Senhor de Pedra do Dragão e Ponta Tempestade. Jurei fazer o mesmo, em troca da devolução da Fortaleza de Águas Claras e de todas as nossas terras. Pensei... Lorde Tywin compreenderia o bom senso de minha proposta. Ele ainda precisa lidar com os Stark e também com os homens de ferro. […] E Stannis deu-me seu selo, deu-me licença para governar. A Mão fala coma voz do rei.
Nisso, não. – Davos não era cortesão, e sequer tentou amaciar as palavras. – A rendição não existe em Stannis, enquanto souber que suas razões são justas. Da mesma forma que não pode desdizer as palavras contra Joffrey, quando as crê verdadeiras.
(ASOS, Davos III)
Seu candidato a segunda Mão, Axell Florent, pede que Stannis parta para a guerra, pois uma vitória curaria as feridas de uma derrota. Ele construiu um plano de ataque a Ilha da Garra com Salladhor Saan que teria o triplo benefício de ter alta chance de êxito, atingiria um traidor e permitiria a pilhagem de uma grande fortuna.
Enquanto eu entendo que Saan tinha a intenção de ganhar dinheiro com este plano, vejo em Sor Axell uma obsessão com punir traidores, muito parecida com a sanha justiceira que muitas pessoas veem em Stannis. O cavaleiro Florent parece ter menos empatia do que Stannis Baratheon, mas ainda assim é um simulacro do comportamento do rei.
Talvez por isso que Baratheon dava ouvidos ao plano de Axell. E talvez por isso Melisandre pede a Stannis que ouça Davos (“foi Melisandre quem me disse para mandar buscar você quando Sor Axell quis entregá-lo a R’hllor” – ASOS, Davos IV). Se Axell era uma projeção do rei, Melisandre mandou buscar Davos para salvar Stannis dele mesmo.
E é exatamente o que Davos faz. Quando Stannis pede ao cavaleiro das cebolas que opine sobre o plano de atacar a Ilha da Garra, Davos se expressa com brutal honestidade, a despeito da ameaça da Axell. E então vemos o quão Stannis e Axell são espelho um do outro:
[Sor Axell] – Nem todos os homens de Celtigar foram mortos na Água Negra. Centenas foram capturados como seu senhor e dobraram o joelho quando ele o fez.
Quando ele o fez – repetiu Davos. – Eram seus homens. Estavam juramentados a ele. Que alternativa foi dada a eles?
Todo homem tem alternativas. Podiam ter se recusado. Alguns se recusaram e morreram por isso. Mas morreram honestos e leais.
Alguns homens são mais fortes do que outros. – Era uma resposta fraca, e Davos sabia disso. Stannis Baratheon era um homem com determinação de ferro, que nem compreendia nem perdoava a fraqueza nos outros. Estou perdendo, pensou, desesperando-se.
É dever de todos os homens permanecerem leais ao seu legítimo rei, mesmo se o senhor que servem se revela falso – declarou Stannis num tom que não admitia discussões.
(ASOS, Davos IV)
Percebam que Stannis não está agora discutindo a lealdade de Lorde Celtigar, mas a de seus subalternos. É comum que homens que nasceram dentro dos privilégios da nobreza imaginem que os homens são livres para escolher onde depositar sua aliança. Este tipo de pensamento ignora que a independência do vassalo no contexto feudal é sinônimo de rebelião. Assim, cabe a Davos, então, puxar o tapete de Stannis.
Um desvario desesperado dominou Davos, uma temeridade próxima da loucura.
Tal como o senhor permaneceu leal ao Rei Aerys quando seu irmão convocou os vassalos? – deixou escapar.
(ASOS, Davos IV)
A forma como Davos expõe a hipocrisia do rei é brilhante. Entretanto, não é menos magnífica a reação de Stannis à crítica. Afinal, quando Eddard expõs a covardia do plano para assassinar Daenerys, Robert removeu o amigo do cargo, furioso. Stannis, ao contrário, faz Davos sua nova Mão, pedindo explicitamente apenas “aquilo que sempre me deu. Honestidade. Lealdade. Serviço.
O filho do meio de Steffon Baratheon vive querendo se distanciar da sombra de seu irmão mais velho. Entretanto, quando o assunto é a capacidade de fazer e manter aliados, este abismo é tratado como uma espécie de deficiência, mesmo para o próprio Stannis.
A voz do rei estava carregada de fúria. – Meu irmão tinha um dom para inspirar lealdade. Até nos adversários. Em Solarestival ganhou três batalhas num só dia, e trouxe Lorde Grandison e Lorde Cafferen para Ponta Tempestade como prisioneiros. […] Eu teria atirado Grandison e Cafferen numa masmorra, mas ele transformou-os em amigos. […]. Meu irmão fez com que o amassem, mas, ao que parece, eu só inspiro traição. Até no meu próprio sangue e família. Irmão, avô, primos, tio da esposa…
(ASOS, Davos IV)
E, de fato, logo antes da fazer Davos sua nova Mão, Stannis novamente recitando uma ode à falta de misericórdia que ele chama de “justiça”.
Um rei – concordou Davos. – Um rei significa a paz.
Eu trarei justiça a Westeros. Algo que Sor Axell compreende tão mal quanto compreende a guerra. A Ilha da Garra não me traria nada... e seria uma coisa maligna, como você disse. Celtigar tem de pagar o preço da traição pessoalmente. E quando eu subir ao trono, pagará. Cada homem colherá o que semeou, do mais alto dos senhores ao mais baixo rato de sarjeta. E alguns perderão mais do que as pontas dos dedos, garanto. Fizeram o meu reino sangrar, e não me esqueço disso.
(ASOS, Davos IV)
Entretanto, esse discurso cai logo no capítulo seguinte. Diante da perspectiva de os nortenhos e os homens de ferro terem perdido os reis por meio dos quais executaram rebeliões contra os Lannisters, o Rei do Coração Flamejante, tal qual havia feito com os Senhores da Tempestade, prontamente pensa em oferecer indultos totais para quem se bandeie para sua causa.
O lobo não deixa herdeiros, a lula gigante deixa muitos. Os leões vão devorá-los, a menos que... Saan, vou precisar de seus navios mais rápidos para levar enviados às Ilhas de Ferro e a Porto Branco. Oferecerei indultos. – O modo como cerrou os dentes mostrou o pouco que gostava da palavra. – Indultos totais, para todos aqueles que se arrependerem da traição e jurarem lealdade ao seu legítimo rei. Têm de compreender...
Não compreenderão. – A voz de Melisandre era suave. – Lamento, Vossa Graça. […] Vi nas chamas.
(ASOS, Davos V)
Esta é mais uma demonstração de como Stannis está completamente distante da figura que Varys e Mindinho pintavam dele em A Guerra dos Trono. Além de evidenciar que a visão que Donal Noye tem de Stannis (“Stannis é de ferro puro, negro, duro e forte, é verdade, mas quebradiço, como acontece com o ferro. Quebrará antes de dobrar” – ACOK, Jon I) é de alguma forma equivocada. Na cabeça do ferreiro, o rei ainda é aquele rapaz de 20 anos de idade que ele viu guardando Ponta Tempestade para o irmão. Noye não esteve com Stannis nos últimos 16 anos para verificar que tipo de homem Stannis se tornou.
Na verdade, quando o ferreiro da Patrulha elogia Robert Baratheon, estamos literalmente testemunhando Noye fazendo apologia cuja inabilidade para governar é notória. Portanto, podemos perguntar: Donal Noye tem cacife para fazer a avaliação que fez?
Por fim, uma vez resolvido que o rei não irá seguir a via de Alester (rendição) nem a sugestão de Axell e Salladhor (pilhagem e punição dos traidores), resta apenas a via de Melisandre. Contra esta, todos os argumentos de Davos são inúteis, pois Stannis não consegue culpar Melisandre pelo que ocorreu na Batalha do Agua Negre tanto quanto Davos não consegue culpar Stannis. Davos deve o que tem a Stannis, assim como Stannis deve o que teve a Melisandre.
Segundo A Mais Precisa Linha do Tempo, passaram-se aproximadamente 35 dias entre a Batalha e a chegada de Davos a Pedra do Dragão. Não sabemos o que ocorreu neste ínterim, mas podemos imaginar que Melisandre passou a costurar novas narrativas para manter Stannis crendo em seu poder.
Sabemos que Stannis estava confinado com Melisandre, sem comer, e havia rumores que eles desciam até o coração do Monte Dragão para observar as chamas a partir dos poços do vulcão (ASOS, Davos II). Em A Fúria dos Reis, a história de que Stannis seria a reencarnação de Azor Ahai não servia a outro propósito senão para justificar a presença de sacerdotisa ao lado do rei. Em A Tormenta de Espadas, porém, somos apresentados ao fato de que este herói mítico das histórias do Mar de Jade estava destinado a “acordar dragões da pedra”.
Pela primeira vez Melisandre cita a figura do Grande Outro e de modo específico sobre a grande guerra contra a escuridão que está por vir. Entretanto, de forma inédita Melisandre une o arco de Azor Ahai com a necessidade de conquista política de Westeros:
A areia corre agora mais depressa pela ampulheta, e o tempo do homem sobre a terra está quase no fim. Temos de agir com ousadia, senão toda a esperança estará perdida. Westeros tem de se unir sob seu único rei verdadeiro, o príncipe que foi prometido, Senhor de Pedra do Dragão e escolhido de R’hllor.
(ASOS, Davos IV)
Portanto, aparentemente Melisandre vem alimentando Stannis com esta narrativa. Ela sabe que Cressen olhava para Stannis como um ser humano comum, enquanto Davos o vê como um rei (ASOS, Davos III). Porém, mesmo dentro da idolatria de Davos, não há espaço para a faceta mística que Melisandre atribui a Baratheon. Com isso, GRRM nos mostra claramente que há um cabo-de-guerra entre a scardotisa e o cavaleiro, cada um nutrindo no rei uma faceta diferente.
-------------------------------------------
Falarei mais na próxima parte.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.07.11 14:03 MacCohen La magia popolare e l'origine del mormonismo

I “money-diggers”
In “History of the Church” Joseph Smith menziona di essere stato un cercatore di tesori solo un paio di volte e sembra vergognarsene a posteriori per il modo in cui taglia corto la discussione e cerca di dissociarsene.
“Nell’anno 1823 la famiglia di mio padre subì un grande dolore per la morte di mio fratello maggiore Alvin. Nel mese di ottobre del 1825 fui assunto da un anziano signore di nome Josiah Stoal, che viveva nella Contea di Chenango, Stato di New York. Egli aveva sentito dire di una miniera d’argento che era stata aperta dagli Spagnoli ad Harmony, Contea di Susquehanna, Stato della Pennsylvania, e prima di assumermi presso di lui aveva scavato, allo scopo di scoprire, se possibile, la miniera. Dopo che andai ad abitare con lui egli mi prese, col resto dei suoi operai, per scavare alla ricerca della miniera d’argento, cosa alla quale continuai a lavorare per circa un mese, senza successo per la nostra impresa, e alla fine persuasi l’anziano signore a cessare di scavare per cercarla. Di qui è nata la diceria assai diffusa che io sia stato un cercatore di tesori [money-digger nell’originale]. Durante il tempo in cui fui impiegato in questo modo, fui messo a pensione presso un certo Signor Isaac Hale, di quel luogo; fu là che vidi per la prima volta mia moglie (sua figlia) Emma Hale. Il 18 gennaio 1827 ci sposammo, mentre ero ancora impiegato al servizio del Signor Stoal.” (Joseph Smith – Storia 1:56-57)
In un monologo che prende la forma di un botta e risposta aggiunge laconicamente: "Non era Joseph Smith un cercatore di tesori [money-digger nell’originale]?” Sì, ma non fu mai un lavoro molto profittevole per lui, visto che con esso ricavò solo quattordici dollari al mese. (History of the Church, vol. III, p. 29)
Letti senza contesto, a un italiano sembra di capire che Joseph fosse stato semplicemente pagato da un uomo che cercava tesori per dargli una mano a dissotterrarli; ma i cosiddetti money-diggers o treasure seekers erano una cosa ben diversa nella cultura statunitense dell’epoca e vedremo che la versione di Joseph Smith nasconde molti punti controversi. Negli Stati Uniti era infatti diffusa la credenza popolare che Spagnoli, pirati o gli antichi abitanti dei luoghi avessero nascosto i loro sterminati tesori nelle colline che costellavano il Nordamerica e che attraverso bastoni da rabdomante (chiamati di solito mineral rods) o pietre magiche (chiamate seer stones o, se erano forate, peep stones) alcune persone potessero trovarli (questi individui venivano chiamati per questo peepers o glass lookers), anche se alla fine lo spirito guardiano del tesoro riusciva ad allontanare le ricchezze facendole sprofondare ulteriormente nel terreno, fuori dalla portata dei cercatori di tesori.
Nel 1729 Benjamin Franklin e Joseph Breintnall scrivono all’American Weekly Mercury le 32 “Busy-Body Letters” (dallo pseudonimo con cui le firmavano) e nell’ottava parlano di questo tipo di attività:
“C’è fra di noi un gran numero di onesti artigiani e uomini industriosi che, alimentati da una vana speranza di diventare ricchi in un batter d’occhio, trascurano i loro affari fino quasi a rovinare loro stessi e le famiglie e sopportano volontariamente grandi fatiche nell’infruttuosa ricerca di immaginari tesori nascosti. Vagano di giorno fra boschi e campagne per scoprire i marchi e i segni: a mezzanotte si danno alla speranzosa attività con pale e picconi; pieni di aspettative, lavorano con veemenza tremando allo stesso tempo in ogni giuntura per paura di certi demoni maliziosi che si dice infestino e sorveglino tali posti. Alla fine viene scavato un enorme buco e si buttano fuori magari anche diverse carrettate; ma ahimè, non si trova nessun barile o contenitore di ferro; nessun baule da marinaio zeppo di dobloni spagnoli o pesanti pezzi da otto! Allora giungono alla conclusione che con qualche errore nella procedura, qualche incauta parola pronunciata o, trascurata qualche regola dell’arte, lo spirito guardiano abbia avuto il potere di affondarlo più profondamente nella terra e metterlo fuori dalla loro portata. Eppure, quando un uomo è stregato in questo modo, è così lungi dall’essere scoraggiato da insuccessi che è invece portato a raddoppiare i suoi sforzi e proverà ancora e ancora in cento diversi posti, nella speranza di avere infine un qualche colpo di fortuna che possa immediatamente ricompensarlo a sufficienza per tutte le sue spese in tempo e lavoro.”
Gerard T. Hurley, nel suo saggio “Buried Treasure Tales in America” (Western Folklore, luglio 1951, p. 203), descrive così la versione più esperta di questi uomini:
“Il cercatore di tesori professionista sa molte cose. Realizza, per esempio, che un sonnambulo può condurre a un tesoro, che i tesori sprofondano nella terra quando qualcosa non va, che i tesori sfuggenti [slippery nell’originale] possono essere legati con un filo bianco di seta e salvati, e che vari momenti del giorno e del mese sono di miglior auspicio di altri per la ricerca. Capisce il complicato scopo di bastoni da rabdomante [divining rods nell’originale] e di altri rituali per la localizzazione di siti di tesori. Sa che il modo più sicuro per perdere un tesoro è di parlare mentre si scava e vi può dire che lo scopo di molti spiriti della terra e spettri è di spaventarvi tanto da farvi violare la regola del silenzio. Sa anche che parlare è permesso in un solo caso -quando uno legge dalla Bibbia, l’innario o il sesto e settimo libro di Mosè, un opuscolo di superstizione, magia nera e altri fini. Che il dio e il rito cristiano siano usati per recuperare il tesoro appare logico per via del fatto che l’origine di molti tesori implica spargimento di sangue e crimini, come è spiegato da un pescatore del South Carolina: “Tesoro sepolto da sprezzante, rancoroso e avido assassinio, furto e omicidio.” Una ricchezza di tale origine può essere ben vista come beni del diavolo. Gli spiriti guardiani del tesoro erano anche loro certamente creature maligne. L’area sotto il suolo -dove era solitamente situato il tesoro- è da tempo considerata il dominio del diavolo. Non è perciò sorprendente che le forze del bene venissero invocate in soccorso nel recupero delle ricchezze sepolte. Alcuni cercatori di tesori per la verità ricorrono all’aiuto del diavolo per localizzare tesori. In un caso, quando un pio cristiano aveva provato a scavare per un tesoro trovato con l’aiuto del diavolo, emersero dalla buca demoni e uccelli dai grandi occhi per schernire tutti i bravi uomini. Nella maggior parte dei racconti, tuttavia, l’evocazione è fatta nel nome del dio cristiano e le precauzioni che si prendono possono essere collegate senza gran difficoltà a riti e credenze cristiani. Oltre a leggere le scritture e l’innario e usare un libro attribuito a Mosè, il più grande di tutti gli evocatori, colui che sorveglia lo spirito osserva altre pratiche. Non andrà a caccia di tesori con nessuno che abbia versato sangue. Può contenersi sessualmente per quattro giorni prima di partire alla ricerca. Ripulisce le tasche dal tabacco.”
Queste stesse credenze di tesori che vengono sepolti e poi scivolano via quando si cerca di recuperarli appaiono anche nel Libro di Mormon, dicendoci qualcosa sulla cultura del suo autore:
“Ed ecco, una maledizione colpirà il paese, dice il Signore degli Eserciti, per colpa del popolo che vi vive, sì, a causa della loro malvagità e delle loro abominazioni. E avverrà, dice il Signore degli Eserciti, sì, il nostro grande e vero Dio, che chiunque nasconderà dei tesori nella terra non li ritroverà più, a causa della grande maledizione del paese, salvo che sia un uomo giusto e lo nasconda per il Signore. Poiché io voglio, dice il Signore, ch’essi nascondano i loro tesori per me; e maledetti sian quelli che non nascondono i loro tesori per me; poiché nessuno nasconde il suo tesoro per me salvo i giusti, e colui che non nasconde il suo tesoro per me è maledetto, e anche il tesoro, e nessuno potrà recuperarlo, a causa della maledizione del paese. […] Oh, se mi fossi pentito e non avessi ucciso i profeti e non li avessi lapidati e scacciati. Sì, in quel giorno direte: Oh, se ci fossimo ricordati del Signore nostro Dio nel giorno in cui ci dette le nostre ricchezze, allora non sarebbero divenute fugaci e non le avremmo perdute; poiché, ecco, le nostre ricchezze se ne sono andate. Ecco, lasciamo qui un attrezzo e l’indomani è sparito; ed ecco, le nostre spade ci sono tolte il giorno in cui le cerchiamo per combattere. Sì, abbiamo nascosto i nostri tesori e ci sono scivolati via a causa della maledizione sul paese. Oh, se ci fossimo pentiti nel giorno in cui ci giunse la parola del Signore; poiché ecco, il paese è maledetto ed ogni cosa è divenuta viscida [slippery nell’originale] e non possiamo trattenerla.” (Helaman 13:17-19, 33-36, profezia di Samuele il Lamanita)
“E quei ladroni di Gadianton che erano fra i Lamaniti infestavano il paese, tanto che i suoi abitanti cominciarono a nascondere i loro tesori sotto terra; ed essi diventarono imprendibili perché il Signore aveva maledetto il paese, cosicché non poterono più custodirli, né ricuperarli. E avvenne che c’erano sortilegi, e stregonerie e magie; e il potere del maligno veniva esercitato su tutta la faccia del paese, fino all’adempimento di tutte le parole di Abinadi ed anche di Samuele il Lamanita.” (Mormon 1:18-19)
Anche gli Smith credevano a queste superstizioni e le praticavano assiduamente, tanto che la matriarca Lucy Mack Smith scrive nella biografia del figlio, per prevenire le accuse di indolenza rivolte spesso ai cercatori di tesori: “Ora cambierò il soggetto per il momento. Ma il mio lettore non immagini, dato che seguirò un altro tema per un po’, che cessammo il nostro lavoro e andammo a provare a ottenere la facoltà di abrac, tracciare cerchi magici o divinare a scapito di ogni attività. Non abbiamo mai permesso durante le nostre vite che un interesse importante inghiottisse ogni altra obbligazione. Ma, mentre lavoravamo con le nostre mani, ci sforzammo di ricordare la cura e il benessere delle nostre anime.” (Lucy Mack Smith, History, 1844-1845, libro 3, p. 10)
Abner Cole, che pubblicava il suo quotidiano a Palmyra, fa diversi riferimenti agli Smith e nel numero del Reflector del 1° febbraio 1831 dice, parlando dei cercatori di tesori della zona:
“Non è inopportuno a questo punto menzionare che la mania di cercar tesori iniziò a diffondersi rapidamente in molte parti di questo paese; uomini e donne senza distinzione di età o sesso divennero meravigliosamente dotti nelle scienze occulte, molti sognavano e altri ebbero visioni che rivelavano loro tesori ricchi e luccicanti nelle profondità della terra e, per facilitare queste vaste operazioni minerarie (il denaro si cercava di solito, se non sempre, nelle tenebre della notte), furono inventate varie tecniche e strumenti e, sebbene lo spirito fosse sempre in grado di trattenere il suo prezioso carico, questi esseri sconvolti e illusi tornavano al lavoro la notte successiva senza dubitare lontanamente che il successo avrebbe infine seguito le loro fatiche.
Bastoni da rabdomante [mineral rods nell’originale] e sfere (com’erano chiamati dagli impostori che ne facevano uso) erano considerati guide infallibili per la fonte delle ricchezze. Pietre divinatorie [peep stones nell’originale] o ciottoli, presi indistintamente da un torrente o un campo, venivano messi in un cappello o un altro posto separato dalla luce; maghi o streghe (poiché queste esibizioni non erano limitate a un solo sesso) vi aderivano gli occhi e, quasi scuotendo via i loro bulbi oculari dalle orbite, dichiaravano di vedere tutte le meraviglie della natura inclusi ovviamente grandi depositi di argento e oro.”
L’umorista Seba Smith, nel suo racconto del 1840 “The Money Diggers: A Down East Story”, spiega il funzionamento di queste mineral rods:
“Ma che cos’è un bastone da rabdomante?” disse Bill. “Ma come, non lo sai? È un ramo verde biforcuto di amamelide, tagliato lungo un piede e mezzo o due piedi. E coloro che hanno il potere di adoperarlo impugnano le estremità del ramo in ciascuna mano e tengono l’altra estremità dove i rami si uniscono puntata verso il cielo. E quando sono vicini a dove ci sono minerali, oro o argento sepolti nel suolo, il bastone si piega in quella direzione; e quando arrivano sul punto esatto, il bastone si piegherà all’ingiù puntando verso il suolo.”
Il 20 marzo 1826 Joseph finirà nei guai quando dei parenti di Josiah Stoal (scritto anche Stowel e Stowell in altri documenti) lo denunciano per essere “una persona molesta e un impostore”. Già nel 1783 una legge di New York aveva definito persone moleste "tutti coloro che sostengono di avere abilità in fisiognomia, chiromanzia o simili scienze capziose o che sostengono di poter predire il futuro o scoprire dove possono essere nascosti beni perduti.” (“Laws of the State of New-York”, vol. I, p. 123)
Gli appunti del giudice Albert Neely (Fraser’s Magazine, febbraio 1873, vol. VII, p. 229-230) contengono una dichiarazione interessante di Joseph Smith (definito glass looker nella nota spese del processo) su una sua certa pietra data durante il processo:
“Il prigioniero è interrogato: dice che viene dalla cittadina di Palmyra e che era stato in casa di Josiah Stowel a Bainbridge per la maggior parte di quel tempo; era stato impiegato per poco tempo nella ricerca di miniere ma era stato impiegato da detto Stowel per lo più alla sua fattoria e ad andare a scuola. Che aveva una certa pietra che aveva scrutato occasionalmente per determinare dove ci fossero dei tesori nascosti nelle viscere della terra; che afferma di dire in tal modo dove ci fossero delle miniere d’oro a una certa profondità sottoterra e che aveva scrutato diverse volte per il signor Stowel e lo aveva informato su dove avrebbe potuto trovare questi tesori e che il signor Stowel era stato occupato a scavare per trovarli. Che a Palmyra rivendicava di poter dire guardando la sua pietra dove fossero sepolte in Pennsylvania monete coniate e che, mentre era a Palmyra, aveva stabilito frequentemente in quel modo dove fossero situati beni perduti di vario genere; che per tre anni aveva avuto occasionalmente l’abitudine di guardare attraverso questa pietra per trovare beni perduti, ma che ultimamente aveva praticamente lasciato perdere in quanto danneggiava la sua salute, specialmente i suoi occhi, facendoglieli dolere; che non sollecitava affari di questo tipo e che aveva invece sempre rifiutato di avere qualcosa a che fare con queste attività.”
Abbiamo anche la testimonianza di un collega:
“Jonathan Thompson dice che al prigioniero fu richiesto di cercare un baule di soldi; guardò e sostenne di sapere dove fosse e che il prigioniero, Thompson e dei lavoratori andarono alla sua ricerca; che Smith arrivò sul luogo per primo; era notte; che Smith guardò nel cappello mentre era lì e, quando fu molto buio, disse com’era disposto il forziere. Dopo aver scavato per diversi piedi colpirono qualcosa che fece un rumore simile ad una tavola o a un’asse. Il prigioniero non guardò di nuovo, sostenendo che era preoccupato in merito alle circostanze in cui era stato sepolto il baule e di cui si era appena ricordato. Che l’ultima volta che aveva guardato aveva visto distintamente i due Indiani che avevano sepolto lo scrigno, che fra i due era seguito un litigio e che uno di questi Indiani era stato ucciso dall’altro e gettato nella fossa di fianco al forziere per fargli, immaginava, la guardia. Thompson dice che crede nelle abilità professate dal prigioniero; che l’asse che aveva colpito con la sua pala era probabilmente il forziere ma che a causa di un incantesimo il cofano continuava ad allontanarsi da sotto di loro mentre scavavano; che ciononostante persistettero continuamente a rimuovere terreno mentre tuttavia il forziere si manteneva pressappoco equidistante da loro.”
Martin Harris conferma questi eventi in un’intervista del 1859 allo spiritualista Joel Tiffany: “In quel vicinato c’era una compagnia che scavava per trovare denaro che era stato nascosto presumibilmente dagli antichi. In questa compagnia c’erano l’anziano signor Stowel -credo che il suo nome fosse Josiah- e anche l’anziano signor Beman, poi Samuel Lawrence, George Proper, Joseph Smith figlio, suo padre e suo fratello Hiram. Scavavano alla ricerca di denaro a Palmyra, Manchester e anche in Pennsylvania e altri luoghi. Quando Joseph trovò questa pietra, c’era una compagnia che scavava a Harmony, in Pennsylvania, e avevano ingaggiato Joseph per guardare nella pietra per loro; e così fece per un po’, ma poi disse loro che l’incantesimo era così forte che non poteva vedere e rinunciarono.” Harris spiega anche nel paragrafo precedente, in cui parla delle tavole d’oro, che “queste tavole vennero trovate nel punto settentrionale di una collina due miglia a nord del villaggio di Manchester. Joseph aveva una pietra che era stata estratta dal pozzo di Mason Chase a 24 piedi sotto la superficie. In questa pietra poteva vedere molte cose, è mia conoscenza certa. Fu attraverso questa pietra che scoprì per la prima volta quelle tavole.”
Gli affidavit di Hurlbut
Dopo essere stato scomunicato nel 1833, Doctor Philastus Hurlbut decide di andare a Palmyra e Manchester per raccogliere degli affidavit (dichiarazioni giurate davanti a un giudice o notaio alla presenza di testimoni) di vicini, compaesani e conoscenti degli Smith, che mettono in luce le loro attività di cercatori di tesori. Di seguito ne sono citati alcuni, che spesso e volentieri erano anch’essi cercatori di tesori ma tenevano a che non si sapesse visto che criticavano gli Smith per fare lo stesso.
Willard Chase era un altro cercatore di tesori e per salvare la faccia nasconde che anche sua sorella Sally era molto famosa per usare una pietra divinatoria verde. Racconta che nel 1822 aveva assunto Joseph Smith e il fratello Alvin per scavare un pozzo (per suo fratello Mason) e che trovò una pietra dall’aspetto particolare, quella che poi userà per cercare i tesori e dettare il Libro di Mormon.
“Joseph la mise nel suo cappello e poi mise la sua faccia nell’apertura del cappello. Smith ha detto che aveva tirato fuori lui la pietra dal pozzo, ma questo è falso: c’ero soltanto io in quel pozzo. La mattina seguente venne da me desiderando ottenere la pietra, dicendo che poteva vederci dentro; gli dissi che non volevo separarmene perché era particolare, ma che potevo prestargliela. Dopo aver ottenuto la pietra cominciò a rendere pubbliche quali meraviglie poteva scoprire guardandoci dentro e creò un tale tumulto fra la parte credulona della comunità che gli ordinai di restituirmela.”
Joseph riuscì comunque a farsi prestare di nuovo la pietra, ma stavolta non gliela restituì. Chase aggiunge poi che nel giugno del 1827 Joseph Smith padre gli aveva raccontato quanto segue sul ritrovamento del Libro di Mormon:
“Alcuni anni fa uno spirito era apparso in una visione a suo figlio Joseph e lo aveva informato che esistevano in un certo posto degli annali su tavole d’oro e che egli era la persona che doveva ottenerli facendolo nel modo seguente: il 22 settembre [n.b. equinozio d’autunno] avrebbe dovuto recarsi nel luogo in cui era deposto questo manoscritto vestito in abiti neri e conducendo un cavallo nero con un frustino, e richiedendo il libro in un certo nome e, dopo averlo ottenuto, avrebbe dovuto andarsene via direttamente senza posarlo a terra né guardando dietro di sé. Pertanto fornirono Joseph di un completo nero e presero in prestito un cavallo nero. Si recò nel luogo di deposito e chiese il libro, che era in una scatola di pietra non sigillata e così vicina alla superficie che poteva vederne un’estremità e, sollevatala, estrasse il libro d’oro. Ma, temendo che qualcuno avrebbe potuto scoprire dove l’avesse preso, lo posò a terra per rimettere a posto il coperchio di pietra così come lo aveva trovato; giratosi, fu sorpreso che non ci fosse nessun libro in vista. Riaprì di nuovo la scatola e ci vide dentro il libro e provò a tirarlo fuori, ma venne ostacolato. Vide nel contenitore una cosa simile a un rospo, che assunse rapidamente le sembianze di un uomo e lo colpì sul lato della testa. Non scoraggiato da una sciocchezza, si piegò di nuovo per cercare di recuperare il libro quando lo spirito lo colpì nuovamente scagliandolo lontano tre o quattro pertiche [una pertica misurava circa 5 metri] e facendogli molto male. Dopo essersi ripreso dallo spavento, chiese perché non potesse recuperare le tavole, al che lo spirito rispose perché non aveva seguito i suoi ordini. Chiese poi come avrebbe potuto averle e gli fu risposto così: vieni fra un anno da oggi, porta con te il tuo fratello maggiore e le avrai.”
Alvin però morì due mesi dopo e, al secondo incontro, lo spirito gli disse di tornare l’anno successivo con un certo uomo, che avrebbe riconosciuto dopo averlo visto. Joseph decise che costui era Samuel T. Lawrence, suo compagno nella caccia a tesori nascosti, e lo portò sulla collina di Cumora. Lì “Gli mostrò dove fosse il tesoro. Lawrence gli chiese se avesse trovato qualcosa assieme alle tavole d’oro; gli disse di no; gli chiese quindi di guardare nella sua pietra per vedere se non ci fosse nulla con esse. Guardò e disse che non c’era nulla; gli disse di guardare di nuovo e di controllare se non ci fosse un grande paio di occhiali assieme alle tavole; guardò e vide un paio di occhiali, gli stessi con i quali Joseph disse di aver tradotto il Libro di Mormon.”
Joseph poi raccontò a Chase che, accompagnato in carrozza dalla moglie Emma ai piedi della collina, aveva recuperato le tavole e le aveva nascoste in un tronco. Qualche giorno dopo, andando a recuperarle per timore che qualcuno le avesse trovate, aveva steso due uomini che lo avevano aggredito mentre le portava a casa avvolte nella sua giacca. “Fece l’osservazione che non avrebbe ottenuto il libro se non fosse stato per quella pietra (che riconobbe essere di mia proprietà).” Poi “Dato che i suoi vicini erano disgustati dalle sue sciocche storie, decise di tornare in Pennsylvania per evitare quella che lui chiamava persecuzione.” Joseph fa la conoscenza del facoltoso fattore Martin Harris, a cui chiede 50 dollari, e “Nella primavera del 1829 Harris andò in Pennsylvania e, al suo ritorno a Palmyra, riportò che la moglie del profeta avrebbe dato alla luce nel mese di giugno un maschietto che sarebbe stato in grado a due anni di tradurre la Bibbia d’oro. Poi disse che avremmo visto Joseph Smith camminare per le strade di Palmyra con sottobraccio una Bibbia d’oro indossando un pettorale aureo e con una spada d’oro sul fianco. Questo tuttavia si rivelò del tutto falso.”
Peter Ingersoll: “Un giorno stavo arando vicino alla casa di Joseph Smith padre verso mezzogiorno e mi chiese di camminare con lui non lontano da casa sua per vedere se un bastone da rabdomante [mineral rod nell’originale] potesse funzionare nelle mie mani, dicendomi anche che era sicuro che sarebbe stato il caso. Dato che i miei buoi stavano mangiando e che io stesso ero libero, accettai l’invito. Quando arrivammo vicino a dove diceva ci fosse il denaro, tagliò un cespuglietto di amamelide e mi spiegò come tenerlo. Si allontanò poi qualche pertica e mi istruì di dire al bastone “vai verso i soldi”, cosa che feci a voce alta. Mi rimproverò severamente di averlo detto forte, dicendo che doveva essere sussurrato. Era un’attività nuova per me. Mentre il vecchio stava a qualche pertica mettendosi in varie pose, gli dissi che il bastone non funzionava. Sembrò molto sorpreso e disse che gli sembrava di averlo visto muoversi nelle mie mani. Era il momento per me di tornare al lavoro. Al mio ritorno raccolsi una piccola pietra lanciandomela noncurante fra una mano e l’altra. Mi disse, sembrando molto serio, cosa pensi di fare con quella pietra? Gli risposi lanciarla agli uccelli. Il vecchio disse no, ha molto valore e quindi gliela diedi. Mi disse se solo sapessi quali ricchezze ci sono dietro casa mia e, indicando un luogo vicino, esclamò laggiù c’è un forziere pieno d’oro e un altro d’argento. Poi mise la pietra che gli avevo dato nel suo cappello, sporgendosi in avanti e piegandosi, facendo varie manovre abbastanza simili a quelle di un’esca per piccioni. Alla fine abbassò il cappello e disse con una voce flebile, del tutto esausto, se sapessi ciò che ho visto, crederesti. […] Poi suo figlio Alvin si diede allo stesso spettacolo, che era ugualmente grottesco.”
Poi cita un altro paio di episodi:
“Un’altra volta Joseph padre mi disse che il miglior momento per cercar tesori era nella calura estiva, quando il caldo faceva risalire i bauli di soldi vicino alla superficie del suolo. Vedi, mi disse, le grosse pietre sul suolo? Le chiamiamo rocce, e ne hanno proprio l’espetto, ma in realtà la maggior parte di esse sono bauli pieni di soldi fatti risalire dal calore del sole. Un’altra volta invece mi disse che gli antichi abitanti di questo paese usavano cammelli invece di cavalli. A prova di ciò disse che in una certa collina nella fattoria del signor Cuyler c’era una grotta contenente un’immensa quantità di oro e argento, panoplie e anche una sella per cammelli appesa a un piolo in un fianco della caverna. Gli chiesi di che tipo di legno fosse il piolo. Non sapeva dirlo, ma disse che era simile a pietra o ferro.”
William Stafford (anche lui proprietario di una pietra divinatoria e cerca di minimizzare la sua partecipazione alla caccia ai tesori): “Gran parte del loro tempo era dedicato a scavare alla ricerca di denaro, specialmente di notte, quando dicevano che il denaro poteva essere ottenuto più facilmente. Li ho sentiti raccontare favole meravigliose in merito alle scoperte che avevano fatto durante le loro bizzarre attività di cercatori di tesori. Dicevano per esempio che in un certo posto, su una certa collina nella fattoria di un certo uomo erano deposte chiavi, botti e barili di monete d’argento e d’oro, lingotti d’oro, icone auree, pentole di rame piene d’oro e d’argento, candelabri d’oro, spade e così via. Dicevano anche che quasi tutte le colline in questa zona di New York erano state innalzate da mano umana e che dentro di loro c’erano grandi caverne che Joseph figlio poteva vedere mettendo una pietra di aspetto particolare nel suo cappello in modo da escludere completamente la luce. All’epoca sostenevano che potesse vedere ogni cosa dentro e sotto la terra, che poteva vedere nelle suddette caverne grossi lingotti d’oro e tavole d’argento e che poteva anche scoprire gli spiriti nelle cui cure erano i tesori, vestiti con abiti antichi. In alcuni momenti questi tesori potevano essere ottenuti molto facilmente; in altri era difficile ottenerli. La facilità a potervisi avvicinare dipendeva in gran parte dalla fase della luna. Credo che il novilunio e il Venerdì santo fossero considerati i momenti più propizi per ottenere quei tesori. Considero immaginarie queste storie.”
“Una notte venne da me Joseph Smith padre dicendomi che Joseph figlio stava guardando nel suo cristallo e aveva visto a non molte pertiche da casa sua due o tre pentole piene d’oro e argento a qualche piede sotto la superficie del terreno e che solo il vecchio Joseph e io stesso avremmo potuto recuperarle. Acconsentii pertanto ad andare e ci recammo la sera presto al luogo del deposito. Joseph padre tracciò dapprima un cerchio del diametro di dodici o quattordici piedi e disse che quel cerchio conteneva il tesoro. Conficcò poi nel suolo una serie di bastoncini di amamelide intorno a detto cerchio allo scopo di allontanare gli spiriti malvagi. All’interno del cerchio ne tracciò un altro di circa otto o dieci piedi di diametro. Camminò intorno all’estremità di questo cerchio per tre volte sussurrando fra sé qualcosa che non riuscivo a capire. In seguito piantò una verga di ferro al centro dei cerchi e ci venne imposto un totale silenzio, altrimenti avremmo risvegliato lo spirito maligno che aveva la custodia di questi tesori. Dopo aver scavato una fossa profonda circa cinque piedi attorno alla verga, il vecchio chiese il permesso di andarsene con segni e gesti e andò a casa a chiedere al giovane Joseph il motivo del nostro fallimento. Tornò poco dopo e disse che Joseph era rimasto tutto quel tempo in casa guardando nella sua pietra e sorvegliando i movimenti dello spirito maligno, che aveva visto lo spirito risalire fino al cerchio e che non appena aveva visto il cono che avevamo creato attorno alla verga aveva fatto sprofondare il denaro. Andammo quindi in casa e il vecchio disse che avevamo fatto un errore all’inizio dell’opera; non fosse stato per quello, disse, avremmo potuto recuperare il denaro.”
“Il vecchio Joseph e uno dei ragazzi venne da me un giorno e disse che Joseph figlio aveva scoperto dei tesori davvero notevoli e di valore che potevano essere recuperati in un solo modo. Il metodo era il seguente: si doveva portare una pecora nera nel luogo in cui erano nascosti i tesori e, dopo averle tagliato la gola, la si doveva trascinare in cerchio mentre sanguinava. Fatto questo, la collera dello spirito maligno si sarebbe placata: si sarebbe perciò potuto recuperare il tesoro e la mia parte sarebbe stata un quarto. Gli lasciai prendere una pecora grande e grassa per appagare la mia curiosità. In seguito mi informarono che la pecora venne uccisa secondo comandamento ma che, essendoci stato un errore nel processo, non sortì l’effetto desiderato.”
Joseph Capron: “La famiglia Smith aveva moltissima considerazione per Joseph figlio a motivo di qualche potere sovrannaturale che diceva di possedere. Sosteneva che questo potere gli veniva per mezzo di una pietra con caratteristiche peculiari. La pietra veniva messa in un cappello in modo da escludere completamente la luce eccetto quella emanata dalla pietra stessa. Diceva che la luce di questa pietra gli permetteva di vedere ogni cosa che desiderava. Pertanto scopriva fantasmi, spiriti infernali, montagne di oro e argento e molti altri tesori inestimabili deposti nel suolo. Diceva spesso ai suoi vicini delle sue incredibili scoperte e li esortava a imbarcarsi nell’attività di cercatori di tesori. A chiunque avesse seguito i suoi consigli sarebbero toccati lusso e ricchezza. Si riunì presto una banda: alcuni di loro erano spinti da curiosità, altri erano esaltati nelle loro aspettative di guadagno immediato. Racconterò un episodio in modo che un non iniziato sappia come la compagnia scavava alla ricerca di tesori. Il sapiente Joseph scoprì a nordovest di casa mia un baule pieno di orologi d’oro ma, essendo possesso di uno spirito malvagio, ci volevano abilità e uno stratagemma per recuperarli. Pertanto si diede ordine di infilarci intorno un carico di grossi pali nel suolo in forma circolare per molte pertiche. Questo doveva essere fatto direttamente sopra il punto in cui il tesoro era sotterrato. Si mandò un messaggero a Palmyra per recuperare una spada lucidata; dopodiché Samuel F. Lawrence, spada sguainata in mano, marciò intorno per fare la guardia da un qualsiasi assalto che sua maestà satanica avrebbe voluto fare. Nel frattempo il resto della compagnia era alacremente occupato a scavare per trovare gli orologi. Lavorarono, come al solito, fino a essere esausti ma, nonostante il coraggioso difensore Lawrence e il loro bastione di pali, il diavolo l’ebbe vinta e si portò via gli orologi.”
La famiglia di Eldred G. Smith (pronipote di Hyrum Smith nonché ultimo patriarca presiedente), morto nel 2013 alla veneranda età di 106 anni, ha tre fogli di carta con disegnati sopra simboli magici e custoditi in una borsetta in cotone che si appendeva al collo, usati presumibilmente dai suoi antenati durante le ricerche di tesori.
A questo punto è possibile vedere che la storia di Joseph Smith che trova le tavole d'oro con la pietra divinatoria e lo spirito di Moroni che gli impedisce di recuperarle perché non ha seguito le istruzioni rientra nel filone delle favole raccontate dai money diggers. La pietra divinatoria di Joseph, che è un ovale marrone con strisce più scure, sarà protagonista della storia ancora per un po'.
[Prosegue nei commenti]
submitted by MacCohen to Exmormoni [link] [comments]


2020.07.11 04:55 darkssister Jogando jogo dos tronos: Algumas lições de Maquiavel

Vou analisar mais um texto da Parte Um chamada “Quando se joga o jogo dos tronos ganha-se ou morre” de A Guerra dos Tronos e a Filosofia. Esse é o último texto que vou analisar dessa parte.
JOGANDO O JOGO DOS TRONOS: ALGUMAS LIÇÕES DE MAQUIAVEL por Marcus Schulzke
Neste artigo, o autor faz uma análise da política Westerosi a partir dos ensinamentos de Maquiavel. Ele estabelece a definição dos diferentes tipos de governo/governantes segundo Maquiavel, entre o principado hereditário e dos novos governantes, esse que no processo de estabilização de governo recém obtido acumula inimigos e “ensina aos outros como capturar o trono” (p.47). (Interessante termos discutido um pouco sobre isso nos comentários sobre o texto de Greg Litmann) Isso é algo a ser pensado, já que temos tantos pretendentes a tomar o trono e, “é importante imitar a habilidade dos grandes governantes” (p.47). A história no universo de gelo e fogo é cheia de conquistadores, podemos fazer a correlação direta entre Daenerys e Aegon Icom seus três dragões, mas temos Daeron I que ‘conquistou’ Dorne com uma certa astucia (Isso te lembra algo?) e está sendo lembrado desde o primeiro livro pelo ponto de vista apaixonado de Jon Snow. E temos é claro Robert Baratheon.
Virtú e Fortuna
Essas são as forças necessárias para a conquista do poder segundo Maquiavel. “Virtú é a habilidade de que uma pessoa precisa para tomar o poder e mante-lô, que consiste em fazer contínuas com base com base nas circunstâncias.” (p.48). É importante não confundir Virtú com virtude que está associada a qualidade morais, “Uma pessoa com virtú pode ter todas essas qualidades, mas apenas quando são úteis.” (p.49).
Já a Fortuna está para além do alcance da pessoa, podendo ser traduzida como sorte. Quem tem Virtú faz a própria sorte (mindinho que o diga) e não deixa as coisas acontecerem ao acaso.
A queda dos reis
Ao falar sobre os jogadores Schulzke comenta sobre os erros deles, a começar por Viserys que segundo o autor comete o erro de casar sua irmã com Khal Drogo “porque o obrigou a confiar tanto em Drogo quanto em Daenerys” (p.51). Nunca havia pensado dessa forma ainda mais considerando o quarto elemento dessa equação: Illyrio Mopatis (e o quinto: Varys). Nisso ele também diz:
Se Viserys tivesse superado o orgulho e aceitado liderar o exército de Khal Drogo rumo a Westeros para reclamar o trono, ele poderia ter descoberto que Drogo ou Daenerys esperariam favores em troca.
(p.51)
Mas Viserys na verdade esperava que Drogo levasse seu khalasar à Westeros para tomar o trono como pagamento pela 'venda' de Daenerys de imediato. Mas não é assim que funciona com os Dothraki.
Aconselho-o a ser paciente, Vossa Graça. Os dothrakis cumprem com a palavra dada, mas fazem as coisas ao seu próprio ritmo. Um homem inferior pode suplicar um favor ao khal, mas nunca deve ter a presunção de censurá-lo.
Viserys eriçou-se.
(AGOT, Daenerys II)
Para Schulzke, Robert Baratheon é um homem com virtú, porém é inconsistente e descontrolado o que afasta homens honrados e atrai bajuladores e mentirosos. Já Joffrey é imaturo e violento o que o leva a ser odiado, a pior opção de todas. Sobre Eddard Stark a visão do autor é de que ele comete o erro de não saber quando não ser virtuoso. Maquiavel acreditava que um governante deve ser tanto amado quanto temido, mas que o medo é uma emoção mais confiável. Tywin Lannister concordaria.
Para Schulzke, Robb talvez seja o rei que chegue mais perto do conceito de Virtú, mas comete o erro de confiar demais. Ele dá o exemplo (é claro) de Lorde Frey, na qual Robb fica dependente de uma travessia controlada por esse lorde não confiável sobre um contrato de casamento. O autor admite que Robb não tinha outra escolha, “mas errou ao não acabar com a dependência quando estava numa posição mais favorável e poderosa” (p.55). Acho esse um péssimo exemplo, pois não houve posição favorável a Robb para poder romper essa dependência do Frey (ele só não esperava que o resultado pudesse ser tão desastroso). O exemplo poderia ser a confiança que o Jovem lobo coloca em Theon Greyjoy, que apesar de ser seu amigo era um refém em Winterfell.
Use uma máscara
O autor cita outros personagens cheios de Virtú, como obviamente o ‘maquiavélico’ Petyr Baelish e Arya Stark, a qual ele diz que carece muito de fortuna, sendo assim azarada. Eu particularmente descordo e considero Arya até sortuda em alguns momentos.
“A Virtú exige que uma pessoa se adapte as circunstâncias” (p. 57) Os personagens de ASOIAF estão geralmente sempre fazendo isso, Martin criou vários personagens com essa característica da Virtú.
Os que fazem a própria sorte
Nessa sessão o autor cita Tyrion e Daenerys, e como a astúcia deles os livram de situações complicadas, principalmente Tyrion. Porém não podemos esquecer que o Lannister sabe usar com Virtú a fortuna de nascença dele: o ouro de sua casa. Já sobre Daenerys, ele diz que ela consegue atrair para si a devoção do povo e conquista um exército com libertos e pessoas leais. Para ele, Daenerys consegue ser amada e temida, é capaz de enganar e influenciar, além de tomar decisões racionais. O autor analisa só AGOT e ACOK, mas sabemos que Daenerys mostrou muito mais de sua virtú ao longo do tempo, como a libertação dos escravizados em Astapor, a tomada e o reinado em Meereen e a escolha de fazer um casamento político com Hizdahr mesmo quando está apaixonada por Daario. Para Sculzke, ela é o maior exemplo de Virtú nas crônicas, porém nem mesmo ela está livre do perigo da vulnerabilidade.
Isso e paz, disse a si mesma. Era o que queria, pelo que trabalhei, o motivo pelo qual me casei com Hizdahr. Então por que tem gosto de derrota?
(ADWD, Daenerys VIII)
submitted by darkssister to Valiria [link] [comments]


2020.04.27 00:28 renatossantos A formação da sociedade brasileira. Qual autor é mais recomendado para inicio de leitura e estudo?

Prezados,
Estou estudando para mestrado em urbanismo e uma das referências traz uma citação muito interessante sobre a formação da sociedade brasileira. Ela diz que:
Como parte integrante de um processo que é capitalista, sem dúvida, e de uma sociedade de classes, relações calcadas no favor, no privilégio e na arbitrariedade caracterizam a formação da sociedade brasileira. Mais do que uma convivência entre o atrasado e o moderno, a evolução dos acontecimentos se dá com o "desenvolvimento moderno do atraso". (MARICATO, 1995)
Essa tríade favor, privilégio e arbitrariedade me chamou muito a atenção.
A autora cita diversos autores, como Roberto Schwarz, Antonio Cândido, Florestan Fernandes, Francisco de Oliveira, Otavio Ianni, José de Souza Martins, Maria Silvia de Carvalho Franco etc. Mas eu gostaria de uma orientação sobre onde encontrar um estudo para iniciar esse tema.
Obrigado!
submitted by renatossantos to brasil [link] [comments]


2020.04.26 01:35 him_x 3.2. Código Limpio: Funciones, Instrucciones Switch y Polimorfismo

De acuerdo, aquí les va un truco que aprendí en el Clean Code de Robert C. Martin que me parece bastante valioso y el cual todo programador debería tener en mente: Las instrucciones S W I T C H
Como ya lo habíamos visto en el post anterior las funciones deberían ser cortas y deben hacer una sola cosa. Cuando vemos que es necesario escribir una instrucción switch, y lo mismo va para cadenas if/else probablemente estamos ante la necesidad de hacer más de una sola cosa, quizás se podría pensar en refactorizar el código pero si no podemos evitar usar la instrucción switch podríamos intentar ocultar la expresión en una clase de nivel inferior y hacer uso del polimorfismo.
Pensemos en esto; las siguiente operaciones para calcular un salario se pueden dar de acuerdo a un tipo de empleado:
public Money calculatePay(Employee e) throws InvalidEmployeeType { switch (e.type) { case COMMISSIONED: return calculateCommissionedPay(e); case HOURLY: return calculateHourlyPay(e); case SALARIED: return calculateSalariedPay(e); default: throw new InvalidEmployeeType(e.type); } } 
El problema es que aunque esta función pueda parecer inofensiva en un comienzo probablemente llegarán nuevos tipos de de empleados haciendo que la función crezca sin control ¿Y qué va a pasar cuando tengamos que realizar alguna otra acción por cada tipo de empleado que tenemos? Si necesitamos saber si es el día de pago para ese tipo de empleado tendríamos otra función isPayDay(Employee e, Date date) con la misma estructura switch y con los mismo problemas que la anterior arrastra, esta función hace más de una cosa porque debe encontrar el tipo de empleado y luego calcular su paga y por ende tiene más de un motivo para cambiar, en caso de que se tenga un nuevo tipo de empleado o si la forma de calcular el pago de un empleado cambia.
Este problema se puede solucionar ocultando la instrucción switch en una factoría abstracta. La factoría se encarga de devolvernos la instancia correcta de cualquiera de los derivados de empleado (Employee) que tenemos y las distintas funciones serán usadas de manera polimórfica para calcular el salario, saber si es el día de paga y entregar el pago (calculatePay, isPayDay, deliverPay)
public abstract class Employee { public abstract boolean isPayDay(); public abstract Money calculatePay(); public abstract void deliverPay(); } -------------------------- public interface EmployeeFactory { public Employee makeEmployee(EmployeeRecord r) throws InvalidEmployeeType; } -------------------------- public class EmployeeFactoryImpl implements EmployeeFactory { public Employee makeEmployee(EmployeeRecord r) throws InvalidEmployeeType { switch (r.type) { case COMMISSIONED: return new CommissionedEmployee(r); case HOURLY: return new HourlyEmployee(r); case SALARIED: return new SalaryEmployee(r); default: throw new InvalidEmployeeType(r.type); } } } 
Esto me ha ayudado mucho para ocultar instrucciones switch cuando es necesario escribirlas, haciendo uso del polimorfismo.
Al respecto el tío Bob dice:
Mi regla general para las instrucciones switch es que se pueden tolerar si sólo aparecen una vez, se usan para crear objetos polimórficos y se ocultan tras una relación de herencia para que el resto del sistema no las pueda ver. Evidentemente cada caso es diferente y en ocasiones se puede incumplir una o varias partes de esta regla.
-------------------------------------------------
Todo lo escrito en este post es mi interpretación de partes del libro "Clean Code" del autor "Robert C. Martin", recomiendo leer al autor para ampliar el conocimiento y los conceptos.
Todas las citas son tomadas textualmente del libro "Clean Code".
submitted by him_x to programacion [link] [comments]


2020.04.26 00:44 him_x 3.1. Código Limpio: Funciones

Cuando comenzamos en el camino de la programación en algún momento nos encontraremos con las funciones, una función bien programada puede ser una obra de arte. Sin embargo en mi experiencia personal abusar del tamaño de las funciones nunca puede resultar en algo bueno.
Yo era el programador en el área de TI en un colegio, el software había sido desarrollado por un compañero que se había ido de la empresa y había una parte, bastante critica en el software, que se encontraba programada en dos funciones, ambas funciones tenían más de mil líneas cada una y eran completamente impenetrables, aunque yo trataba de separar el concepto universal que la función quería abarcar en conceptos más pequeños era muy complicado sin que todo se rompiera.
Tiempo despues, al leer clean code, he comprendido muchas cosas que hubiera podido hacer por este caso tan caótico:
La primera regla de las funciones es que deben ser de tamaño reducido. La segunda es que deben ser todavía más reducidas.
Pienso constantemente y tengo siempre muy presente el consejo acerca de las funciones que menciona el tío Bob:
LAS FUNCIONES SOLO DEBEN HACER UNA COSA. DEBEN HACERLO BIEN Y DEBE SER LO ÚNICO QUE HAGAN.
Una vez que comencé a aplicar estos consejos me di cuenta que mi código no sólo era más agradable de leer y mantener sino que adquiría un sentido. Que se podía entender más claramente la intención con la que cada sección del código había sido escrita, muy distinto de ver bloques de código interminables e ininteligibles, llenos de variables con nombres sin sentido que juntaban todos los conceptos.
Tal vez soy redundante con esto pero es importante tener en cuenta que tener funciones bien escritas que hagan una sola cosa nos puede salvar bastantes horas de trabajo y uno que otro dolor de cabeza.
En nuestras manos se encuentra decidir qué tan legible serán nuestros método y por ende nuestro código.
-------------------------------------------------
Todo lo escrito en este post es mi interpretación de partes del libro "Clean Code" del autor "Robert C. Martin", recomiendo leer al autor para ampliar el conocimiento y los conceptos.
Todas las citas son tomadas textualmente del libro "Clean Code".
submitted by him_x to programacion [link] [comments]


2020.03.26 17:54 tatubolinha2000 Mantenha-se informado 26/03

📰 JRMUNEWS 🗞 Ano 2 – Nº 403 🗺 Notícias do Brasil e do Mundo 🗓 Quinta-Feira, 26 de março de 2020 ⏳ 86º dia do ano no calendário gregoriano 🌘 Lua Crescente 2% visível
💭 Frase do dia: "Não permita que nada tire a sua capacidade de sonhar." - Gazeta FM
Hoje é dia... 🔹 do Amigo Virtual 🔹 do Cacau 🔹 da Conscientização Sobre Epilepsia 🔹 do Mercosul 🎂 Aniversário do Club ATHLETICO PARANAENSE de Curitiba
😇 Santos do dia: 🔹 Santa Lúcia Filippini 🔹 São Bráulio
🎂 Municípios aniversariantes: Fonte: IBGE • Antônio Martins-RN • Barueri-SP • Campo Redondo-RN • Capela do Alto-SP • Carapicuíba-SP • Galinhos-RN • Ipuã-SP • Itaberaba-BA • Jaçanã-RN • Lagoa de Velhos-RN • Lindolfo Collor-RS • Mariana Pimentel-RS • Martinópole-CE • Paraná-RN • Poá-SP • Porto Alegre-RS • Reserva-PR • Riolândia-SP • Ruy Barbosa-RN • Santa Luzia-MA • Santa Rita de Cássia-BA • Santo Antônio do Jardim-SP • Terra Roxa-SP • Uruoca-CE • Vera Cruz-RN • Xangri-lá-RS
🇧🇷 BRASIL 🇧🇷 ✍ Mourão defende isolamento e diz que Bolsonaro não se expressou bem ✍ Decreto de Bolsonaro determina que lotéricas abram ✍ Presidente é alvo de panelaços, xingamentos e pedidos de renúncia ✍ Regina Duarte diz que Bolsonaro 'está certíssimo' sobre quarentena ✍ Ministro Mandetta diz que fica e vê 'grande colaboração' na fala de Bolsonaro ✍ Vice-presidente participa da primeira reunião do Conselho da Amazônia ✍ MP que criaria abono natalino para o Bolsa Família perde a validade ✒ Senado está disposto a liberar verbas para combate ao covid-19 ✒ Maia cobra do governo 'política séria' para proteger idosos pobres ✒ Câmara e Senado aprovam medidas para enfrentamento ao coronavírus ✒ Maia diz que investidores querem flexibilização de isolamento ⚖ Ministro do STF mantém MPs editadas para combater efeitos da pandemia ⚖ Ministro do STF, Alexandre Moraes suspende dívida de três estados com a União, BA, MA e PR ⚖ TJSP suspende decisão que proibia cultos religiosos no estado 📌 Governadores pedem aplicação de lei que prevê renda básica para todos os brasileiros 📌 Dois navios pedem ajuda ao Brasil para desembarcar passageiros 📌 Governador de Goiás, Ronaldo Caiado rompe com Bolsonaro 📌 Cientistas e médicos condenam discurso de Bolsonaro 📌 Crianças fazem cartinhas para agradecer profissionais da saúde 📍 Voluntários distribuem 40 toneladas de alimentos no Rio de Janeiro 📍 São Paulo pagará R$ 55 mensais a famílias de alunos carentes 📍 Sesc SP coloca estruturas físicas à disposição do estado 📍 Campanha arrecada R$ 23,5 milhões para compra de respiradores para hospitais paulistas 📍 Coletores de lixo recebem bilhetes de agradecimento em SP 🍀 Loteria: Sem vencedor, Mega-Sena sorteia R$ 2,5 milhões no próximo concurso: As seis dezenas sorteadas foram 05-09-24-27-33-46
🌎 INTERNACIONAL 🌍 🇫🇷 França retira tropas do Iraque por causa do novo coronavírus 🇬🇧 Reino Unido diz que meio milhão de pessoas pedem assistência 🇬🇧 Tribunal de Londres nega pedido de fiança de Julian Assange 🇺🇳 ONU lança apelo global de US$ 2 bilhões para ajudar países vulneráveis 🇺🇸 Senado dos EUA vota pacote de US$ 2 tri para combater coronavírus 🇺🇳 OMS diz que países devem usar tempo de confinamento para combater coronavírus 🇪🇬 Egito desinfeta área de pirâmides esvaziadas de turistas 🇻🇦 Jornal do Vaticano interrompe publicação diante de pandemia 🇷🇺 Putin adia votação de mudanças para se preservar no poder
🖤 MORTES 🖤 ✝ Stuart Gordon, diretor de 'A hora dos mortos-vivos, aos 72 anos ✝ Bill Rieflin, baterista do R.E.M, aos 59 anos ✝ Floyd Cardoz, chef do 'Top Chef', por complicações do coronavírus, aos 59 anos
🧫 CORONAVÍRUS (Covid-19) 😷 😷 Mortes por coronavírus sobem para 59 no Brasil; são 2.554 casos confirmados 😷 Há 1 mês, Itália resistia a ampliar restrições; hoje tem 7500 mil mortes 😷 Espanha tem 738 mortes em 1 dia, chega a 3.434 e ultrapassa a China 😷 França registra 1.331 mortos por coronavírus, aumento de 231 em 24 horas 😷 EUA registra mais de mil mortos e quase 70 mil casos 😷 Ao menos 25 dos 27 governadores manterão restrições mesmo após Bolsonaro pedir fim de isolamento 😷 SP vai construir hospital em 20 dias para casos de Covid-19 😷 Governo recebe doação de 25 mil máscaras de prevenção 😷 Bradesco, Itaú e Santander vão comprar 5 milhões de testes 😷 Secretário cita 'lacunas', mas propõe protocolo para uso de remédio contra a malária 😷 Hospital contratará 599 enfermeiros para o Pacaembu 😷 Criança sem sintomas ainda podem contaminar os mais velhos
💰 ECONOMIA 💲 💰 Ibovespa salta 17,9% em dois dias, maior ganho desde outubro de 2008; dólar cai a R$ 5,03 💰 Dow Jones sobe “apenas” 2,4%, após perder quase mil pontos na reta final com risco de atraso em pacote 💰 Empresas afetadas pelo coronavírus já podem pedir suspensão do pagamento ao BNDES 💰 Tesouro recompra R$ 35,5 bi de títulos públicos em março 💰 Dívida Pública Federal sobe 1,22% em fevereiro e vai para R$ 4,28 tri 💰 Refinarias da Petrobras reduzem produção com colapso do petróleo 💰 Petrobras espera que queda de preço da gasolina chegue aos postos 💲 Fundos têm captação líquida de R$ 11,9 bilhões em março até o dia 20, diz Anbima 💲 Rede disponibiliza maquininha adicional gratuitamente para varejistas 💲 JPMorgan reduz projeções para bolsas da América Latina; Ibovespa deve encerrar ano aos 80.500 pontos 💲 Fundos imobiliários de shoppings suspendem pagamentos de dividendos 💲 Banco Mundial e FMI pedem alívio de dívida para países mais pobres 💲 Contas externas têm saldo negativo de US$ 3,9 bi em fevereiro 📊 Indicadores: 🏦 Ibovespa 74955 pontos 📈 💵 Dólar Canadá R$ 3,543📈 💵 Dólar Comercial R$ 5,026📉 💵 Dólar Turismo R$ 4,83📉 💶 Euro R$ 5,432📉 💷 Libra R$ 5,924📉 💸 Bitcoin R$ 33.543,49📉 💸 Bitcoin Cash R$ 1.127,46📉 💸 XRP R$ 0,82📉 🔶 Ouro (g) R$ 261,41📉 ⚪ Prata (g) R$ 2,3279📉 💰 Poupança 0,245% a.m. 💰 Selic 3,75% a.a. 💰 CDI 3,65% a.a. 💰 IPCA a.m. fev/20 0,25% 💰 IPCA a.a. 2020 0,4605% 💰 IPCA acum. 12m 4,0049% ⛽ Petróleo Brent (barril) US$ 27.510📉 ⛏ Minério de Ferro 62% US$ 89,57 💨 Algodão (lp) R$ 291,22📈 🐂 Boi (@) R$ 199,50📈 ☕ Café (sc) R$ 589,87📈 🌽 Milho (sc) R$ 59,49📉 🥚 Ovos (30 dz) R$ 102,16↔️ 🥜 Soja (sc) R$ 99,69📈
🔬 CIÊNCIA, TECNOLOGIA & SAÚDE 💓 💓 Ministério da Saúde diz que vacina faltou onde público não prioritário foi atendido 💓 Cafeína aumenta capacidade de resolver problemas, mas não criatividade 🔬 Fósseis raros de 3 espécies de pterossauros são encontrados no Marrocos 🖱 iFood anuncia desconto de comissões e antecipação de repasse dos pagamentos para restaurantes da plataforma
🏆 ESPORTES 🏆 ☑ Capitão do Valencia lamenta que jogo da Champions possa ter disseminado coronavírus entre a torcida ☑ Técnico da seleção brasileira de esgrima morre com suspeita de coronavírus aos 79 anos ☑ Corinthians ganha homenagem com nome de avenida perto da Arena ☑ Com futebol paralisado, Flamengo coloca funcionários em férias coletivas ☑ Seleção da Espanha oferece instalações e funcionários para a saúde
🎭 ARTE & FAMA 🌟 🎙 Metallica reagenda turnê pelo Brasil para dezembro 🎙 Ed Sheeran não deixará de pagar funcionários durante surto de coronavírus 🎙 Jackson Browne, estrela do rock de 71 anos, está com covid-19 🎙 Fundação de Michael Jackson doa mais de R$ 1,5 mi contra a covid-19 🎙 Harry Styles e Camila Cabello adiam turnê europeia por causa do coronavírus 📺 Tamanho Família tem gravações suspensas 📺 Produtora de novelas da Record demite todos os seus funcionários 📺 Coordenadora do Cidade Alerta, na Record, é confirmada com coronavírus 🎞 Diretor de Bacurau disponibiliza seu primeiro filme gratuitamente
🔎 #FAKENEWS: Não é verdade que Toffoli, Maia e Alcolumbre criaram a quarentena em um pacto para derrubar Bolsonaro. Fonte: Boatos..org
🛳 TURISMO ✈️ 🎒 Conheça Itabuna-BA: A Capital do Cacau, no sul do estado da Bahia está a cerca de 430 km da capital, é a quinta cidade mais populosa do estado. A cidade de Itabuna, em conjunto com o município vizinho de Ilhéus, forma uma aglomeração urbana classificada pelo IBGE como uma capital regional B, exercendo influência em mais de 40 municípios que juntos apresentam pouco mais de um milhão de habitantes. A região servia como principal ponto de passagem de tropeiros que se dirigiam a Vitória da Conquista. Na região cortada pelo rio Cachoeira, surgiu o Arraial de Tabocas, em meio à mata que então era desbravada. O nome Tabocas, segundo a tradição, deve-se a um imenso jequitibá, de cuja derrubada fora feita uma disputa, sendo aquele o "pau da taboca", ou seja, da roça que se abria. Itabuna se destaca pela vasta cultura, com grupos de teatro, grupo de capoeira, dança e bandas musicais com trabalho autoral expressivo de diferentes gêneros. Itabuna é um centro regional de comércio, indústria e de serviços. Sua importância econômica cresceu no Brasil durante a época áurea do cultivo de cacau, que, por ser compatível com o solo da região, levou-a ao 2º lugar em produção no país, exportando para os Estados Unidos e Europa. A cidade é um importante entreposto comercial do estado situado às margens da BR-101 e BR-415 e hoje se destaca com indústrias de grande porte, consolidando como polo médico, prestador de serviços e de educação. O município conta com Shoppings, um dos maiores do interior da Bahia. Fonte: Guia do Turismo Brasil
📚 FIQUE SABENDO... ...Por que o prêmio recebeu o nome de Oscar? ⁉️ Até 1931, o troféu, era chamado apenas de estatueta. Nesse ano, conta a lenda, a bibliotecária da Academia, Margaret Herrick, ao observar a estatueta em cima da mesa de um dos diretores da Academia, comentou: "Nossa, parece meu tio Oscar". Ela se referia a Oscar Pierce, um fazendeiro do Texas. O crítico de cinema Sidney Skolsky ouviu a brincadeira e a publicou. O nome pegou. O Troféu imprensa, cópia fiel do Oscar, foi criado em 1958 para premiar os melhores da TV Brasileira. Fonte: O Guia dos Curiosos
📖 BÍBLIA: Confia ao Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos. Provérbios 16:3 🙏
Que seu dia seja como a vontade de DEUS: bom, perfeito e agradável!! 🥖
♥️ By JRMUNEWS 🐞 🗺 Pariquera-Açu-SP 📝 Fazendo diferente e a diferença
🤓 LEIA E COMPARTILHE 📤
Visite, curta, siga, comente, avalie, compartilhe nossa página no Facebook:
https://www.facebook.com/JRMUNEWS/
submitted by tatubolinha2000 to DiretoDoZapZap [link] [comments]


2020.03.15 04:52 RemixBeat Remix Pack [14-March-2020]

20 Fingers – Lick It [B&E Remix] [Enrie BeeHive Edit] 6A 128 Afrojack & Fedde Le Grand FT. MC Ambush – 1234 [Club Edit] 9A 128 Afrojack FT. Ally Brooke – All Night [NIKKI x & SX-MasHH Remix] [Clean Extended] 5B 140 Afrojack, Fedde Le Grand, MC Ambush – 1234 [Club Edit] 9A 128 Agoria – Remedy [Manoo Remix] 10A 121 Alex Moulton – The Sacrifice [Miles Blacklove Re-Work] 6A 122 Ambrosia – Happy [Vocal Remix] 7A 125 Ame – No War [Rampa Remix] 8A 123 AmFlow – Raw Uncut [Louie Vega Remix] 12A 123 Anton Powers & Liam Hincks FT. Carla Monroe – Over You [Majestic Remix] [Radio Edit] 3A 125 Anton Powers & Liam Hincks FT. Carla Monroe – Over You [PBH & Jack Remix] [Radio Edit] 3A 122 Arizona Zervas & Swae Lee – ROXANNE [Remix] [Extend] [Clean] 11A 116 Arizona Zervas & Swae Lee – ROXANNE [Remix] [Extend] [Dirty] 11A 116 Armonica – Ngeke [FT. Toshi] [Andhim Remix] 5A 120 Artwork – Love Is Real [Jihad Muhammad BTD Remix] 9A 120 Avicii – Wake Me Up [EDX Miami Sunset Remix] 10A 128 Avicii – Wake Me Up [Pang Remix] 8A 120 Avicii – Wake Me Up [Reggae Remix] [Clean] 10B 93 Avicii FT. Aloe Blacc – Wake Me Up [Sat-One Remix] 10B 95 Bad Bunny – Yo Perreo Sola – Shelco Garcia & Teenwolf & Sexcells Remix [Clean] 9A 105 Bad Bunny – Yo Perreo Sola – Shelco Garcia & Teenwolf & Sexcells Remix [Dirty] 9A 105 Bashtone – Flirt Orange [Kovary Remix] 6A 124 Bashtone – Flirt Orange [Yaaman Remix] 6A 122 Basstrick – N.T.M [Alex Goto Remix] 7A 125 Big Daddy Kane – Raw [Remix] [Clean] 1A 111 Big L – Mvp [Buckwild Remix] [STF! Clean Intro] 4A 87 Black Coffee – Muye [Black Coffee Remix] 8A 120 Blue Boy – Remember Me [Franky Rizardo Remix] 1A 128 Blue Foundation – Eyes On Fire [Michael Bibi Remix] 2A 128 Bob Sinclar – I Feel For You [Mercer Extended Remix] 1A 126 Bobby Boris Pickett & The Crypt Kickers – Monster Mash [DJ Rukus Halloween Remix] [Clean] 9A 136 Breakbot FT. Ruckazoid – You Should Know [Busy P & Boston Bun Remix] 7A 123 Breakbot FT. Ruckazoid – You Should Know [Homework Le Bain Remix] 7A 131 Breakbot FT. Ruckazoid – You Should Know [Le Family Club Remix] 8A 125 Breakbot FT. Ruckazoid – You Should Know [The Swiss Remix] 7A 123 Busta Rhymes FT. Nicki Minaj – Twerk It [Remix] [Clean] 1A 75 Busta Rhymes FT. Nicki Minaj – Twerk It [Remix] [Dirty] 1A 75 Busta Rhymes FT. Q-Tip – Ill Vibe [Jay Dee Remix] [STF Clean Intro] 1A 93 Butto – Me Encanta [Luyo Antigua Remix] 6A 124 Camille Jones – The Creeps [Bingo Players Remix] 11A 126 Charlie Puth – I Warned Myself [Edav VIP Edit] [Clean] 3A 125 Chicane, Moya Brennan – Saltwater FT. Moya Brennan [Kevin De Vries Extended Remix] 4A 128 Chris Lake, Solardo – Free Your Body [Noizu Extended Remix] 7A 127 Chyno Miranda – La Nota [Remix] [DJ Nino Mix] 10A 94 CJ Jeff – Daylight [FNX Omar Remix] 10A 120 Clive, Mata Jones – People [Club Mix] 1A 126 Club Breakerz x Cardi B x J Balvin – I Like It [G-House Edit] [Dirty] 4A 126 Club Breakerz x Jason Derulo x Offset – Tip Toe [Dance Edit] [Clean] 6A 122 D.I.T.C. – Thick [Rockwilder Remix] [DJ Dynamite Intro Edit] [Dirty] 10A 92 Da Capo – Afrika [Louie Vega Remix Vocal] 9A 124 Daft Punk FT. Pharelll Williams – Get Lucky [Getdown Remix] [Isaac Jordan Edit] 10A 120 Dan Black FT. Kelis – Hearts [Kaskade & R3hab Remix] 5A 128 D’angelo – Brown Sugar [Beatminerz Remix] 9A 82 D’angelo – Brown Sugar [King Tech Remix] 10A 83 Daniel Parranda – Que Parezca Fiesta [Janyi Re-Work] 6A 130 Dave Ross – AMASS [Jihad Muhammad Remix] 1A 126 David Harness – The Deejay’s an Alien [FNX Omar Remix] 6A 120 David Morales – Izizwe [Club Mix] 9A 125 David Puentez, Albert Neve – Superstar [VIP Mix Extended Version] 7A 124 De La Soul – Stakes Is High [FT. Truth Enola & Mos Def] [Remix] [DJ Dynamite Edit] 11A 92 DeMajor – Traveller [Crue Paris Remix] 8A 125 Dennis Ferrer – Dem People Go! [Wolf Story Remix] 12A 124 DJ Allan x Bee Gees – You Should Be Dancin [DJ Fabrizio Re-Work Club Edit 2K20] [Clean] 6A 124 DJ Allan x Kid Cudi – Day ‘N’ Nite [Dunisco Re-Work] [Clean] 9A 123 DJ Allan x Pitbull – Give Me Everything [C-Mireles Disco Remix] [Clean] 5B 122 DJ G – Rhythm [Coflo Remix] 6A 123 DJ Jeff x David Guetta – Memories [Alex Marvel Remix] [Dirty] 8A 126 DJ Jeff x Eiffel 65 – Blue [DISEL Remix] [Clean] 6A 123 DJ Jeff x Gigi D’Agostino – Cuba Libre [Emolw Remix] [Clean] 1A 126 DJ Jeff x Lewis Capaldi – Before You Go [Jamie Williams Remix] [Clean] 5B 125 DJ Jeff x Sean Paul – Get Busy [Shift K3Y Remix] [Clean] 6A 125 DJ Jeff x Sgt Slick – Gimme Gimme Gimme [Freejak Remix] [Clean] 7A 125 DJ Jeff x Static & Ben El, Pitbull – Further Up [David Dancos Remix] [Clean] 12A 125 DJ Jeff x Steff Da Campo & Dave Crusher – Get Down [Chico Rose Remix] [Clean] 4A 125 DJ Jeff x Zefanio – Busje [Da Phonk Club Edit] [Dirty] 11A 94 DJ Kram x Boney M – Daddy Cool [Club Mix] [Clean] 4A 128 DJ Kram x Yellow Claw – Reckless [Jekey Re-Work] [Dirty] 9A 115 DJ Musique – Tongues [Sandy Rivera Remix] 7A 125 DJ Nelson S x Frankie J – Obsession [Luny Tunes Reggaeton Remix] [Redrum] [Clean] 5A 86 DJ Shadow – Six Days [Machinedrum Remix] 3A 111 DJ Snake, J Balvin, Ozuna, Nicky Jam, Natti Natasha, Darell, Sech – Loco Contigo [Remix] 11A 96 DJ Spen – Let It All Go [Jihad Muhammad Bang The Drum Remix] 4A 125 DJ Surda x Diana Ross – I Will Survive [Jet Boot Jack 2K20 Disco Dub Remix] [Clean] 8A 122 DJeff – E So Bo [Terry Hunter Remix] 8A 124 DJeff – Labyrinth [Atjazz Remix] 5A 124 Doja Cat – Say So [PeteDown Club Mix] [Clean] 10A 115 Doja Cat – Say So [PeteDown Club Mix] [Dirty] 10A 115 Doug Gomez – Higher Luv [N’Dinga Gaba Remix] 2A 123 Drop City Yacht Club – Crickets [Benji Boko Remix] 7A 69 Drop City Yacht Club – Crickets [Cahill Club Mix] 7B 128 Drop City Yacht Club – Crickets [EELEYE Remix] 7A 130 Drop City Yacht Club – Crickets [Gangster Summer Remix] 7A 130 Drop City Yacht Club – Crickets [Seamus Haji Remix] 7A 126 Drop City Yacht Club – Crickets [Viceroy Radio Edit] 7B 106 Dua Lipa – Don’t Start Now [Purple Disco Machine Remix] [Extended] [Original Mix] 10A 124 Ebo Taylor – Krumandey [Ron Trent Remix] 8A 125 Emmanuel Jal – Kuar [FNX Omar Remix] 2A 122 Eric B & Rakim – Paid In Full [Coldcut Remix] [Isaac Jordan Edit] 4A 98 Eric B. & Rakim – Paid In Full [Mini Madness – The Coldcut Remix] [Clean] 5A 98 Erly Tepshi – Night [Haze-M Remix] 11B 125 Evar After – Pocket [Coflo’s Afro Deep Remix] 9A 122 Farruko FT. Ozuna – Lunay Y Sech – Nadie [Remix] [DJ Nino Mix] 8A 95 Feid x Darex – Ron Remix [Beatraza] 1B 92 Fitz & The Tantrums – I Just Wanna Shine – Anthony Pisano Remix 11A 100 Fivio Foreign FT. Lil Baby & Quavo – Big Drip [Remix] [Clean] 1B 70 Fivio Foreign FT. Lil Baby & Quavo – Big Drip [Remix] [Dirty] 1B 70 Fivio Foreign FT. Quavo & Lil Baby – Big Drip [Remix] [Dirty] 9A 70 Fivio Foreign FT. Quavo & Lil Baby – Big Drip [Remix] Dirty 1B 70 Fivio Foreign, Lil Baby, Quavo – Big Drip [Remix Club] 9A 70 Floyd Lavine – Sondela FT. Xolisa [Jimpster Remix] 7A 122 Foreigner – I Want To Know What Love It [Blond Ish Sunrise Jungle Re-Work] [Extended] 2A 104 Foreigner – I Want To Know What Love It [Blond Ish Sunrise Jungle Re-Work] [Radio Edit] 2A 104 Fubu – Uh Oooh [Redondo In The Club Remix] [Radio Edit] 9A 124 Fubu – Uh Oooh [Redondo In The Club Remix] 9A 124 Gene Farris, John Summit – Bass Go [Biscits Extended Remix] 12A 125 Geoffrey C – Yo Barnum [Jihad Muhammad BTD Remix] 6A 127 George Lesley – I Smile [Doug Gomez Remix] 2A 120 George Lesley – Izulu [Doug Gomez Remix] 11A 122 Grand Puba – 360 [What Goes Around] [SD50 Remix] [Dirty] 1A 102 Grand Puba – 360 [What Goes Around] [SD50 Remix] [DJ Rukus Intro Edit] [Dirty] 1A 102 Guri Guri Boys – Be Yourself [Manoo Remix] 6A 126 H.E.R. FT. YG – Slide [Dennis Blaze Remix] [Clean] 5A 102 H.E.R. FT. YG – Slide [Dennis Blaze Remix] [Dirty] 5A 102 H.E.R., YG – Slide [Dennis Blaze Remix] [Club] 4A 102 H.E.R., YG – Slide [Dennis Blaze Remix] [Radio] 5A 102 Hallex M – Divinity Remixes [FNX Omar Remix] 5A 120 Hanna Hais – Waloy [Chanell Collen Remix] 9A 121 Hard EDM Workout – Never Really Over [Workout Mix] 3A 140 Hardwell – Three Triangles [Losing My Religion] [Original Club Mix] 8A 128 Heavy D & The Boyz – Gyrlz, They Love Me [Remix] [DJ Dynamite Intro Edit] 1A 95 Horisone – Magnetic [Matt Sassari Remix] 6A 126 Inaky Garcia – Franch Kiss [Christos Fourkis Remix] 7A 122 J Cole FT. Nas – Let Nas Down [Remix] [Dirty] 9A 85 Jeangu Macrooy – Aisa [FNX Omar Remix] 9B 120 Jonas Blue, Paloma Faith – Mistakes [Club Remix] 12A 126 Josh Wink – Sixth Sense [Louie Vega Remix] 3A 127 Joshwa – Stop The Beat [Sammy Porter Remix] 9A 125 Joshwa [UK] – 212 [Extended Club Mix] 10A 126 Joyhauser – Entropy [Spartaque Remix] 6A 128 Juan Soul – Donkola [Mark Francis Remix] 4A 123 Julian Jordan FT. Kimberly Fransens – Love You Better [Guy Arthur Remix] [Radio Edit] 5A 128 Julian Jordan FT. Kimberly Fransens – Love You Better [Guy Arthur Remix] 5A 128 Kaskade – Love Like That [Bynon Remix] 6A 123 KAS-ST, Be No Rain – Hold Me To The Light [Tale Of Us Remix] 10A 126 Kayzo & Yultron FT. Of Mice & Men – Night Terror [YDG Remix] 9A 150 Kelly G. – Feels Good [Yeah!] [Emmaculate Remix] 6A 123 Kendrick Lamar FT. Jay-Z – Bitch, Don’t Kill My Vibe [Remix] [Clean] 4A 134 Kendrick Lamar FT. Jay-Z – Bitch, Don’t Kill My Vibe [Remix] [Dirty] 4A 134 Kevin McKay, Nader Razdar – Get Ur Freak On [Moreno Pezzolato Extended Remix] 2A 126 Kid Cudi – Day & Nite [Jørd V.I.P Remix] 10A 126 KingSfiso – Ilanga [Manoo Remix] 2A 125 Kool & The Gang – Jungle Boogie [Buzter & Rhoden Remix] 6A 124 KSI FT. Trippie Redd, P Money & Tobi – Wake Up Call [Yoshi Remix] [Clean] 10A 156 Kylie – Skirt [Matthew Dear Remix] 7A 122 Kylie – Skirt [Stop Me Shake Remix] 7A 134 Kylie – Skirt [Switch Remix] 7A 121 La Bouche – Be My Lover [Jayy 2K20 Remix] [Radio Edit] 12A 145 La Bouche – Be My Lover [Jayy 2K20 Remix] 12A 145 Lana Del Rey – Young & Beautiful [Cedric Gervais Remix] 10B 126 Lee Cabrera, Kevin McKay, Bleech – Gimme Gimme [Extended Club Mix] 7A 126 Lee Cabrera, Kevin McKay, Bleech – Gimme Gimme FT. Bleech [Extended Club Mix] 7A 126 Lenny Air – Talla Talline Manine [Antonio Ocasio Remix] 4A 123 Lewis Capaldi – Before You Go [Jamie Williams Remix] 5B 125 Ll Cool J – Eat Em Up L Chill [Remix] [DJ Dynamite Intro Edit] 12A 97 LMFAO – Sexy & I Know It [Calfskin & Dbobby Remix] 6A 127 LMFAO FT. Lil Jon & Ray Parker Jr – Shots [Ghost Busters Remix] [Clean] 10A 128 LMFAO FT. Lil Jon & Ray Parker Jr – Shots [Ghost Busters Remix] [Dirty] 10A 128 LMFAO FT. Lil Jon & Ray Parker Jr – Shots [Ghost Busters Remix] [DJ Rukus Intro Edit] [Clean] 10A 128 LMFAO FT. Lil Jon & Ray Parker Jr – Shots [Ghost Busters Remix] [DJ Rukus Intro Edit] [Dirty] 10A 128 Madison Avenue, Patrick Topping – Don’t Call Me Baby [Patrick Topping Remix] 6A 127 Majnoon – Sarzanesh FT. Onur Nazim, Farzin R [Everything Counts Remix] 12B 120 Manuel Meyer – Same [Olivier Giacomotto Remix] 8A 124 Mariah Carey FT. Miguel, Young Jeezy – Beautiful [Remix] [Clean] 12B 107 Mariah Carey FT. Miguel, Young Jeezy – Beautiful [Remix] [Dirty] 12B 107 Maroon 5 – Animals [Gryffin Remix] 9A 101 Maroon 5 – Animals [Ice-Creamz Remix] 9A 101 Maroon 5 – Love Somebody [DJ Noodles Remix] 3B 128 Maroon 5 FT. J Cole – Animals [Remix] [Clean] 9A 95 Martin Garrix – Animals [Oliver Heldens Remix] 4A 128 Martin Garrix – Animals [Snavs Remix] [Original Mix] 4A 64 Marvin Gaye – Ain’t No Mountain High Enough [Hoax Remix] [Kutt Edit] [Clean] 10A 124 Massimo Lippoli – Dougne Te Soye [David Morales Red Zone Remix] 11A 121 Meduza Music, Dermot Kennedy – Power Over Me [MEDUZA Remix – Extended] 8A 124 Melanie Pfirrman FT. Pitbull & IAMCHINO – Suda [Pink Panda Remix] [Radio Edit] 1A 126 Melanie Pfirrman FT. Pitbull & IAMCHINO – Suda [Pink Panda Remix] 1A 126 Michael Jackson – Thriller [Aylen Remix] [Clean] 12A 128 Michael Jackson – Thriller [Aylen Remix] [MMP Intro Edit] [Clean] 12A 128 Migos FT. Travis Scott & Young Thug – Give No Fxk [J Dub Remix] [Dirty] 12A 130 Migos FT. Travis Scott & Young Thug – Give No Fxk [J Dub Remix] [Extended] [Dirty] 12A 130 Mike Candys – Oye Mami [Original Club Mix] 4A 126 Miky Woodz, J Balvin, Myke Towers, Jhay Cortez – Pinky Ring [Remix] 7A 139 Mirror People – Kaleidoscope [Psychemagik Remix] 11A 122 Monolink – Return To Oz [ARTBAT Remix] 7A 124 Moon Rocket – Running [Club Mix] 8A 123 Mozaik [FR] – IDJewena [Fnx Omar Remix] 3A 122 Mr. Tophat – Time Lapse [DJ Tennis Disko Bang Club Mix] 6B 127 Mulatto FT. Saweetie & Trina – Bitch From The Souf Remix [Dirty Intro] 5A 150 Mulatto FT. Saweetie & Trina – B-tch From The Souf Remix [Clean Intro] 5A 150 Mulatto, Saweetie, Trina – Bitch From Da Souf [Remix Intro Club] 5A 75 Mulatto, Saweetie, Trina – Bitch From Da Souf [Remix Intro Radio] 5A 75 Myke Towers – Girl [Beatraza Re-Work] 1A 93 Myke Towers Maluma Y Farruko – La Playa [Remix] [Dirty] 5A 140 Myke Towers Maluma Y Farruko – La Playa [Remix] [DJ Allan MMP Intro Edit] [Dirty] 5A 140 Myke Towers, Maluma, Farruko – La Playa [Remix] 5A 140 Natti Natasha x Nicky Jam x Manuel Turizo x Myke Towers – Despacio [Dave Aguilar Bachata Remix] 6A 105 Nawfel – Rero [Cee ElAssaad Remix] 6A 123 Nea – Some Say [Petrick Remix] 2A 123 Nic Fanciulli, Black Circle – The Breakfast Club [Extended Mix] 5A 123 Nik Thrine – Faceless [DuBeats Remix] 6A 118 Nrd1 – Szampan [Remix Extended Version] 12A 126 N-You-Up – Vibin’ [Saison Remix] 4A 123 OLWIK & Willemijn May – La La Light [Jake Tarry VIP Mix] 8A 125 Oscar P – Said I Know [Enoo Napa Remix] 8A 122 Oscar P – Wait Here [Doug Gomez Remix] 5A 123 Ozuna – 100 Preguntas [Dave Aguilar Bachata Remix] 7B 108 P.M Project – Yen Nko [Jackson Brainwave Remix] 1B 61 P.M Project, Inami – Don’t Find Me [Jus NatiV-Remix] 1A 125 PAAX [Tulum] – DJorolen [THEMBA’s Herd Extended Remix] 7A 120 Parris Mitchell, Nina Kraviz – Feel My Butterfly [Jamie Jones Tribute To Aaron Carl Remix] 8A 129 PartyNextDoor FT. Drake & Bad Bunny – Loyal [Remix] [Clean – Bad Bunny Only] [English-Spanish] 5A 144 PartyNextDoor FT. Drake & Bad Bunny – Loyal [Remix] [Clean] [English-Spanish] 5A 143 Peppe Citarella – Tacalacateo [Terry Hunter Club World Remix] 1B 125 Peter Matson – Roma Norte [Jimpster Remix] 10A 120 Plaster Hands – Gipsy [Silvano Del Gado Remix Edit] 12A 125 Prince Royce – Cita [Dave Aguilar Bachata Remix Guitar] 11A 128 Prince Royce – Yo Te Soñé [Dave Aguilar Bachata Remix] 12A 140 Qvln – Keepin On [Coflo & Tomahawk Bang Remix] 9A 124 R Plus, Dido – My Boy [Meduza Remix] 1A 124 Rainer & Grimm FT. Charlotte Haines – My Lover [Nicolaas Remix] 3A 120 Rainer & Grimm FT. Charlotte Haines – My Lover [VIP Mix] 3A 125 Ralph Falcon – I Need Someone [FNX Omar Remix] [Extended Version] 1B 122 Reinier Zonneveld, Edward Artemiev – Resurrection [Reinier Zonneveld 2K20 Remix] 12A 131 Renata Carnovale – Sickness Flotation [Lucks Remix] 8A 123 ReQuest M – Isidwaba [Enoo Napa Remix] 1A 123 Reykon & Willie Colón – Perriando – La Murga Remix [Dirty] 7A 90 Rihanna FT. David Guetta – Right Now [Dyro Club Mix] 2A 130 Rihanna FT. David Guetta – Right Now [Ralphi Rosario Club Mix] 2A 130 Rino[IO]DJ – Baia Negra [Doug Gomez Remix] 8A 123 Robin Schulz FT. Alida – In Your Eyes [Kream Extended Remix] 1A 124 Roddy Ricch – The Box [Lemi Vice & Action Jackson Remix] [Clean] 3A 130 Roddy Ricch – The Box [Lemi Vice & Action Jackson Remix] [Dirty] 3A 130 Rony Seikaly – Understand [Gorge Remix] 8A 123 Sgt Slick – Gimme Gimme Gimme [Freejak Remix] [Intro Clean] 7A 125 Shawn Mendes, Camila Cabello – Señorita [Dave Aguilar Bachata Remix 2.0] [Intro Chorus Outro] 8B 122 Shawn Mendes, Camila Cabello – Señorita [Dave Aguilar Bachata Remix 2.0] [Intro-Outro] 8B 122 Shota – Chant [Timmy Regisford Remix] 8A 122 Sky White – Urban Piano [David Harness Remix] 6A 125 SMR LVE & Christina Novelli – Sanctuary [Daniel Kandi Remix] [Extended] 11B 137 SMR LVE & Christina Novelli – Sanctuary [Daniel Kandi Remix] [Original Mix] 11B 137 SMR LVE & Christina Novelli – Sanctuary [Daniel Kandi Remix] [Radio Edit] 11B 137 SMR LVE & Christina Novelli – Sanctuary [Suprafive Remix] [Extended] 6A 122 SMR LVE & Christina Novelli – Sanctuary [Suprafive Remix] [Radio Edit] 6A 122 Snoh Aalegra FT. Killer Mike – Bad Things [Remix] [Dirty] 8A 80 Sofi Tukker – Purple Hat [KC Lights Remix] 9A 125 Solardo & Eli Brown – My Life [No Anchovies Remix] 3A 126 Sono – Keep Control [ARTBAT Remix] 6A 123 Soulvation – Devotion [Block & Crown Club Mix] 6A 126 Soundspecies – Alina’s Calypso [Ron Trent Remix] 11A 123 Spalamp – Into The Dark [Hannes Bieger Remix] 4B 126 Steve Aoki & Maluma – Maldad [R3hab Remix] 4A 110 Stones & Bones – Uthando [Cee ElAssaad Voodoo Remix] 12A 123 Sunlightsquare – Oyelo [Atjazz Love Soul Remix] 6A 124 Syzz – Gimme [Club Mix] 7A 128 Taola – Freedom [Manoo Remix] 12A 120 Taola – Njelele [Moon Rocket Remix] 10A 123 Terry Hunter – Not Gon’ Stop The House [Terry Hunter Afro Remix] 5A 124 The Black Eyed Peas – The Time [Dirty Bit] [Luis R & Elver Remix] [Kutt Edit] [Clean] 9A 128 The Brand New Heavies – Sometimes [The Ummah Remix] [DJ Dynamite Intro Edit] 6A 96 The Goodfellas x Marvin Gaye & Hoax – Ain’t No Mountain High Enough 2K20 [Hoax Re-Fix] [Clean] 10A 124 The Goodfellas x The Goodfellas – Ozuna, Diddy & DJ Snake – Eres Top [I Need A Girl Re-Fix] [Clean] 12A 100 The Goodfellas x Trevor Daniel – Falling [Remix Intro] [Clean] 3A 127 The Goodfellas x Trevor Daniel – Falling [Remix Intro] [Dirty] 3A 127 The Knocks FT. St Lucia – Modern Hearts [Treasure Fingers Remix] 2A 128 The Pharcyde – Y! [Be Like That] [Jay Dee Remix] [DJ Dynamite Intro Edit] 1B 91 The Weeknd – Can’t Feel My Face [R-You Future House Remix] [Clean Extended] 8A 126 The Wolftones – Big Strong Man [DJ Jaks Remix] [Clean – 95Bpm] 11A The Wolftones – Come Out Ye Black & Tans [DJ Jaks Remix] [Clean – 128Bpm] 6A The XX – Fiction [Marcus Worgull Remix] 6A 118 The XX – Reunion [Ame Remix] 10A 122 The XX – Tides [Dixon Remix] 8A 122 Tiesto & Diplo FT. Busta Rhymes – C Mon [Jake Walmsley Remix] [DJ Felipe Jara Edit] 6A 130 Timeflies – I Choose U [Fedde Le Grand Remix] 12A 128 Timmy Regisford – Smile [Timmy Regisford Remix] 6A 126 Tones & I – Dance Monkey [DVJ Xtroyer Remix Verano 2K20] 11A 105 Too Short – Blow The Whistle [Nick Bike Bad Girls Remix] [Clean] 5A 108 Too Short – Blow The Whistle [Nick Bike Bad Girls Remix] [Dirty] 5A 108 Too Short – Blow The Whistle [Nick Bike Bad Girls Remix] [DJ Rukus Intro Edit] [Clean] 5A 108 Too Short – Blow The Whistle [Nick Bike Bad Girls Remix] [DJ Rukus Intro Edit] [Dirty] 5A 108 Tory Lanez – Broke In A Minute – Matsu Jersey Club Remix [Dirty] 6B 130 Tory Lanez & T-Pain – Jerry Sprunger [Lemi Vice & Action Jackson Remix] [Clean] 5A 100 Tory Lanez & T-Pain – Jerry Sprunger [Lemi Vice & Action Jackson Remix] [Dirty] 5A 100 TOSHI – Revolution [Timmy Regisford & Mr Joe Remix] 4A 124 Traveltech & Norbert Meszes – Palms [Boti Remix] 9A 121 Travis Scott – Antidote [DJ Baysik Remix DJ Serom Baile Funk Switch Edit] [Clean] 1A 134 Travis Scott – Antidote [Jael Remix] [Dirty] 1A 130 Tuff Crew – My Part Of Town [Remix] [Dirty] 8A 114 Tungevaag – Peru [Artbasses x Oski Remix] 6A 128 YG – Toot It & Boot It [Deville Club Mix] Clean 6A 95 YG – Toot It & Boot It [Deville Club Mix] Clean CK Cut 6A 95 YG – Toot It & Boot It [Deville Club Mix] Dirty 6A 95 YG – Toot It & Boot It [Deville Club Mix] Dirty CK Cut 6A 95 YNW Melly FT. Juice WRLD – Suicidal [Remix] [Clean] 7A 129 YNW Melly FT. Juice WRLD – Suicidal [Remix] [Dirty] 7A 137 YNW Melly FT. Juice WRLD – Suicidal [Remix] [Intro Clean] 7A 140 YNW Melly FT. Juice WRLD – Suicidal [Remix] [Intro Dirty] 7A 140 YNW Melly, Juice Wrld – Suicidal [Remix Club] 8A 70 YNW Melly, Juice Wrld – Suicidal [Remix Radio] 8A 70 Yves & Ilkay Sencan FT. Emie – Not So Bad [Zonderling Remix] [Extended] [Remix] 1A 125 Yves & Ilkay Sencan FT. Emie – Not So Bad [Zonderling Remix] [Radio Edit] 1A 126 Yves V, Ilkay Sencan, Emie – Not So Bad [Zonderling Remix

DOWNLOAD: remixdj1.blogspot.com
submitted by RemixBeat to u/RemixBeat [link] [comments]


2020.03.15 04:50 RemixBeat Latin Remixes [14-March-2020]

Aarón Y Su Grupo Ilucion – Todo Me Gusta De Ti [DJ Diiego Cumbia Intro Break Acordeon] 5A 90 Andrw John – En Peligro De Extinción [DJ Diiego Intro Loop Mix Bachata & Outro] 11B 132 Angeles Azules – El Liston De Tu Pelo [DJ Diiego Intro Beak Cumbia Acordeon & Outro] 10A 81 Arcangel FT. Sech – Sigues Con El [DJ Diiego Reggae Intro Break Outro] 2A 88 Kenito Mendez & Elilluminar – Yo Tengo Un Perro & Perra [DJ Diiego Merengue To Dembow Transition 81-103] 10A 103 Kewin Cosmos – Elige [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 3A 130 Kewin Cosmos – Elige [Dave Aguilar Intro Verse Outro] 3A 130 Kewin Cosmos – Elige [Dave Aguilar Intro-Outro] 3A 130 Kinito Mendez – Yo Tengo Un Perro [DJ Diiego Merengue Intro-Outro] 3A 81 LMFAO – Sexy & I Know It [DJ Diiego Guaracha Intro-Outro] 11A 130 Los Aviadores – Colegiala [Dave Aguilar Salsa Version] [Intro Verse Outro] 9A 96 Los Aviadores – Colegiala [Dave Aguilar Salsa Version] [Intro-Outro] 8A 96 Los Sheriff – La Unica [DJ Diiego Cumbia Intro-Outro] 2B 95 Martin Garrix – Bingo Players Rattle [DJ Diiego Guaracha Intro-Outro] 9A 130 Natti Natasha x Nicky Jam x Manuel Turizo x Myke Towers – Despacio [Dave Aguilar Bachata Remix] 6A 105 Nicky Jam & Daddy Yankee – Muévelo To Muévelo x Lirico En La Casa [Dave Aguilar Dembow To Reggaeton Transition 118-94] 7A 94 Ozuna – 100 Preguntas [Dave Aguilar Bachata Remix] 7B 108 Ozuna FT. Daddy Yankee – Baila Baila [DJ Diiego Guaracha Intro-Outro] 9A 130 Prince Royce – Adicto [Dave Aguilar Salsa Version] [Intro-Outro] 6A 100 Prince Royce – Carita De Inocente [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 3A 130 Prince Royce – Carita De Inocente [Dave Aguilar Intro Percapella FX Outro] 3A 130 Prince Royce – Carita De Inocente [Dave Aguilar Intro Percapella Outro] 3A 130 Prince Royce – Carita De Inocente [Dave Aguilar Intro-Outro] 3A 130 Prince Royce – Cita [Dave Aguilar Bachata Remix Guitar] 11A 128 Prince Royce – Contra La Pared [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 2A 127 Prince Royce – Contra La Pared [Dave Aguilar Intro-Outro v.2] 2A 127 Prince Royce – Contra La Pared [Dave Aguilar Intro-Outro] 2A 127 Prince Royce – Es Muy Tarde [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 6B 119 Prince Royce – Es Muy Tarde [Dave Aguilar Intro-Outro] 6B 119 Prince Royce – Lotería [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 10A 127 Prince Royce – Lotería [Dave Aguilar Intro-Outro] 10A 127 Prince Royce – Me Robaste La Vida [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 9A 124 Prince Royce – Me Robaste La Vida [Dave Aguilar Intro-Outro v.2] 9A 124 Prince Royce – Me Robaste La Vida [Dave Aguilar Intro-Outro] 9A 124 Prince Royce – Morir Solo [Dave Aguilar Live Mashup Intro-Outro] 12B 120 Prince Royce – Señorita Por Favor [Dave Aguilar Intro-Outro v.2] 6B 124 Prince Royce – Señorita Por Favor [Dave Aguilar Intro-Outro] 6B 124 Prince Royce – Si Supieras [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 6B 120 Prince Royce – Si Supieras [Dave Aguilar Intro-Outro] 6B 120 Prince Royce – Yo Te Soñé [Dave Aguilar Bachata Remix] 12A 140 Proyecto A – Mi Credo [Dave Aguilar Salsa Version] [Intro Verse Outro] 10A 125 Proyecto A – Mi Credo [Dave Aguilar Salsa Version] [Intro-Outro] 10B 125 Rauw Alejandro x Farruko – Fantasias [DJ Diiego Reggae Intro Mashup Outro] 2B 98 Romeo Santos FT. Kiko Rodriguez – El Beso Que No Le Di [DJ Diiego Bachata Intro-Outro] 9A 128 Shawn Mendes, Camila Cabello – Señorita [Dave Aguilar Bachata Remix 2.0] [Intro Chorus Outro] 8B 122 Shawn Mendes, Camila Cabello – Señorita [Dave Aguilar Bachata Remix 2.0] [Intro-Outro] 8B 122 SP Polanco FT. Chantel – Congelado [Dave Aguilar Intro Chorus Outro] 2A 128 SP Polanco FT. Chantel – Congelado [Dave Aguilar Intro-Outro] 2A 128 Static & Ben El, Pitbull – Further Up [Dave Aguilar Intro Blend & Outro] 12A 100 Static & Ben El, Pitbull – Further Up [Dave Aguilar Intro-Outro] 12A 100

DOWNLOAD: remixdj1.blogspot.com
submitted by RemixBeat to u/RemixBeat [link] [comments]


2020.03.06 03:56 altovaliriano A glorificação da guerra e o sonho de Dunk

Em uma “segunda de SSM”, eu tratei sobre uma entrevista que o jornal britânico The Guardian fez com Martin. No final do artigo, o jornalista relata que perguntou a Martin qual era sua cena favorita nos livros e recebeu uma resposta inesperada:
Com isso em mente, ele tem uma cena favorita em que sentiu a escrita realmente acertou em cheio? Eu perguntei plenamente esperando que ele mencionaria um dos momentos mais famosos, como o Casamento Vermelho, por exemplo, ou a morte chocante de Ned Stark no primeiro livro.
Houve uma longa pausa antes que a resposta surpreendente chegasse. “Lembro que houve um discurso que um septão [a versão westerosi de um padre] faz a Brienne sobre homens quebrados e como eles se quebram. Eu sempre fiquei muito satisfeito em ter escrito aquilo”.
O discurso em questão é um pesado e longo monólogo do Septão Meribald dá em O Festim dos Corvos, no 5º capítulo de Brienne. Podrick pergunta se desertores e foras-da-lei de equivalem e Brienne responde laconicamente, mas Septão Meribald dá um resposta longa sobre como os desertores são o resultado da destruição que a guerra dos nobres causa na vida dos plebeus.
A quem conhece um pouco do pensamento de GRRM, a resposta ao jornalista apenas parece refletir sua posição pessoal anti-guerra que permeia toda sua obra, desde a primeira história que vendeu profissionalmente, “O Herói”. Em As Crônicas de Gelo e Fogo, o autor expõe o tempo todo as consequências catastróficas da guerra, tanto para o lado vitorioso quanto para o perdedor.
Inclusive, existe um longo e excelente texto escrito por um expert em armas nucleares que demonstra como Martin se inspirou nestes dispositivos de destruição em massa para criar os dragões de seu mundo e todo o jogo político ao redor de quem vai dominá-los. O fato de alguém conseguir puxar tantos paralelos entre armas nucleares e dragões dá uma pista do tom antiguerra de ASOIAF, além de mostrar o quanto ser baby-boomer influencia na visão de mundo de GRRM.
Como era natural de se esperar, os contos de Dunk e Egg não escapam a este tipo de abordagem. Porém, aqui Martin preferiu manifestar o tema de forma onírica.
Em um recente tópico aqui no valiria, eu tentei explorar as razões que fizeram com que GRRM nos contasse sobre a viagem de Dunk e Egg à Dorne, quando ele parece ter mudado de ideia sobre qual seria o enredo da história sucessora de O Cavaleiro Andante.
Dentre várias razões que apontei para a manutenção da jornada dornesa nos flashbacks de Dunk, eu especulei que a história da morte de Castanha serve como mote para o sonho de Dunk, pois essa história revela como inocentes podem morrer por decisões estúpidas de seus senhores. Mas eu gostaria de acrescentar que inocentes e votos de cavaleiro também morrem quando cavaleiros põem o cumprimento dos deveres para com seus senhores acima de proteger os fracos.
Este é o sentido do sonho de Dunk, emanado do sentimento anti-guerra de Martin, conforme analisarei a seguir.

Um cavaleiro antes de uma espada juramentada

De fato, desde o primeiro treinamento dos plebeus que obedeceram ao chamado de Sor Eustace para a guerra contra a Rohanne fica claro que eles não teriam qualquer chance contra os cavaleiros da viúva.
Quando Dunk afirma que a necessidade de mandar todos a morte por um disputa tão pequena é uma escolha que não cabe a eles, Egg responde com uma alegoria à lição de Sor Arlan, de não dar nomes a cavalos para evitar sofrer quando eles morrem:
– Isso não é você nem sou eu quem vai dizer – Dunk respondeu. – É dever de todos eles ir para a guerra quando Sor Eustace os convoca... e morrer, se necessário.
– Então não devíamos ter dado nomes para eles, sor. Isso só vai tornar a dor mais difícil para nós quando morrerem.
(A Espada Juramentada)
De fato, é incrível a quantidade de parágrafos que GRRM leva descrevendo o processo de “batismo” dos camponeses que tinham nomes iguais. A princípio, eu não entendi porque Martin achou que isso era importante, até que eu comecei a decodificar o sonho de Dunk.
Essencialmente, o que aconteceu com Castanha nas areias de Dorne é o mesmo que está acontecendo em Pousoveloz antes de Dunk começar a pensar em uma saída pacífica para o impasse entre Osgrey e Webber. O sonho é a forma como Dunk, um homem de lealdade inquestionável e raciocínio lento, começa a perceber as consequências da obediência cega que tem prestado a Sor Eustace.

O Prólogo de um sonho

Antes de passarmos à análise do sonho, um pequeno parágrafo precisa ser examinado. Quando Dunk se deita para dormir, ele lembra dos eventos do torneio de Vaufreixo, especialmente das tragédias que ocorreram naquele dia:
Supostamente, estrelas cadentes traziam boa sorte, então ele pediu para Tanselle pintar uma em seu escudo. Mas Vaufreixo trouxera tudo menos sorte para ele. Antes que o torneio acabasse, ele quase perdera uma mão e um pé, e três bons homens perderam a vida. Ganhei um escudeiro, no entanto. Egg estava comigo quando deixei Vaufreixo. E essa foi a única coisa boa de tudo o que aconteceu.
Esperava que nenhuma estrela caísse naquela noite.
(A Espada Juramentada)
Estes pensamentos antes do sonho provavelmente é o que desperta a memória de Dunk e faz com que Baelor e Valarr surjam em seu sonho. Contudo, Dunk cita que três pessoas morreram naquele dia, mas Valarr não era era uma delas.
Essa distinção é importante para entendermos como o subconsciente de Dunk parece estar funcionando durante o sonho. Como veremos a seguir.

Decodificando

Vamos analisar o sonho na íntegra.
Havia montanhas vermelhas a distância e areias brancas sob seus pés. Dunk estava cavando, enfiando uma pá no solo seco e quente e jogando a fina areia branca por sobre os ombros. Estava fazendo um buraco. Um túmulo, pensou, um túmulo para a esperança. Um trio de cavaleiros dorneses estava parado observando e zombando dele em voz baixa. Mais além, comerciantes esperavam com suas mulas, carroças e trenós de areia. Queriam ir embora, mas não partiriam até que ele enterrasse Castanha. Ele não deixaria seu velho amigo para as cobras, escorpiões e cães da areia.
Aqui Martin estabelece a cena, mas eu quero comentar especificamente as partes em negrito.
Aqueles que lembrarem do que realmente aconteceu no enterro de Castanha, devem desde já estranhar os comerciantes esperando Dunk enterrar o cavalo.
Eu não entendi a parte do túmulo à esperança quando li a primeira vez. Mas agora que sabemos que Castanha está sendo usada como alegoria às vítimas das guerras caprichosas dos nobres e à lealdade cega de seus cavaleiros, seu significado fica evidente.
Dunk está pessoalmente cavando um túmulo para os mais fracos, as pessoas que um cavaleiro jura proteger. As pessoas que viram valor nele quando ele enfrentou Aerion por Tanselle. E ao virar as costas para elas, Dunk se torna um cavaleiro hipócrita, como os demais.
Quanto aos três cavaleiros dorneses, a seguir veremos que eles não são os cavaleiros dorneses que estavam com Dunk, mas Sor Arlan, Baelor Quebralanças e Valarr. Martin preferiu apresenta-los aos poucos durante o sonho, por isso suas identidades não são reveladas nesse momento.
Por outro lado, quem lembrar dos detalhes do enterro de Castanha, saberá que não foi assim que os cavaleiros dorneses se portaram.
O castrado morrera de sede, na longa travessia entre o Passo do Príncipe e Vaith, com Egg em suas costas. Suas patas dianteiras pareciam ter se dobrado sob ele e o cavalo ajoelhou, rolou de lado e morreu. Sua carcaça estava ao lado do buraco. Já estava dura. Logo começaria a feder.
Esta realmente parece ter sido a forma como Castanha morreu. Mesmo que valha a pena debater se Martin não está criando um paralelo entre a sede que matou o cavalo e a seca que levaria a morte dos plebeus, me parece que essa parte só está aí para estabelecer o pano de fundo do acontecimento.
Dunk chorava enquanto cavava, para diversão dos cavaleiros dorneses.
Água é preciosa para se desperdiçar – um deles disse. – Não devia desperdiçá-la, sor.
O outro riu e disse:
– Por que está chorando? Era só um cavalo, e bem feio.
Castanha, Dunk pensou enquanto cavava, o nome dele era Castanha, e ele me levou nas costas por anos e nunca empacou ou mordeu. O velho castrado parecia uma coisa lamentável ao lado dos corcéis de areia lustrosos que os dorneses cavalgavam, com suas cabeças elegantes, pescoços longos e crinas se agitando, mas Castanha dera tudo o que podia dar.
É notável perceber que dois dos “cavaleiros” dão mais valor a água do que a Castanha, assim como Eustace (e Rohanne) do que a vida dos plebeus. Contudo, estes “cavaleiros” montam cavalos melhores do que um velho castrado, indicando que eles são de uma estirpe acima da pequena nobreza (como veremos a seguir).
– Chorando por um castrado de costas arqueadas? – Sor Arlan disse, em sua voz de velho. – Ora, rapaz, você nunca chorou por mim, que o colocou sobre as costas dele. – Deu uma risadinha, para mostrar que não queria causar mal com a censura. – Esse é Dunk, o pateta, cabeça-dura como uma muralha de castelo.
– Ele não derrubou lágrimas por mim tampouco – disse Baelor Quebra-Lança, do túmulo. – Embora eu fosse seu príncipe, a esperança de Westeros. Os deuses nunca pretenderam que eu morresse tão jovem.
– Meu pai tinha só trinta e nove anos – lembrou o Príncipe Valarr. – Tinha tudo para ser um grande rei, o maior desde Aegon, o Dragão. – Olhou para Dunk com frios olhos azuis. – Por que os deuses o levariam e deixariam você? – O Jovem Príncipe tinha o cabelo castanho-claro do pai, mas uma mecha loura-prateada o atravessava.
Vocês estão mortos, Dunk queria gritar, vocês três estão mortos, por que não me deixam em paz? Sor Arlan morrera de um resfriado, o Príncipe Baelor, de um golpe dado pelo irmão durante o julgamento de sete de Dunk, e seu filho Valarr, durante a Grande Praga daPrimavera. Não tenho culpa por esse. Estávamos em Dorne, nem mesmo ficamos sabendo.
Sor Arlan é o terceiro cavaleiro, mas o primeiro que vimos ser revelado. Depois, Baelor e, por fim, Valarr. Isso ocorre porque foi nesta ordem que eles morreram, e é a ordem inversa de suas idades.
Enquanto a fala de Valarr é uma repetição quase idêntica do último diálogo entre Dunk e o príncipe (até mesmo as descrições), as falas de Sor Arlan e Baelor se concentram no fato de que Dunk não havia chorado a morte deles, mas agora chorava a morte de um cavalo.
A razão para isso é porque Dunk não foi responsável pelas mortes de nenhum dos três, nem mesmo a de Baelor Quebralanças (ao menos não totalmente). Mas ele foi responsável pela morte de Castanha.
No caso de Valarr, o próprio Dunk não vê culpa sua.
Sor Arlan morreu de um resfriado e os pensamentos de Dunk foram de que “ele teve uma vida longa” e “Devia estar mais perto dos sessenta do que dos cinquenta anos, e quantos homens podem dizer isso? Pelo menos vivera para ver outra primavera” (O Cavaleiro Andante). Portanto, salvo por sentimentalismo, Dunk não havia porque achar que tinha culpa na morte do velho.
Já o Príncipe Baelor entrou no Julgamento dos Setes por conta própria, sem que Dunk sequer cogitasse convidá-lo e para a total surpresa dos Targaryen na equipe dos acusadores. Então, objetivamente não há culpa real de Dunk. Ele não tinha uma escolha real.
Entretanto, mesmo que Dunk sinta-se a culpado, ele sabe que só poderia ser responsável por uma parcela. De fato, como o próprio cavaleiro admite, ele divide o fardo com Maekar: “Você o acertou com a maça, senhor, mas foi por mim que o Príncipe Baelor morreu. Então eu o matei tanto quanto o senhor” (O Cavaleiro Andante).
Contudo, Castanha morreu exclusivamente porque Dunk estava caprichosamente correndo atrás de uma mulher em uma das regiões mais inóspitas dos Sete Reinos.
– Você é louco – o velho disse para ele. – Não vamos cavar nenhum buraco para você quando se matar com essa tolice. Nas areias profundas, um homem deve estocar sua água.
Vá embora, Sor Duncan – Valarr disse. – Vá embora.
A mensagem aqui é bem direta: sacrificar os plebeus em nome do dever como espada juramentada era teimosia inútil, uma “guerra estúpida” como alegara Egg, pois ninguém realmente ligaria se ele morresse ou vivesse.
Egg o ajudava a cavar. O garoto não tinha pá, só as mãos, e a areia voltava para o túmulo tão rápido quanto eles a tiravam. Era como tentar cavar um buraco no mar. Tenho que continuar cavando, Dunk disse a si mesmo, embora suas costas e ombros doessem com o esforço. Tenho que enterrá-lo profundo o bastante para que os cães de areia não o encontrem. Tenho que...
– ... morrer? – perguntou Grande Rob, o simplório, do fundo do túmulo. Deitado ali, tão quieto e frio, com uma ferida vermelha irregular escancarando sua barriga, ele não parecia tão grande.
Dunk parou e o encarou.
– Você não está morto. Você está dormindo no porão. – Olhou para Sor Arlan, em busca de ajuda. – Diga para ele, sor – pediu. – Diga para ele sair do túmulo.
A primeira menção a Egg no sonho é como ajudante de Dunk na missão inútil, o que reflete a última discussão que teve com o escudeiro, na qual conseguiu sua obediência na base da rispidez.
Porém, no meio da tarefa, há a primeira indicação clara de que o ocorrido com Castanha serve de alegoria à situação atual, na qual Dunk está colocando inocentes em perigo ao convoca-los, treiná-los e ficar em negação sobre suas chances.
Até mesmo Sor Bennis, o Marrom, está mais desperto para isto do que Dunk. É claro que o cavaleiro marrom não queria mais trabalho, porém suas atitudes estavam mais voltadas a evitar um banho de sangue do que as tomadas por Dunk.
Com efeito, o cavaleiro não só era contrário a levar a notícia da represa a Sor Eustace, como também não se enganava quanto às chances dos camponeses que estava treinando.
Dunk estava em tamanha negação, que mesmo ao ver Grande Rob mortalmente ferido no buraco em que estava cavando, virtualmente perguntando a Dunk “Tenho que morrer?”, o cavaleiro ainda pediu auxílio a Sor Arlan, seu carinhoso mentor, aquele que lhe ensinou sobre os deveres de uma espada juramentada, que atestasse que nada de errado estava ocorrendo.
Só que não era Sor Arlan de Centarbor que estava parado perto dele, mas Sor Bennis do Escudo Marrom. O cavaleiro marrom só gargalhou.
– Dunk, pateta – disse –, destripar é algo lento, certamente. Mas nunca conheci um homem que viveu com as entranhas penduradas. – Uma espuma vermelha borbulhou em seus lábios. Ele se virou e cuspiu, e as areias brancas beberam tudo.
Buco estava parado atrás dele com uma flecha no olho, chorando lentas lágrimas vermelhas. E lá estava Wat Molhado também, a cabeça cortada quase na metade, com o velho Lem e Pate olho-vermelho e todo o resto. Todos tinham mastigado folhamarga com Bennis, Dunk pensou de início, mas então percebeu que era sangue escorrendo por suas bocas. Mortos, pensou, todos mortos, e o cavaleiro marrom zurrava.
– Sim, melhor se manter ocupado. Tem mais covas para cavar, pateta. Oito para eles, uma para mim, uma para o velho Sor Inútil e a última para seu garoto careca.
Porém, no lugar de Sor Arlan estava Sor Bennis. Isto é o sinal de que não havia lição de honra a ser aprendida, só a realidade nua e crua finalmente se mostrando a Dunk.
Todos morreriam na guerra e tudo seria absorvido e justificado por ela. Até mesmo pessoas que Dunk julgava estarem fora do alcance do conflito, como Egg.
A pá escorregou das mãos de Dunk.
– Egg – gritou –, fuja! Temos que fugir! – Mas as areias escorregavam sob seus pés. Quando o garoto tentou se precipitar para fora do buraco, tudo desmoronou. Dunk viu as areias cobrirem Egg, enterrando-o enquanto ele abria a boca para gritar. Tentou abrir caminho até o escudeiro, mas as areias erguiam-se por todos os lados, puxando-o para o túmulo, enchendo sua boca, seu nariz, seus olhos...
Apesar da alegoria, o sonho aqui mostra bem claramente que a indolência de Dunk levaria todos para dentro do túmulo que Dunk estava escavando para aqueles que morreram porque ele fechou os olhos.
A mensagem anti-guerra que parece estar subjacente aqui é a de que o cumprimento cego do dever não absolve ninguém da responsabilidade pelos mortos, e o conflito atinge a todos indiscriminadamente. E as consequências nefastas da guerra estão por todo nas terras Osgrey. Seja nas vilas ou nas amoreiras.

O epílogo de um sonho

Para finalizar, é preciso analisar o que realmente aconteceu durante o enterro de Castanha.
A primeira coisa a entender é que Dunk não chorou e não houve enterro nenhum:
Nunca chorei. Posso ter tido vontade, mas nunca chorei. Ele tentara enterrar o cavalo também, mas os dorneses não esperaram.
Porém, a lição que Dunk ouviu de um dos cavaleiros dorneses era relativa ao ciclo da vida e a aceitação de que os animais carniceiros que viriam cear da carne de Castanha estavam protegendo a sua própria prole:
– Cães de areia precisam alimentar seus filhotes – um dos cavaleiros dorneses dissera para ele enquanto o ajudava a tirar a sela e os arreios do castrado. – A carne dele vai alimentar os cães ou as areias. Em um ano, seus ossos estarão totalmente limpos. Isso é Dorne, meu amigo.
A partir desta mensagem é que Dunk, já acordado, faz uma nova reflexão sobre as eventuais mortes dos plebeus. Porém, nem mesmo nesta nova meditação Dunk é capaz de achar significado algum para que os novos soldados de Osgrey percam suas vidas:
Ao lembrar-se daquilo, Dunk não pôde deixar de se perguntar quem se alimentaria das carnes de Wat, Wat e Wat. Talvez haja peixes xadrezes no Riacho Xadrez.
Encerrada a questão no plano onírico e no plano racional, não surpreende que Dunk tenha, logo depois do treinamento, perguntando a Sor Osgrey por uma alternativa.
Uma espada juramentada deve serviço e obediência ao seu suserano, mas isso é loucura.

submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.02.24 03:57 altovaliriano A Mulher Morena

“Sábado de personagens” ainda no domingo. Fazer o quê?
A mulher morena é uma das mais misteriosas personagens de As Crônicas de Gelo e Fogo. Seu nome e origem nunca foi revelado ao leitor. Pouco mais sabemos sobre ela, mas em resumo a mulher foi entregue por Euron a Victarion como um prêmio. Sabemos que ela é muda e que Victarion a considera bonita.
Porém, em determinado momento da história, fica evidente ao leitor de que a mulher morena é mais do que parece ser. A tripulação de Victarion resgata do mar Moqorro, um sacerdote de R’hllor enviado pelo Templo Vermelho para auxiliar Daenerys em Meereen, e leva-o a Victarion, pois o homem afirma estar sabendo de que o Capitão de Ferro corre perigo de morte. Quando um mal súbito atinge Victarion, ele e Moqorro vão à sua cabine e o seguinte ocorre:
Quando abriu a porta da cabine do capitão, a mulher morena se virou em sua direção, silenciosa e sorridente... mas, quando viu o sacerdote vermelho ao lado dele, seus lábios se afastaram de seus dentes, e ela sibilou em súbita fúria, como uma serpente. Victarion a acertou com as costas da mão boa e a derrubou no chão.
– Quieta, mulher. Vinho para nós dois. [...]
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
A hostilidade da mulher morena para com Moqorro parece uma indicação muito forte sobre a origem e propósito da personagem na história. A partir deste fato apenas, leitores foram levados às mais loucas especulações sobre a identidade da misteriosa serva-amante de Victarion. Entretanto, se o reino das especulações produz resultados estranhos, posso afirmar que as evidências presente no próprio texto não são menos estranhas. Se analisadas em sua literalidade, o texto produzido pelo próprio Martin aponta para direções completamente ininteligíveis.
Analisemos.

Fenótipo, aparência e semelhanças

Fenótipo é o resultado da expressão dos genes do organismo, da influência de fatores ambientais e da possível interação entre os dois. No contexto deste texto, o fenótipo da mulher morena é algo que poderia nos dar uma dica sobre sua herança genética.
Esse herança genética PODE nos ajudar a determinar a cultura na qual ela nasceu, mas é claro que isso não permite nos concluir com absoluta certeza que ela pertence esta cultura. Um bom exemplo de personagem cujo fenótipo pode ser usado para nos confundir é Sarella Sand, que pertence à cultura westerosi, apesar de que sua aparência denotaria ter nascido nas Ilhas do Verão.
Entretanto, diante das poucas informações disponíveis sobre a mulher morena, esta análise se torna necessária. Em verdade, o próprio Martin parece estar induzindo os leitores a realizar estas investigações, pois ele mesmo deposita dicas disso no texto:
Sua pele era negra. Não o marrom castanho dos ilhéus do Verão com seus navios cisne, nem o marrom-avermelhado dos senhores dos cavalos dothrakis, nem a cor de carvão-e-terra da pele da mulher morena*, mas negra. Mais negra que carvão, mais negra do que o azeviche, mais negra do que as asas de um corvo.*
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Na passagem acima, vê-se que Martin descarta através de Victarion que a mulher morena pertence às culturas dos Ilhéus do Verão e dos senhores de cavalo Dothraki. A exclusão das Ilhas do Verão é especialmente útil, haja vista onde Euron ALEGA ter encontrado a mulher morena:
INGLÊS: As a reward for his leal service, the new-crowned king had given Victarion the dusky woman, taken off some slaver bound for Lys.
PORTUGUÊS: Como recompensa por seu leal serviço, o recém-coroado rei dera a Victarion a morena, roubada de algum mercador de escravos a caminho de Lys*.*
(AFFC, O Pirata)
Eu acho curioso a forma como fica apenas implícito de que Euron teria capturado a Mulher Morena nos porões de um navio de escravos indo para Lys, quando, na verdade, nada disso está escrito no texto. Não se menciona qualquer navio, nem que ela era uma escrava. Tão facilmente como tomou Falia Flowers quando invadiram o Castelo dos Hewett, Euron poderia muito bem ter tomado a amante de um mercador de escravos.
Mas evitemos a interpretação segundo a qual Martin, a esta altura da história, está tentando nos confundir com jogos de palavras. Que outras opções de origem teria uma mulher “bela, com uma pele tão castanha quanto teca oleada”?
Aqueles que partirem para O Mundo de Gelo e Fogo em busca de auxílio encontrarão logo a seguinte referência sobre os habitantes de Naath:
O povo nativo da ilha é uma raça bonita e gentil, com rostos redondos, pele escura e grandes olhos suaves cor de âmbar, em geral salpicados de dourado.
[...~]
O Povo Pacífico sempre teve um bom preço, dizem, pois são tão inteligentes quanto gentis, belos de se olhar e rápidos em aprender a obediência*. É relatado que* uma casa de prazer em Lys é famosa por suas garotas naathi*, que usam diáfanos vestidos de seda e são adornadas com asas de borboletas alegremente pintadas.*
(TWOIAF, Naath)
As descrições tem certa compatibilidade com as características relatadas da mulher morena. Entretanto, os característicos olhos amarelados teriam sido notados facilmente mesmo por alguém tão tapado quanto Victarion. Por outro lado, depois da demonstração de fúria perante Moqorro, acredito que pouco classificariam a mulher morena como “gentil”.
Caso continuemos a pesquisa no livro de meistre Yandell, logo encontraremos uma outra descrição sobre o povo de Leng que é bastante capciosa:
Os lengii nativos são talvez os mais altos de todas as raças da humanidade, com muitos homens entre eles chegando a mais de dois metros de altura, e alguns até com dois metros e meio. De pernas longas e esguios, pele cor de teca oleada*, eles têm grandes olhos dourados e supostamente podem ver mais longe e melhor do que outros homens,* especialmente à noite. Embora formidavelmente altas*, as mulheres lengii são notoriamente ágeis e encantadoras, de* beleza insuperável*.*
(TWOIAF, Leng)
A descrição da pele é inteiramente simétrica àquela da mulher morena (fornecida por VIctarion). Na verdade, é curioso perceber que a única vez que a expressão “teca oleada” é usada para descrever a pele de alguém ocorre com a mulher morena. A única outra vez em que essa analogia é usada é como o povo de Leng, fora da saga principal, em um livro acessório.
Entretanto, há mais problemas aqui do que soluções. Novamente temos a descrição do dourado dos olhos (que seriam difíceis de Victarion ignorar), a altura formidável e a beleza insuperável. Ainda que possamos alegar que Victarion é um homem alto, próximo dos 2 metros de altura (segundo estimativas dos leitores), seria difícil que ele ignorasse que a mulher morena fosse muito alta para uma mulher e de beleza insuperável.
Desse modo, acredito ser seguro descartar Leng e seguir. Não há mais nenhuma referência a características que se assemelhem à da mulher morena (fora das Ilhas do Verão, que já foram descartadas em nossas premissas acima), porém existe uma referência a um povo no estrangeiro que por vezes sofre o mesmo destino reservado à mulher morena:
Não é surpresa que Sothoros seja pouco povoado quando comparado com Westeros ou Essos. Duas dezenas de pequenas vilas de comércio se amontoam na costa norte ‒ vilas de lama e sangue*, alguns dizem: molhadas, úmidas e cheias de miséria, onde aventureiros, trapaceiros, exilados e* prostitutas das Cidades Livres e dos Sete Reinos vêm fazer fortuna.
Há riquezas escondidas entre as selvas, pântanos e taciturnos rios banhados pelo sol do sul, sem dúvida, mas, para cada homem que encontra ouro, pérolas ou especiarias preciosas, há uma centena que encontra apenas a morte. Os corsários das Ilhas Basilisco atacam esses assentamentos, levando cativos que serão mantidos confinados em Garra ou na Ilha das Lágrimas antes de serem vendidos para os mercados de carne da Baía dos Escravos, ou para as casas de prazer e jardins de prazer de Lys*.*
(TWOIAF, Sothoros)
Embora seja muito vago afirmar que esta é uma origem em potencial para a mulher morena (pois, virtualmente, é o mesmo que dizer que ela poderia ter vindo de qualquer lugar do mundo), a menção de que prostitutas das cidades livres que se aventuram em Sothoryos podem acabar em Lys pode nos ajudar a esclarecer algumas dúvidas sobre seu comportamento esquisito (vide abaixo).
Portanto, ainda que não possamos determinar sua origem, a análise acima nos permite começar a descartar algumas opções. Inclusive, percebemos que a mulher morena tem um pele de uma tonalidade ímpar (teca oleada), o que pode indicar que ela pertença a um povo que ainda não foi descrito pro Martin.
Entrentanto, há uma última analogia que não pode deixar de ser registrada:
“Não quero nenhuma de suas sobras”, dissera desdenhosamente ao irmão, mas quando Olho de Corvo declarou que a mulher seria morta se não a aceitasse, fraquejou. A língua dela tinha sido arrancada, mas exceto por este pormenor estava intacta, e era também bela, com uma pele tão castanha quanto teca oleada. Mas, por vezes, quando a olhava, surpreendia-se lembrando da primeira mulher que o irmão lhe dera*, para fazer dele um homem.*
(AFFC, O Pirata)
Sendo Euron alguém conhecido por apreciar jogos mentais, a escolha de alguém que se assemelhasse com a primeira mulher que Victarion havia recebido pode ter sido deliberada. Este detalhe pode ter sido essencial para capturar a memória afetiva de Victarion e fazer com que ele mais facilmente aceitasse o presente de Euron.
Não fica claro se por “primeira mulher” Victarion está falando de sua primeira esposa (que morreu no parto de uma menina natimorta) ou se ele estaria se referindo à primeira mulher com que se deitou. Curiosamente, esta dúvida se aprofunda quando vemos observamos os pensamentos de Victarion no capítulo liberado de Os Ventos do Inverno:
[Spoilers de Os Ventos do Inverno]Enquanto estava na proa do Vitória de Ferro vendo os navios mercantes de Uma-orelha desaparecem um a um ao oeste, as faces dos primeiros inimigos que matara voltaram a Victarion Greyjoy. Ele pensou em seu primeiro navio, em sua primeira mulher.
(TWOW, Victarion)
De todo modo, o importante é que a mulher morena desperta nele esta memória afetiva. Com efeito, o próprio Victarion não parece compreender porque aceitou a mulher ou mesmo porque não cumpriu seu desejo de sacrificá-la, a despeito de ter a perfeita noção de que qualquer presente de Euron é um presente de grego:
A mulher morena não respondeu. Euron havia cortado sua língua antes de dá-la para ele. Victarion não duvidada que o Olho de Corvo tivesse dormido com ela também. Era o jeito do seu irmão. Os presentes de Euron são envenenados, o capitão lembrara a si mesmo no dia em que a mulher morena veio a bordo*. Não quero nenhum de seus restos. Decidira, então, que cortaria a garganta dela e a atiraria ao mar, um sacrifício de sangue para o Deus Afogado.* De alguma forma, contudo, jamais chegara nem perto de fazer isso*.*
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Pior, esta sensação de familiaridade poderia justificar também a razão pela qual Victarion confiava seus segredos a ela. Não que a mudez da mulher não tenha parte nisso. Afinal, é o que os próprios pensamentos de Victarion indicam:
Cada vez mais, temia que tivessem navegado longe demais, em mares desconhecidos onde até mesmo os deuses eram estranhos... mas, essas dúvidas, ele confidenciava apenas para sua mulher morena, que não tinha língua para repeti-las.
[...]
Victarion podia falar com a mulher morena. Ela nunca tentava responder.
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Contudo, isto não explica outros momentos em que Victarion observa ter uma conexão com a mulher morena que independem da confidencialidade verbal. Para estas situações, a memória afetiva me parece funcionar como uma justificativa muito melhor:
A mulher morena sabia o que ele queria sem que tivesse que pedir. Quando ele relaxou em sua cadeira, ela pegou um pano úmido e macio da bacia e o colocou em sua testa.
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Outros exemplos disto são a forma como Victarion parece confiar na mulher morena não só mais do que em Meistre Kerwin, capturado em escudoverde (o que é até justificável, pois os nascidos do ferro parecem desconfiar dos meistres, especialmente em um que servia a uma Casa inimiga derrotada)...
– Pegue esta sujeira e vá. – Victarion acenou para a mulher morena. – Ela pode fazer o curativo.
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
... mas talvez até mais do que confia em Moqorro:
– [...] Gostaria que eu o sangrasse?
Victarion agarrou a mulher morena pelo pulso e a puxou para si.
Ela fará isso. Vá orar ao seu deus vermelho. Acenda seu fogo, e me diga o que vê.
Os olhos escuros de Moqorro pareceram brilhar.
– Vejo dragões.
(TWOW, Victarion)
No aspecto sexual, mesmo diante de sete mulheres treinadas para o prazer pelo Yunkaítas, Victarion diz-se satisfeito com sua mulher morena até que chegue o dia de tomar Daenerys para si:
Os senhores de escravos de Yunkai as haviam treinado no caminho dos sete suspiros, mas não era para isso que Victarion precisava delas. Sua mulher morena era suficiente para satisfazer seus apetites até que pudesse chegar a Meereen e reivindicar sua rainha.
(ADWD, Victarion)
A confiança na mulher morena é a tal ponto acentuada, que Victarion passa a suspeitar que seu meistre poderia estar causando a infecção do ferimento em sua mão. Ela é uma das duas únicas pessoas tratando seu ferimento em todo o barco, mas ele não só a exclui da lista de suspeitos como confidencia a ela suas suspeitas sobre Kerwin:
– Se não foi Serry, então quem? – perguntou para a mulher morena. – Poderia aquele rato daquele meistre estar causando isso? Meistres conhecem feitiços e outros truques. Ele pode estar usando um para me envenenar, esperando que eu o deixe cortar minha mão fora. – Quanto mais pensava nisso, mais provável lhe parecia. – O Olho de Corvo o deu para mim, criatura miserável que é. – Euron tirara Kerwin de Escudoverde, onde estava a serviço de Lorde Chester, cuidando de seus corvos e ensinando seus filhos, ou talvez de outros nas redondezas. E como o rato guinchava quando um dos mudos de Euron o entregara a bordo do Vitória de Ferro, arrastando-o pela corrente em seu pescoço. – Se isso é por vingança, ele se engana comigo. Foi Euron quem insistiu que ele fosse levado, para evitar que causasse danos com suas aves. – Seu irmão lhe dera três gaiolas de corvos também, para que Kerwin pudesse mandar notícias de sua viagem, mas Victarion proibira que fossem soltas. Que fique de molho, se perguntando o que está acontecendo.
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
É claro que pode-se arguir que Victarion simplesmente é burro e não vê coisas que simplesmente estão acontecendo sob seu nariz. Entretanto, o que me surpreende neste diálogo é que ele cita Kerwin ser um presente envenenado de Euron como motivo para sua suspeita, sendo que ele está falando diretamente para o primeiro presente que ele mesmo julgou envenenado.
Assim, me parece que isto demonstra que Victarion realmente desenvolveu um elo afetivo com a mulher, não APENAS que ele é burro.

Comportamentos e habilidades curiosos

A mulher morena é estranha e age de forma estranha.
A primeira coisa a se registrar são as suspeitas do fandom. Os leitores em geral acreditam que a mulher morena espia Victarion para Euron. Pouquíssimos arriscam dizer que ela é uma espiã dos magos de Qarth (Warlocks). Entretanto, tanto os primeiros quanto os últimos dizem que a espionagem se dá de forma mágica.
Alguns dizem que Euron entra na pele da mulher morena (assumindo como verdadeira a teoria de que Euron é um troca-peles poderoso) para interagir com Euron. Outros dizem que Euron ou os warlocks simplesmente usam os ouvidos e olhos da mulher morena para clariaudiência ou clarividência, sem propriamente ter controle sobre ela.
Porém, eu não acredito que essas especulações tenham fundamento textual, mas partem de um sentimento geral de suspeita que é causado pelo que está no texto. Examinemos cada caso.
Lembram-se que eu disse que a menção de O Mundo de Gelo e Fogo sobre “prostitutas das cidades livres que se aventuram em Sothoryos poderem acabar em Lys” iria nos ajudar a esclarecer o comportamento esquisito da mulher morena? Pois bem, chegou a hora.
Victarion estava guerreando no Vago, quando retorna a sua cabine para ter com a mulher morena:
Em sua apertada cabine de popa, foi encontrar a mulher morena, úmida e pronta*; a batalha talvez também tivesse aquecido seu sangue.*
(AFFC, O Pirata)
Não é estranho que uma mulher que havia sido capturada e entregue a Victarion como uma escrava estivesse “úmida e pronta” assim que seu atual captor irrompesse pela porta vestido em armadura, suado e sangrando?
É claro que simplesmente poderíamos, como Victarion (mau sinal...), assumir que a batalha a tivesse excitado. Ou que Victarion seja mais atraente do que podemos pensar.
Mas não seria igualmente possível pensar que este seria um indício de que a mulher morena tem experiência como concubina?
É sabido que Martin fez com que os meistres da Cidadela tivesse um conhecimento de medicina mais avançado do que aqueles disponíveis para os praticante da medicina da Idade Média do mundo real. Entretanto, não está claro que este grau avançado de desenvolvimento também aconteça nas demais civilizações do resto do mundo que Martin criou.
Na verdade, parece que não, pois Mirri Maz Durr cita que aprendeu artes curativas com o Arquimeistre Marwyn, o que parece indicar que a Cidadela detém os melhores conhecimentos médicos do mundo:
Uma cantora de lua de Jogos Nhai deu-me de presente as suas canções de parto, uma mulher do seu povo cavaleiro ensinou-me as magias do capim, dos grãos e dos cavalos, e um meistre das Terras do Poente abriu um cadáver e mostrou-me todos os segredos que se escondem sob a pele.
Sor Jorah Mormont interveio.
– Um meistre?
– Chamava-se Marwyn – respondeu a mulher no Idioma Comum. – Do mar. Do outro lado do mar. As Sete Terras, disse ele. Terras do Poente. Onde os homens são de ferro e os dragões governam. Ensinou-me esta língua.
(AGOT, Daenerys VII)
Ocorre que a mulher morena parece ter bons conhecimentos sobre como tratar um ferimento:
A morena lavou o ferimento com vinagre fervido*. [...] Victarion dirigiu-se à morena enquanto ela enfaixava sua mão com* linho*. [...]*
(AFFC, O Pirata)
A mulher morena estava enfaixando sua mão com linho limpo, enrolando a faixa seis vezes ao redor da palma, quando Aguado Pyke apareceu [...].
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Em verdade, o tratamento que a mulher morena vinha aplicando a Victarion era justamente o que o meistre aplicava após punção dos ferimentos:
Sangue era bom. Victarion grunhiu em aprovação. Sentou-se firme enquanto o meistre secava, apertava e limpava o pus, com quadrados de tecido macio fervidos em vinagre*. Quando terminou, a água limpa na bacia tinha se tornado uma sopa espumante. A visão por si só podia fazer qualquer homem enjoar.*
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
A mulher morena até demonstrou ter mais intimidade com este tipo de ferimentos do que o próprio meistre Kerwin. O rosado meistre não é referência de estômago forte, claro, mas a reação de nojo da mulher morena é tão econômica, que parece apontar para certa prática no assunto:
O pus que irrompeu era grosso e amarelo como leite azedo. A mulher morena torceu o nariz para o cheiro, o meistre segurou a ânsia de vômito e até Victarion sentiu seu estômago revirar.
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Por outro lado, apesar de ficar parecendo pela passagem abaixo que Victarion também poderia conhecer estes procedimentos (o que não seria impossível, já que o Cão de Caça demonstrou conhece-los também quando estava com Arya), eu acredito que Victarion simplesmente está com a memória ruim, pois quem lavou primeiro o ferimento foi a mulher morena (vide citação acima):
Um arranhão de um gatinho, Victarion disse para si mesmo, depois. Lavara o corte, despejara um pouco de vinagre fervido sobre ele, enfaixara-o e deixou de pensar naquilo, acreditando que a dor diminuiria e a mão se curaria com o tempo. Em vez disso, a ferida tinha infeccionado, até que Victarion começou a se perguntar se a lâmina de Serry estava envenenada. Por que mais a ferida se recusaria a sarar?
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
De fato, como o procedimento está correto e a medicina westerosi é mais avançada do que a medieval, muitos leitores se teorizam que a mulher morena poderia estar de alguma forma envenenando Victarion, ou ao menos matando-o devagar ao fazer algo para não permitir a cicatrização do corte.
Há até mesmo uma passagem em que vimos que o único procedimento sugerido pelo meistre que não é adotado pela mulher morena é tentar drenar o ferimento em local aberto:
O meistre sugerira que o ferimento seria mais bem drenado no convés, no ar fresco e à luz do sol, mas Victarion proibira. Aquilo não era algo que sua tripulação pudesse ver. Estavam a meio mundo de casa, longe demais para deixá-los ver seu capitão de ferro começar a enferrujar.
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Caso ela realmente estivesse piorando a condição de Victarion, evitar o convés seria uma atitude compatível. O problema é descobrir com que finalidade ela estaria fazendo isso. O que nos leva ao próximo e principal item desta lista
· Reconhece Moqorro como perigoso
A reação explosiva da mulher morena ao ver Moqorro parece significar que ela o acha perigoso. Mas perigoso como? Para quem? Bem, a resposta depende de saber quem realmente é a mulher morena e quais seus propósitos.
Aqueles que acham que ela está sendo possuída magicamente ou servindo de olhos e ouvidos para poderes de clarividência e clariaudiência, seja por parte de Euron ou dos Warlocks, pensam que estes sabem que Moqorro põe seus planos em riscos, pois os poderes do sacerdote vermelho permitem saber que a mulher morena é uma marionente.
Já aqueles que acreditam que a mulher morena está envenenando ou adoecendo Victarion pensam que a reação dela se deu em decorrência de que ela sabe dos poderes “curativos” do sacerdote e que todo o trabalho que ela está tendo será perdido no momento em que Moqorro entrar em ação.
E há aqueles que acreditam que a mulher morena sabe que Moqorro não está ali para curar Victarion, mas sim para trazer um sofrimento ainda maior. Nesta hipótese a mulher morena estaria tentando avisar Victarion sobre o perigo que Moqorro representa, mas não tem como expressar isso devido à mudez e à personalidade tosca de Victarion.
Porém, todos concordam em um ponto: a mulher reconheceu Moqorro. A pergunta não deveria ser “que tipo de perigo ela acha que Moqorro representa”. Isso acho dificílimo de adivinhar. Mas parece um pouco mais factível se especular sobre “de onde ela conhece Moqorro ou alguém como Moqorro”.
Para isso precisamos listar as características visíveis sobre Moqorro. Aquelas que fariam alguém entender quem ele é logo à primeira vista:
  1. Porte físico impressionante
  2. Cor de pele singular
  3. Tatuagens de chamas no rosto
Quanto ao porte físico, duvido que isso faça alguma diferença para a mulher morena, haja vista que há homens como Andrik, o Sério entre os homens de ferro.
A cor de pele da pele de Moqorro pode gerar duas reações. Uma demonstração simples de racismo, como ocorreu com os primeiros Ghiscari a chegarem às Ilhas do Verão (TWOIAF, As Ilhas do Verão). Ou a cor pode realmente vir de algo que lembre “um homem que foi tostado nas chamas até que sua carne carbonizou e caiu soltando fumaça de seus ossos”.
Nesse último caso, a cor da pele de Moqorro denunciaria algum grau avançado de poder místico. O fato de a mulher morena ter percebido isto induz a pensa que ela pode ter tido algum encontro com este tipo de pessoa no passado. Um encontro traumático, claro.
Por fim, se forem as tatuagens, simplesmente a mulher morena tem algo contra sacerdotes de R’hllor.
A parte interessante é que Moqorro não mostra interesse algum na mulher. Mas Moqorro não mostra interesse algum em ninguém, nem mesmo os tripulantes que pediram que Victarion o matasse.
Os homens de Euron são compostos de “mudos e mestiços”. Isso quer dizer que os mestiços não são necessariamente mudos. Vimos, inclusive, que um dos filhos bastardos mestiços de Euron fala. Portanto, cortar a língua da mulher morena foi uma atitude deliberada de Euron. Ou ela era parte da tripulação como os demais mudos?
Por outro lado, diante de tantas possibilidades de origens estrangeiras para a mulher, fica a pergunta: ela fala a língua comum? Sequer entende o que Victarion está falando?

Propósito e futuro

Se a mulher é uma espiã de Euron, então Euron está fazendo uma farta colheita. Mas de que serve toda esta informação agora? Será útil a Euron ou aos Warlocks no futuro saber que Moqorro está com Daenerys? Ou as notícias de que Daenerys está morta já podem ser suficientes?
Em suma, que futuro existirá para a mulher morena se tantas pessoas apostam na morte de Victarion? O próprio Victarion pensa em fazê-la de camareira:
– Ela será minha esposa, e você será minha camareira. – Uma camareira sem língua nunca deixaria escapar nenhum segredo.
Ele poderia ter dito mais, mas foi então que o meistre chegou, batendo na porta da cabine, tímido como um rato.
(ADWD, O Pretendente de Ferro)
Há também a possibilidade de que ela carregue um filho de Euron em si. Afinal, o próprio VIctarion suspeita de que Euron já havia se deitado com a mulher antes de passa-la a ele.
Por terminar as especulações sem spoilers, seria a mulher morena uma feiticeira com poderes próprios e um objetivo claro em Meereen?

Especulações com spoilers de Ventos do Inverno

O capítulo de Victarion em Ventos do Inverno não é completo. Ele termina com algumas notas sem transcrição literal dos eventos:
❖ A mulher morena sangra o braço de Victarion em uma bacia. Victarion esfrega o sangue no berrante, murmurando suavemente para ele “​Meu berrante… dragões…”;
❖ Victarion masturba a mulher morena, não há penetração. Ele pensa que não gosta de transar antes da batalha;
❖ A mulher morena o ajuda a colocar a armadura, ele faz um discurso vibrante para a tripulação, e eles velejam em direção a Meereen.
(TWOW, Victarion)
Como a mulher morena é citada em todas as notas finasi, algumas perguntas ficam no ar:
Se Euron ou os Warlocks estão assistindo VIctarion reinvindicar o berrante via mulher morena, eles teriam algo preparado para fazer caso isso acontecesse? Fazia parte dos planos?
Qual é a importância de Victarion masturbar a mulher morena? Teria alguma relação com o braço que ele usa para fazer isso? Victarion usaria seu braço fumacento para fazer algo do tipo? Por que diabos ele faria algo do tipo?
A mulher morena fica para trás no navio quando os nascidos no ferro descem para atacar Meereen. Ela pode sabotar alguma parte dos planos? Teria alguma relação com o Atador de Dragões?
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.02.20 19:44 Quippykisset dr4

https://app.dealroom.co/investors/phystech\_ventures
https://app.dealroom.co/companies/qiwi
https://app.dealroom.co/investors/martin\_mccourt
https://app.dealroom.co/companies/semtech
https://app.dealroom.co/investors/michael\_moritz\_1
https://app.dealroom.co/investors/boyser\_srl
https://app.dealroom.co/investors/carlo\_k\_lzer
https://app.dealroom.co/investors/andre\_bajorat
https://app.dealroom.co/investors/mistletoe
https://app.dealroom.co/investors/gert\_nordin
https://app.dealroom.co/investors/enfuro\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/breton\_fund
https://app.dealroom.co/investors/savoie\_mont\_blanc\_angels
https://app.dealroom.co/investors/swiss\_ict\_investor\_club\_sictic\_
https://app.dealroom.co/investors/clearly\_social\_angels
https://app.dealroom.co/investors/angels\_sante
https://app.dealroom.co/companies/gdtre
https://app.dealroom.co/investors/third\_rock\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/casdin\_capital
https://app.dealroom.co/investors/heritage\_provider\_network
https://app.dealroom.co/investors/steve\_parish
https://app.dealroom.co/investors/airbridge\_equity\_partners
https://app.dealroom.co/investors/admitad\_invest
https://app.dealroom.co/investors/humanity\_united
https://app.dealroom.co/investors/christian\_kaar\_1
https://app.dealroom.co/investors/rene\_giretzlehner
https://app.dealroom.co/investors/alfred\_luger
https://app.dealroom.co/investors/florian\_gschwandtner
https://app.dealroom.co/investors/dieter\_von\_holtzbrinck
https://app.dealroom.co/investors/jazz\_venture\_partners
https://app.dealroom.co/companies/\_ez
https://app.dealroom.co/investors/idea\_
https://app.dealroom.co/investors/ntt\_docomo\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/long\_arc\_capital
https://app.dealroom.co/investors/at\_impf\_gmbh
https://app.dealroom.co/investors/iseed\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/andrew\_weisz
https://app.dealroom.co/companies/tandem\_1
https://app.dealroom.co/investors/nick\_kingsbury
https://app.dealroom.co/investors/committed\_capital\_limited
https://app.dealroom.co/companies/edenred
https://app.dealroom.co/companies/global\_telecom\_technology\_gtt
https://app.dealroom.co/investors/cormorant\_asset\_management
https://app.dealroom.co/investors/emh\_partners
https://app.dealroom.co/investors/sirona\_capital
https://app.dealroom.co/companies/gilead
https://app.dealroom.co/investors/limburg\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/adour\_business\_angels
https://app.dealroom.co/investors/western\_digital\_capital
https://app.dealroom.co/investors/scientipole\_ile\_de\_france\_capital
https://app.dealroom.co/investors/tommy\_andersen
https://app.dealroom.co/investors/saastr\_fund
https://app.dealroom.co/investors/digital\_future
https://app.dealroom.co/companies/wefunder
https://app.dealroom.co/investors/alan\_morgan
https://app.dealroom.co/investors/paul\_topley
https://app.dealroom.co/companies/lombard\_odier
https://app.dealroom.co/companies/level\_equity
https://app.dealroom.co/investors/eiffel\_investment\_group
https://app.dealroom.co/investors/signal\_peak\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/stephan\_schambach
https://app.dealroom.co/investors/paca\_emergence
https://app.dealroom.co/investors/dima\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/aqua\_spark
https://app.dealroom.co/investors/sycamore\_partners
https://app.dealroom.co/investors/longwood\_founders\_fund
https://app.dealroom.co/investors/verizon\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/power\_financial\_corporation
https://app.dealroom.co/investors/future\_fund
https://app.dealroom.co/investors/karl\_magnus\_troedsson
https://app.dealroom.co/investors/ag2r\_la\_mondiale
https://app.dealroom.co/investors/intesa\_sanpaolo
https://app.dealroom.co/investors/cleantech\_invest
https://app.dealroom.co/companies/oxford\_technology\_management
https://app.dealroom.co/companies/e\_on
https://app.dealroom.co/investors/the\_riverside\_company
https://app.dealroom.co/companies/vasco
https://app.dealroom.co/companies/sig\_plc
https://app.dealroom.co/companies/storytel\_ab
https://app.dealroom.co/companies/hexagon\_ab
https://app.dealroom.co/investors/aac\_capital\_partners
https://app.dealroom.co/investors/jean\_charles\_samuelian
https://app.dealroom.co/investors/harwell\_capital
https://app.dealroom.co/investors/draper\_nexus
https://app.dealroom.co/investors/audi\_electronics\_venture
https://app.dealroom.co/investors/space\_angels
https://app.dealroom.co/companies/valid\_com
https://app.dealroom.co/investors/bamboo\_capital
https://app.dealroom.co/investors/be\_angels
https://app.dealroom.co/investors/simon\_nixon
https://app.dealroom.co/investors/nick\_hynes
https://app.dealroom.co/investors/erwin\_arkema
https://app.dealroom.co/investors/william\_tunstall\_pedoe
https://app.dealroom.co/investors/5am\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/lanta\_digital\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/bernard\_arnault
https://app.dealroom.co/companies/leaseplan
https://app.dealroom.co/investors/s\_cubed
https://app.dealroom.co/investors/june\_fund
https://app.dealroom.co/investors/xfund
https://app.dealroom.co/investors/andy\_chung
https://app.dealroom.co/investors/matthew\_bellamy
https://app.dealroom.co/companies/power\_corporation\_of\_canada
https://app.dealroom.co/investors/sumeru\_equity\_partners
https://app.dealroom.co/investors/francois\_enaud
https://app.dealroom.co/investors/diffusion\_capital\_partners
https://app.dealroom.co/investors/stella\_maris\_partners
https://app.dealroom.co/investors/autotech\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/fraser\_mccombs\_capital
https://app.dealroom.co/investors/singtel\_innov8
https://app.dealroom.co/companies/virgin\_group
https://app.dealroom.co/investors/prudence\_holdings
https://app.dealroom.co/investors/nokota\_management
https://app.dealroom.co/investors/armat\_group
https://app.dealroom.co/investors/marshfield\_associates
https://app.dealroom.co/investors/silver\_lake\_kraftwerk
https://app.dealroom.co/companies/alfahim
https://app.dealroom.co/companies/thales\_group
https://app.dealroom.co/companies/jpmorgan\_chase
https://app.dealroom.co/investors/sverdlovsk\_venture\_fund
https://app.dealroom.co/investors/neo\_investment\_partners
https://app.dealroom.co/investors/arrowgrass
https://app.dealroom.co/companies/htc
https://app.dealroom.co/companies/nestl\_health\_science
https://app.dealroom.co/investors/health\_for\_life\_capital
https://app.dealroom.co/investors/moira\_capital\_partners
https://app.dealroom.co/companies/bristol\_myers\_squibb
https://app.dealroom.co/companies/bank\_of\_china
https://app.dealroom.co/investors/lyfe\_capital
https://app.dealroom.co/companies/fort\_knox\_f\_rvaring
https://app.dealroom.co/investors/enso\_ventures\_1
https://app.dealroom.co/companies/lsl\_property\_services
https://app.dealroom.co/investors/bundeep\_singh\_rangar
https://app.dealroom.co/investors/rubicon\_vc
https://app.dealroom.co/investors/braemar\_energy\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/thomvest\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/david\_rowan
https://app.dealroom.co/investors/quadrille\_capital
https://app.dealroom.co/investors/victor\_amp\_victor
https://app.dealroom.co/investors/daniel\_pilotti
https://app.dealroom.co/investors/troy\_collins
https://app.dealroom.co/investors/julien\_codorniou\_1
https://app.dealroom.co/investors/sib\_innovations\_und\_beteiligungsgesellschaft\_mbh
https://app.dealroom.co/investors/horizonx
https://app.dealroom.co/investors/ptb\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/nightdragon\_security
https://app.dealroom.co/companies/bae\_systems
https://app.dealroom.co/companies/rolls\_royce\_1
https://app.dealroom.co/companies/ventureclub
https://app.dealroom.co/investors/dhs\_venture\_partners
https://app.dealroom.co/companies/china\_camel\_group
https://app.dealroom.co/investors/christopher\_spray
https://app.dealroom.co/investors/alex\_saint
https://app.dealroom.co/investors/sergey\_solonin
https://app.dealroom.co/companies/adesso
https://app.dealroom.co/investors/triton
https://app.dealroom.co/investors/bonventure
https://app.dealroom.co/investors/vector\_venture\_capital
https://app.dealroom.co/investors/hig\_capital
https://app.dealroom.co/companies/syngenta
https://app.dealroom.co/companies/investoo
https://app.dealroom.co/investors/natixis
https://app.dealroom.co/companies/zurich\_insurance\_group
https://app.dealroom.co/investors/scania\_growth\_capital
https://app.dealroom.co/companies/paradox\_interactive
https://app.dealroom.co/investors/isabella\_l\_wengrip
https://app.dealroom.co/companies/stillfront
https://app.dealroom.co/investors/mirach\_capital\_group
https://app.dealroom.co/investors/athanase
https://app.dealroom.co/investors/aleph
https://app.dealroom.co/investors/slow\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/ibex\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/alychlo
https://app.dealroom.co/companies/nationwide\_insurance
https://app.dealroom.co/investors/svc
https://app.dealroom.co/companies/genextra
https://app.dealroom.co/investors/reinvent
https://app.dealroom.co/investors/next\_world\_capital
https://app.dealroom.co/investors/la\_bolsa\_social
https://app.dealroom.co/investors/fredrik\_wester
https://app.dealroom.co/investors/mehrdad\_piroozram
https://app.dealroom.co/companies/nex\_opportunities
https://app.dealroom.co/investors/club\_invest\_idf
https://app.dealroom.co/investors/middleton\_enterprises
https://app.dealroom.co/investors/some\_random\_vc
https://app.dealroom.co/companies/awin
https://app.dealroom.co/investors/ming\_capital
https://app.dealroom.co/investors/careventures
https://app.dealroom.co/investors/swiss\_priv\_e
https://app.dealroom.co/companies/psn
https://app.dealroom.co/investors/all\_iron\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/thomas\_hoegh
https://app.dealroom.co/investors/clive\_cowdery
https://app.dealroom.co/companies/recruit\_holdings
https://app.dealroom.co/companies/zynga
https://app.dealroom.co/investors/laurent\_dassault
https://app.dealroom.co/investors/jadeberg\_partners
https://app.dealroom.co/investors/red\_sea\_ventures
https://app.dealroom.co/companies/siemens\_technology\_accelerator
https://app.dealroom.co/investors/courtin\_investment
https://app.dealroom.co/investors/sos\_ventures
https://app.dealroom.co/companies/zendesk
https://app.dealroom.co/companies/jobcloud
https://app.dealroom.co/companies/at\_t
https://app.dealroom.co/investors/marius\_nacht
https://app.dealroom.co/investors/california\_technology\_ventures
https://app.dealroom.co/companies/clas\_ohlson
https://app.dealroom.co/companies/ulule
https://app.dealroom.co/investors/turn8
https://app.dealroom.co/investors/escalate\_capital\_partners
https://app.dealroom.co/investors/pengpai
https://app.dealroom.co/investors/eurekap\_
https://app.dealroom.co/investors/helea\_financiere
https://app.dealroom.co/companies/nws\_holdings
https://app.dealroom.co/investors/venrock
https://app.dealroom.co/companies/elior\_group
https://app.dealroom.co/investors/sts\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/alsace\_business\_angels
https://app.dealroom.co/investors/boost\_vc
https://app.dealroom.co/investors/tandem\_capital
https://app.dealroom.co/investors/bourgogne\_angels
https://app.dealroom.co/investors/evonik\_venture\_capital\_gmbh
https://app.dealroom.co/companies/rostelecom
https://app.dealroom.co/companies/telenet\_holding
https://app.dealroom.co/companies/mairdumont
https://app.dealroom.co/companies/here
https://app.dealroom.co/companies/bestseller
https://app.dealroom.co/companies/secret\_escapes
https://app.dealroom.co/companies/sony
https://app.dealroom.co/investors/polaris\_private\_equity
https://app.dealroom.co/companies/blablacar
https://app.dealroom.co/companies/trimble
https://app.dealroom.co/companies/adidas
https://app.dealroom.co/companies/atlas\_copco
https://app.dealroom.co/companies/bmw\_group
https://app.dealroom.co/investors/npm\_capital
https://app.dealroom.co/investors/parcom\_capital
https://app.dealroom.co/investors/mentha\_capital
https://app.dealroom.co/investors/nom
https://app.dealroom.co/companies/starbreeze\_studios
https://app.dealroom.co/investors/ban\_vlaanderen
https://app.dealroom.co/investors/mark\_pincus
https://app.dealroom.co/investors/rikard\_steiber
https://app.dealroom.co/investors/mons\_investments
https://app.dealroom.co/investors/sundt\_as
https://app.dealroom.co/investors/stokke\_industri
https://app.dealroom.co/investors/str\_mstangen
https://app.dealroom.co/investors/arctic\_fund\_management
https://app.dealroom.co/companies/startx
https://app.dealroom.co/investors/samir\_desai
https://app.dealroom.co/investors/\_stersj\_stiftelsen
https://app.dealroom.co/companies/fonterra\_co\_operative\_group
https://app.dealroom.co/investors/big\_ban\_angels
https://app.dealroom.co/investors/evoco
https://app.dealroom.co/investors/headway\_capital\_partners
https://app.dealroom.co/investors/keyhaven\_capital\_partners
https://app.dealroom.co/investors/future\_planet\_capital
https://app.dealroom.co/companies/nanogate
https://app.dealroom.co/companies/plastic\_omnium
https://app.dealroom.co/investors/christophe\_chausson
https://app.dealroom.co/investors/anton\_antich
https://app.dealroom.co/investors/elevator
https://app.dealroom.co/investors/praetura\_capital\_llp
https://app.dealroom.co/investors/apadmi\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/groupe\_paul\_bocuse
https://app.dealroom.co/investors/i2bf\_global\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/signalfire
https://app.dealroom.co/investors/j\_p\_morgan
https://app.dealroom.co/companies/avast\_software\_a\_s
https://app.dealroom.co/companies/cellcom\_israel
https://app.dealroom.co/companies/fiege\_logistics
https://app.dealroom.co/investors/james\_mullen
https://app.dealroom.co/investors/nano\_future\_invest
https://app.dealroom.co/investors/mayfair\_equity\_partners
https://app.dealroom.co/investors/amplo
https://app.dealroom.co/investors/icebreaker\_vc
https://app.dealroom.co/investors/sham
https://app.dealroom.co/investors/european\_life\_sciences\_growth\_fund
https://app.dealroom.co/investors/cathay\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/pivotal\_bioventures\_partners
https://app.dealroom.co/investors/bay\_city\_capital
https://app.dealroom.co/investors/mi\_care\_s\_a\_
https://app.dealroom.co/investors/sham\_innovation\_sant\_turenne
https://app.dealroom.co/investors/sofipaca
https://app.dealroom.co/companies/silfurberg
https://app.dealroom.co/investors/giuseppe\_donagemma\_1
https://app.dealroom.co/investors/jonathan\_weiner
https://app.dealroom.co/investors/ray\_iglesias\_iii
https://app.dealroom.co/investors/nicolas\_carbonari
https://app.dealroom.co/investors/christophe\_navarre
https://app.dealroom.co/investors/tom\_valentine
https://app.dealroom.co/investors/scp\_neptune\_international
https://app.dealroom.co/investors/red\_circle\_investment
https://app.dealroom.co/investors/vivo\_capital
https://app.dealroom.co/investors/rakuten\_capital
https://app.dealroom.co/investors/gr\_capital
https://app.dealroom.co/investors/7percent
https://app.dealroom.co/investors/8vc
https://app.dealroom.co/investors/tom\_valentine
https://app.dealroom.co/investors/skagen
https://app.dealroom.co/investors/shasta\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/jne\_invest
https://app.dealroom.co/investors/jordi\_ber
https://app.dealroom.co/investors/walerud\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/demetrios\_zoppos
https://app.dealroom.co/investors/true\_
https://app.dealroom.co/investors/cita\_investissement
https://app.dealroom.co/investors/seed4soft
https://app.dealroom.co/investors/hessen\_kapital
https://app.dealroom.co/companies/maxhealth\_medicine\_group
https://app.dealroom.co/investors/peter\_brabeck\_letmathe
https://app.dealroom.co/investors/arkady\_volozh
https://app.dealroom.co/investors/pierangelo\_bottinelli
https://app.dealroom.co/investors/philippe\_glatz
https://app.dealroom.co/investors/jean\_bernard\_1
https://app.dealroom.co/investors/nelson\_dumas
https://app.dealroom.co/investors/magnus\_emilson
https://app.dealroom.co/investors/tony\_fadell
https://app.dealroom.co/investors/romain\_afflelou
https://app.dealroom.co/investors/cl\_ment\_benoit\_1
https://app.dealroom.co/investors/cultivian\_sandbox\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/global\_health\_science\_fund
https://app.dealroom.co/companies/ferrer
https://app.dealroom.co/companies/deutsche\_telemedien
https://app.dealroom.co/investors/andrew\_black
https://app.dealroom.co/investors/henderson\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/vintage\_investment\_partners
https://app.dealroom.co/investors/qumra\_capital
https://app.dealroom.co/investors/peter\_sands
https://app.dealroom.co/investors/eilert\_hanoa
https://app.dealroom.co/investors/the\_kairo\_society
https://app.dealroom.co/investors/guinness\_asset\_management
https://app.dealroom.co/investors/foundation\_fighting\_blindness\_clinical\_research\_institute\_ffb\_cri\_
https://app.dealroom.co/investors/see\_amp\_entender\_foundation\_fve\_
https://app.dealroom.co/investors/andrew\_mullinger
https://app.dealroom.co/investors/impact\_ventures\_llp
https://app.dealroom.co/investors/lanai\_partners
https://app.dealroom.co/investors/bullpen\_capital
https://app.dealroom.co/investors/ird\_group
https://app.dealroom.co/investors/deca\_investments
https://app.dealroom.co/investors/undi\_private\_equity
https://app.dealroom.co/investors/vgo\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/cemag\_invest
https://app.dealroom.co/investors/black\_toro\_capital
https://app.dealroom.co/companies/kmre\_group
https://app.dealroom.co/investors/nami\_zarringhalam
https://app.dealroom.co/companies/sygnature\_discovery
https://app.dealroom.co/companies/imagine\_institute
https://app.dealroom.co/investors/cme\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/gobi\_partners
https://app.dealroom.co/investors/date\_invest
https://app.dealroom.co/investors/tiin\_techfund\_3
https://app.dealroom.co/investors/bertrand\_diard\_1
https://app.dealroom.co/investors/transdev
https://app.dealroom.co/investors/denso\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/veho\_fi
https://app.dealroom.co/companies/aioi\_nissay\_dowa
https://app.dealroom.co/companies/karsan
https://app.dealroom.co/companies/swiftcom
https://app.dealroom.co/companies/nordnet\_bank\_ab
https://app.dealroom.co/investors/pontos\_group
https://app.dealroom.co/investors/jaakko\_ollila
https://app.dealroom.co/investors/julien\_leroy
https://app.dealroom.co/companies/agfa\_healthcare\_e\_s
https://app.dealroom.co/investors/dnb\_norway
https://app.dealroom.co/investors/rainer\_marc\_frey
https://app.dealroom.co/investors/philipp\_cottier
https://app.dealroom.co/investors/javier\_etxebeste
https://app.dealroom.co/investors/investor\_growth\_capital
https://app.dealroom.co/investors/dsg\_consumer\_partners
https://app.dealroom.co/investors/onset\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/mexico\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/morningside\_venture\_capital
https://app.dealroom.co/investors/droia\_oncology\_ventures
https://app.dealroom.co/investors/gate\_93
https://app.dealroom.co/investors/modara\_technologies
https://app.dealroom.co/investors/gaw\_capital
https://app.dealroom.co/companies/sansiri
https://app.dealroom.co/companies/bkk
https://app.dealroom.co/investors/banco\_bni\_europa
https://app.dealroom.co/investors/juli\_n\_l\_pez\_zaballos
https://app.dealroom.co/investors/pontus\_jansson
https://app.dealroom.co/investors/robin\_olsen
https://app.dealroom.co/investors/compound
https://app.dealroom.co/investors/female\_founders\_fund
https://app.dealroom.co/investors/b\_y\_venture\_partners
https://app.dealroom.co/investors/french\_partners
https://app.dealroom.co/investors/tord\_wingren
https://app.dealroom.co/investors/bigbang\_angels
https://app.dealroom.co/investors/extens
https://app.dealroom.co/companies/ethereum
https://app.dealroom.co/investors/pamela\_patsley
https://app.dealroom.co/investors/finparx
https://app.dealroom.co/companies/oddo\_cie
https://app.dealroom.co/investors/venrex\_investment\_management
https://app.dealroom.co/investors/georg\_b\_rtlein
https://app.dealroom.co/investors/softbank\_ventures\_korea
https://app.dealroom.co/investors/livanova
https://app.dealroom.co/investors/peakspan\_capital
submitted by Quippykisset to peaceCorpsCoding [link] [comments]


2020.02.05 19:51 altovaliriano Aço valiriano nascido do ferro

No capítulo de Aeron Greyjoy em Os Ventos do Inverno, ficamos sabendo que Euron Olho de Corvo adquiriu durante o exílio uma peça de armadura inexistente nos Sete Reinos:
Euron Olho de Corvo estava em pé no convés do Silêncio, vestido em uma armadura negra de escamas como nada que Aeron houvesse visto antes. Era escura como fumaça, mas Euron a vestia tão facilmente como se fosse a mais fina seda. As escamas eram contornadas com ouro vermelho, e cintilavam e brilhavam quando se mexiam. Padrões podiam ser vistos dentro do metal, espirais e glifos e símbolos arcanos dobrados no aço.
Aço valiriano, soube o Cabelo-Molhado. A armadura dele é de aço valiriano. Em todos os Sete Reinos, nenhum homem possuía uma veste de aço valiriano. Coisas como essa haviam sido conhecidas 400 anos antes, nos dias antes da Perdição, mas mesmo então, teriam custado um reino.
Euron não mentiu. Ele esteve em Valíria. Não era surpresa que ele era louco.
(TWOW, O Abandonado)
Sem que Euron fale coisa alguma sobre a armadura que está vestindo, Aeron começa a tirar conclusões. Consequentemente, o fandom começou também a tirar conclusões quando o capítulo surgiu em 2016.
Como era a primeira menção a uma armadura de aço valiriano em toda a história de Westeros (até onde sabemos, nem Aegon, o Conquistador, tinha uma), muitos viram aí a confirmação de que Olho de Corvo havia realmente visitado Valíria.
Entretanto, nós já temos evidências de que Euron está mentindo (ou ao menos não está contando toda a verdade). Quando Olho de Corvo se gabou de ter caminhado sobre Valíria bastou que um dos mais cultos homens das Ilhas de Ferro levantasse dúvidas sobre suas palavras para que Euron ficasse sem reação:
Um sorriso brincou nos lábios azuis de Euron.
– Eu sou a tempestade, senhor. A primeira e a última. Levei Silêncio em viagens mais longas do que esta, e em viagens muito mais perigosas. Esquece-se? Naveguei pelo Mar Fumegante e vi Valíria.
Todos os presentes sabiam que a Destruição ainda reinava em Valíria. Ali, o próprio mar fervia e fumegava, e a terra fora invadida por demônios. Dizia-se que qualquer marinheiro que sequer vislumbrasse as montanhas de fogo de Valíria erguendo-se acima das ondas sofreria em breve uma morte terrível, e, no entanto, Olho de Corvo estivera lá e regressara.
– Ah, viu? – perguntou o Leitor, muito suavemente.
O sorriso azul de Euron eclipsou-se.
– Leitor – Euron falou em meio ao silêncio –, faria melhor se mantivesse o nariz em seus livros.
Victarion conseguia sentir o constrangimento no salão.
(AFFC, O Pirata)
Por outro lado, Euron declarou que o Atador de Dragões teria vindo de Valíria:
Aquele berrante que ouviram encontrei entre as ruínas fumegantes daquilo que foi Valíria, por onde nenhum homem, exceto eu, se atreveu a caminhar.
(AFFC, O Capitão de Ferro)
... entretanto, o aplicativo oficial para smartphone (uma fonte semi-canônica) afirma que, na verdade, Euron roubou o berrante dos magos qarthenos [warlocks, no original em inglês] que mantem como escravos:
Os magos liderados por Pyat Pree tentar encontrar e vingarem-se de Daenerys, mas seu navio é tomado por Euron Greyjoy, que rouba deles o suposto berrante valiriano atador de dragões e os toma como escravos.
(APP, Qarth – tradução minha)
Por esta razão, a armadura de aço valiriano também poderia ser algo que Euron roubou dos warlocks de Pyat Pree.
Não consigo entender, entretanto, porque Euron não a teria usado durante a assembleia de homens livres ou durante o banquete em Escudorrobles, haja vista que isso aumentaria seu status e poderia dar mais crédito a sua história de que andou sobre Valíria. Talvez Euron achasse que isso ela poderia despertar a cobiça dos outros homens de ferro e temeu por sua segurança em meio a tantos piratas. Vai saber.
Porém, retornando à questão da origem, Qarth e Valíria não são as únicas possibilidades de origem da armadura. “O Mundo de Gelo e Fogo” abriu bastante as possibilidades quando tratou das Ilhas do Verão e de Sothoryos.
Com efeito, Yandel cita as ilhas do Verão como importadores de metais de Valíria:
[...] em menos de meio século, um próspero comércio crescera entre as Ilhas do Verão e a Cidade Franca de Valíria. As ilhas precisavam de ferro, estanho e outros metais, mas eram ricas em pedras preciosas (esmeraldas, rubis e safiras, além de pérolas de muitos tipos), especiarias (noz-moscada, canela, pimenta), e madeiras de lei. Uma moda se desenvolveu entre os senhores de dragões, que queriam macacos, primatas, filhotes de onça e papagaios. Teca, ébano, mogno, pau roxo, mahoe azul, cardos, aratanhas, amagodouros, marfim rosa e outras madeiras raras e preciosas também tinham muita demanda, juntamente com vinho de palma, frutas e penas.
(TWOIAF, Além das Cidades Livres: as ilhas do Verão)
Este pequeno detalhe evidencia que as Ilhas do Verão, neste intenso comércio com a Cidade Franca, pode ter adquirido muitos artefatos preciosos. E temos indicação de que Euron pode ter saqueado a capital e levado este bens consigo, assumindo que ele seja o novo Rei Corsário das notícias que chegam a Westeros:
Um novo rei corsário ascendera nas Ilhas Basilisco e atacara a Vila das Árvores Altas
(AFFC, A Fazedora de Rainhas)
Entretanto, há duas complicações aqui. A primeira é o valor da armadura. Aeron estima que tal armadura deve ser quase inestimável, custando um reino inteiro. Outro problema é que os Ilhéus do Verão são conhecidos por serem um povo pacífico.
Mas essas duas complicações podem ser respondidas com informações dadas por outras fontes.
A questão do preço deve ser relativizada. Aeron está estimando seu valor nos tempos após a Perdição de Valíria. Ainda que Martin afirme que artefatos de aço valiriano fossem caras mesmo antes da Perdição, o preço atual é astronômico.
A questão da pacificidade dos Ilhéus do Verão pode encontrar a resposta nos chamados “Anos da Vergonha” ou no período imediatamente posterior, das Guerras lideradas por Xanda Qo:
Os valirianos ofereciam ouro por escravos também. Naquela época, como agora, os ilhéus do Verão eram um povo bonito, alto, forte, gracioso e rápido em aprender. Essas qualidades atraíam piratas e traficantes de escravos de Valíria, das Ilhas Basilisco e da Velha Ghis. Muita aflição se seguiu quando esses saqueadores chegaram às aldeias pacíficas para levar seus habitantes para a escravidão. Por um tempo, os príncipes das ilhas auxiliaram esse comércio, vendendo inimigos capturados e rivais para os traficantes.
As histórias entalhadas nas Árvores Falantes nos contam que esses ―Anos da Vergonha‖ duraram grande parte de dois séculos, até que uma guerreira chamada Xanda Qo, princesa do Vale da Lótus Doce (que fora escravizada por um tempo), uniu todas as ilhas sob seu governo e colocou um fim nisso.
Como o ferro era escasso e caro nas ilhas, as armaduras eram pouco conhecidas, e as lanças longas de arremesso e as curtas de apunhalar tradicionais entre os ilhéus do Verão provaram ter pouco valor contra as espadas e machados de aço dos traficantes de escravos. Então Xanda Qo armou seus marinheiros com arcos compridos de amagodouro, uma madeira encontrada apenas em Jhala e em Omboru. Esses grandes arcos eram muito superiores aos arcos recurvados de chifres e tendões que os traficantes usavam, e podiam atirar uma flecha de um metro,com força suficiente para perfurar a cota de malha, o couro cozido, e até mesmo uma boa placa de aço.
(TWOIAF, Além das Cidades Livres: as ilhas do Verão)
Vê-se no trecho acima que traficantes de escravos alimentaram guerras internas entre os nativos das ilhas, que posteriormente se uniram sob o comando de Xanda para guerrar contra os próprios traficantes. Então, existiram períodos de guerra intensa nas Ilhas, sendo que a questão das armaduras foram muito citadas.
Assim, algumas possibilidades se abrem para que uma armadura de Aço Valiriano tenha chegado às Ilhas:
  1. Explicação mediana: Um traficante nativo das ilhas pode ter enriquecido o suficiente para comprar uma (ou ter recebido de presente de seu parceiro comercial valiriano) e ter uma vantagem colossal sobre os inimigos;
  2. Explicação fraca: Xanda Qo pode ter adquirido junto a valirianos sem ligação com o comércio de escravos para poder enfrentar os saqueadores;
  3. Explicação mais sólida: Diante do poder dos arcos dos ilhéus de Xanda, algum valiriano mais ousado pode ter preferido usar uma armadura que resistisse às suas felchas, mas acabou morto de outro modo e sua armadura foi saqueada pelos ilhéus do verão.
Outro lugar de onde Euron poderia ter encontrado a armadura de aço valiriano seria em Sothoryos, em alguma antiga colônia valiriana. As chances em Zamettar seriam consideravelmente maiores, haja vista que foi a colônia valiriana mais duradoura no continente:
A Cidade Franca de Valíria estabeleceu colônias três vezes na Ponta Basilisco: a primeira foi destruída pelos Homens Tigrados, a segunda foi perdida para a praga, e a terceira foi abandonada quando os senhores de dragões capturaram Zamettar na Quarta Guerra Ghiscari.
[...]
Colônias estabelecidas aqui murcham e morrem; só Zamettar perdurou por mais que uma geração, e hoje até aquela anteriormente grande cidade é uma ruína assombrada, lentamente sendo reivindicada pela selva. Traficantes de escravos, mercadores e caçadores de tesouros visitaram Sothoros ao longo dos séculos, mas só o mais ousado deles já se aventurou além de suas guarnições costeiras e enclaves para explorar os mistérios do vasto interior do continente. Aqueles que ousaram se aventurar dentro do verde nunca mais foram vistos.
[...]
riquezas escondidas entre as selvas, pântanos e taciturnos rios banhados pelo sol do sul, sem dúvida, mas, para cada homem que encontra ouro, pérolas ou especiarias preciosas, há uma centena que encontra apenas a morte. Os corsários das Ilhas Basilisco atacam esses assentamentos, levando cativos que serão mantidos confinados em Garra ou na Ilha das Lágrimas antes de serem vendidos para os mercados de carne da Baía dos Escravos, ou para as casas de prazer e jardins de prazer de Lys.
(TWOIAF, Além das Cidades Livres, Sothoros)
Se assumirmos que Euron é realmente o rei corsário ascendera nas Ilhas Basilisco, devemos analisar que tanto as Ilhas Basilisco quanto Sothoryos eram locais onde alguém poderia encontrar antigos artefatos valirianos abandonados. A cidade de Gogossos, por exemplo, era especialmente antiga e prosperou muito depois da perdição, o que indica que suas riquezas em “escravos e feitiçaria” podem ter relação com antigos segredos valirianos (como o aço valiriano):
Fundada pelo Antigo Império de Ghis, foi conhecida como Gorgai por quase dois séculos (talvez quatro; há certa disputa), até que os senhores de dragões de Valíria a capturaram durante a Terceira Guerra Ghiscari e a renomearam como Gogossos.
Qualquer que fosse o nome, era um lugar perverso. Os senhores dos dragões mandaram seus piores criminosos para a Ilha das Lágrimas para uma vida de trabalhos forçados. Nos calabouços de Gogossos, torturadores concebiam novos tormentos. Nas arenas de carne, feitiçaria de sangue do tipo mais negro era praticada, enquanto animais eram cruzados com escravas para dar à luz crianças deformadas meio-humanas. A infâmia de Gogossos sobreviveu até à Perdição.
Durante o Século de Sangue, essa cidade negra ficou rica e poderosa. Alguns a chamavam de Décima Cidade Livre, mas sua riqueza era construída com escravos e feitiçaria. Seus mercados de escravos se tornaram tão notórios quanto os das antigas cidades ghiscari na Baía dos Escravos. Dizem que setenta e sete anos depois da Perdição de Valíria, no entanto, seu fedor alcançou as narinas dos deuses, e uma terrível praga emergiu dos poços de escravos em Gogossos.
(TWOIAF, Além das Cidades Livres: As ilhas Basilisco)
Meistre Yandel continua narrando como mesmo depois desta praga (Morte Vermelha), os corsários eventualmente retornaram a Gogossos, de modo que Euron pode ter sido um deles no passado recente das Crônicas de Gelo e Fogo. A partir de lá, Olho de Corvo poderia ter encontrado sua cota de escamas em meios às ruínas das colônias valirianas tanto nas ilhas, quanto em Sothoryos.

O que vocês acham? Têm algum palpite de outra forma que Euron poderia ter empregado para adquirir a armadura? Acreditam que ele a conseguiu andando pelas ruínas de Valíria?
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.02.04 18:30 him_x 2. Código Limpio: Nombres con sentido

Es probable que todos sepamos en teoría la importancia de los nombres en variables, funciones, clases, archivos y así sucesivamente, sin embargo, si se supone que todos conocemos la importancia de los nombres al programar ¿Por qué muchas veces nos encontramos con variables, funciones o clases cuya razón de ser resulta tan difícil de inferir sólo con ver su nombre?
No deberíamos tener miedo de cambiar nombres cuando se nos ocurre que podríamos nombrar mejor una variable, función o clase, es un proceso correcto dentro del desarrollo. Muchas veces me ha pasado y quizás muchos se sientan identificados con esto también, que entras a un bloque de código con variables que tienen nombres extrañamente similares y al final no terminas de entender exactamente qué guarda cada variable, por lo que es necesario releer el código varias veces hasta que tengamos todo el panorama completo en la cabeza, esto significa una sobrecarga cognitiva para nosotros cuando tenemos que leer un código para modificarlo, ya sea para añadir una nueva funcionalidad o para corregir un error.

El nombre de una variable, función o clase debe responder a una serie de cuestiones básicas. Debe indicar por qué existe, qué hace y cómo se usa. Si un nombre requiere un comentario, significa que no revela su cometido.
int d; // tiempo transcurrido en días 
El nombre d no revela nada. No evoca una sensación de tiempo transcurrido, ni de días. Debe elegir un nombre que especifique lo que se mide y la unidad de dicha medida.
A continuación muestro unos ejemplos de nombres de variable en inglés, tomados del libro de Robert C Martin, si esto va contra las reglas de la comunidad por favor comentarlo y los traduciré:
int elapsedTimeInDays; int daysSinceCreation; int daysSinceModification; int fileAgeInDays; 
La elección de nombres que revelen intenciones facilita considerablemente la comprensión y la modificación del código. ¿Para qué sirve el siguiente código?
public List getThem() { List list1 = new ArrayList(); for (int[] x : theList) { if (x[0] == 4) list1.add(x); } return list1; } 
¿Por qué es complicado saber la función de este código? No hay expresiones complejas. Los espacios y el sangrado son razonables. Sólo hay tres variables y dos constantes. Ni siquiera contiene clases complejas o métodos polimórficos, sólo una lista de matrices (O eso parece).
El problema no es la simplicidad del código sino su carácter implícito: el grado en el que el contexto no es explicito en el propio código requiere que sepamos las respuestas a las siguientes preguntas:
  1. ¿Qué contiene theList?
  2. ¿Qué significado tiene el subíndice cero de un elemento de theList?
  3. ¿Qué importancia tiene el valor 4?
  4. ¿Cómo se usa la lista devuelta?
Las respuestas a estas preguntas no se encuentran en el código pero se podrían haber incluido. Imagine que trabaja en un juego de buscar minas. El tablero es una lista de celdas llamada theList. Cambiemos el nombre por gameBoard. Cada celda del tablero se representa por medio de una matríz. El subíndice cero es la ubicación de un valor de estado que, cuando es 4, significa que se ha marcado. Al asignar nombres a estos conceptos mejoramos considerablemente el código:
public List getFlaggedCells() { List flaggedCells = new ArrayList(); for (int[] cell : gameBoard) { if (cell[STATUS_VALUE] == FLAGGED) flaggedCells.add(cell); } return flaggedCells; } 
La simplicidad del código no ha cambiado. Sigue teniendo los mismos operadores y constantes y el mismo número de niveles anidados, pero ahora es mucho más explicito. Podemos crear una sencilla clase para celdas en lugar de usar una matriz de elementos int. Puede incluir una función que revele el objetivo (Con el nombre isFlagged) para ocultar los números. El resultado es una nueva versión de la función:
public List getFlaggedCells() { List flaggedCells = new ArrayList(); for (Cell cell : gameBoard) { if (cell.isFlagged()) flaggedCells.add(cell); } return flaggedCells; } 
Con estos sencillos cambios de nombre, es fácil saber qué sucede. Es la ventaja de seleccionar nombres adecuados.
Creo que lo citado anteriormente es bastante ilustrativo. En mi experiencia propia, cierta ocasión trabajé con un grupo de desarrollo que abusaba en exceso de "constantes sin nombre":
if (factura.estadoFactura == 4) 
Algo que resulta terriblemente confuso a no ser que se tenga un conocimiento profundo sobre la base de datos que se está trabajando y dificulta el aprendizaje y la lectura de código de los programadores nuevos que llegan al proyecto. Por mi parte, siempre declaraba una constante en el modelo pertinente en estos casos
ESTADO_FACTURA_CANCELADA = 4; 
Para luego llamar en el código:
if (factura.estadoFactura == ESTADO_FACTURA_CANCELADA) 
En el lugar donde trabajaba antes se programaba en español, la manera de trabajar y dar formato al código debe ser elegida de mutuo acuerdo por el equipo, más adelante haré un post al respecto.
Es muy importante evitar desinformar a la hora de escribir nuestro código. Probablemente hayan visto un compañero o ustedes mismos lo hayan hecho alguna vez, tienen un grupo de variables que pertenecen a un concepto común y lo que hacen comenzar a enumerar las variables:
int valorFactura1; int valorFactura2; 
Al no tener un concepto claro de la diferencia entre una variable y otra seguramente tendremos que leer todo el código para entenderlo, ejecutar el script varias veces e imprimir su resultado ¡sólo para saber la diferencia entre una variables y otra!

Los nombres de series numéricas (a1, a2, ... aN) son lo contratrio a los nombres intencionados. No desinforman, simplemente no ofrecen información; son una pista sobre la intención del autor. Fíjise en lo siguiente:
public static void copyChars(char a1[], char a2[]) for (int i = 0; i < a1.length; i++) { a2[i] = a1[i]; } } 
Esta función se lee mejor cuando se usan source y destination como nombres de argumentos.
También están las reglas generales de las que se habla más a menudo como por ejemplo nombrar los métodos como verbos postPayment, deletePage o save. Los métodos de acceso, de modificación y los predicados deben tener como nombre su valor y usar como prefijo get, set e is de acuerdo al estandar de javabean.
El tema puede ser ampliado mucho más, sin embargo por ahora creo que se han dejado claros ciertos puntos, si alguien desea que se hable más del tema lo haré con gusto.
Hasta el próximo post.
-------------------------------------------------
Todo lo escrito en este post es mi interpretación de partes del libro "Clean Code" del autor "Robert C. Martin", recomiendo leer al autor para ampliar el conocimiento y los conceptos.
Todas las citas son tomadas textualmente del libro "Clean Code".
submitted by him_x to programacion [link] [comments]


2020.01.25 12:34 leonardoso Criador de luva que fez João Carlos Martins voltar ao piano conta que invenção era para 'brincadeira em casa' e cita teimosia por perfeição

Criador de luva que fez João Carlos Martins voltar ao piano conta que invenção era para 'brincadeira em casa' e cita teimosia por perfeição submitted by leonardoso to brasil [link] [comments]


2020.01.20 17:11 MacCohen Le fonti del Libro di Mormon

Crescendo in chiesa ho sempre sentito e letto che il libro di Mormon era un esempio di letteratura ebraica e che sarebbe stato impossibile per Joseph Smith scriverlo. Con lo studio e il tempo sono però giunto alla conclusione che queste rivendicazioni avrebbero potuto essere vere solo se lui non avesse letto la Bibbia (da cui trae tutta la sua influenza ebraica) e che anzi il Libro di Mormon dimostra in molti modi come sia nato in una cultura ed un’epoca riconducibili agli Stati Uniti della prima metà del 1800.
Mark Twain ebbe l’occasione di leggere il Libro di Mormon durante un viaggio attraverso lo Utah nel 1861 e scrisse nel suo stile caustico che “Il libro non sembra altro che una prolissa cronaca immaginaria sulla falsariga del Vecchio Testamento, seguita da un tedioso plagio del Nuovo. L’autore si è dato una gran pena per infondere al suo linguaggio gli echi remoti e il ritmo inconfondibile della traduzione di Re Giacomo, e il risultato è un ibrido: una prosa per metà moderna e spigliata, e per metà scarna, arcaica e solenne. La prima è più spontanea, ma il contrasto con la seconda, faticosa e innaturale, le dà un che di grottesco. Ogni volta che Smith trovava il proprio stile troppo attuale – più o meno ogni due frasi – ci ficcava dentro un paio di locuzioni biblicheggianti come “Or avvenne che” o “In capo di alquanto tempo”, e sistemava tutto. Senza gli “Or avvenne che”, il suo intercalare preferito, questa Bibbia sarebbe rimasta un comunissimo pamphlet.” (In cerca di guai, 1872)
Oltre a far notare il linguaggio ispirato alla Bibbia del re Giacomo, che riprende uno stile letterario popolare negli Stati Uniti dal 1770 al 1830 (cfr. First Book of Napoleon e The Late War Between the United States and Great Britain, che presentano diverse espressioni identiche a quelle contenute nel Libro di Mormon che non ci sono nella Bibbia), Mark Twain rimarca che anche la trama ha elementi comuni alla Bibbia.
Fra le somiglianze c'è qualche episodio che mi ha sempre dato da pensare:
Ether 8 Marco 6
11 Ed ora, Omer era amico di Achish; pertanto, quando Giared ebbe mandato a chiamare Achish, la figlia di Giared danzò dinanzi a lui, cosicché gli piacque, tanto che egli la volle in moglie. E avvenne che egli disse a Giared: Dammela in moglie. 12 E Giared gli disse: Te la darò se mi porterai la testa di mio padre, il re. 22 La figliuola della stessa Erodiada essendo entrata, ballò e piacque ad Erode ed ai commensali. E il re disse alla fanciulla: Chiedimi quello che vuoi e te lo darò. 23 E le giurò: Ti darò quel che mi chiederai; fino alla metà del mio regno. 24 Costei, uscita, domandò a sua madre: «Che chiederò?» E quella le disse: «La testa di Giovanni Battista».
Alma 18 Giovanni 1
13 E uno dei servi del re gli disse: Rabbana, che interpretato significa potente o grande re; pensando che i re debbano essere potenti; e gli disse così: Rabbana, il re desidera che tu rimanga 38 E Gesù, voltatosi, e osservando che lo seguivano, domandò loro: Che cercate? Ed essi gli dissero: Rabbì (che, interpretato, vuol dire: Maestro), ove dimori?
Nonostante il Libro di Mormon dica di essere stato scritto dal VI secolo a.C., è costellato di passaggi biblici scritti dopo la conquista babilonese del regno di Giuda, che quindi non erano nelle tavole di Labano: il solo Nefi per esempio cita frequentemente nei suoi due libri il Deutero-Isaia (i capitoli di Isaia a partire dal 40 sono scritti dall’esilio babilonese in poi), Malachia (scritto dopo il ritorno dall’esilio), i quattro Vangeli, Atti, Apocalisse, metà delle lettere paoline (Romani, 1 e 2 Corinzi, Galati, Efesini, 1 Timoteo), Ebrei e 2 Pietro. I successori di Nefi citeranno oltre a questi anche Filippesi, Colossesi, 1 Tessalonicesi, Giacomo, 1 Pietro e 1 Giovanni prima che questi fossero scritti.
Il Libro di Mormon contiene versetti di Marco 16:9-20, un testo non presente nei manoscritti più antichi del Nuovo Testamento ma citato in 2 Nefi 31:14, 3 Nefi 11:33-34, Mormon 9:22-24 ed Ether 4:18. Poi 3 Nefi 13 riprende Matteo 6, ma al versetto 13 conclude la preghiera del Padre Nostro con la frase “Poiché tuo è il regno, e il potere, e la gloria, per sempre. Amen.” Questa si trova nella Bibbia del re Giacomo ma è in realtà un’aggiunta tarda e infatti non la troverete nella vostra Bibbia. Ci sono altri casi in cui il libro di Mormon cita testi spuri dalla re Giacomo, ma voglio restare conciso.
Le citazioni bibliche sono copiate tali e quali dalla Bibbia del re Giacomo, anche quando alcune di queste verranno poi modificate da Smith stesso nella sua Versione Ispirata (per esempio 3 Nefi 13:12, 25-27 e 14:6 sono identici a Matteo 6:13, 25-27 e 7:6 ma nella Versione Ispirata sono diversi). Una traduzione scorretta della Bibbia del re Giacomo porta Smith a parer mio a parlare dell’arco d’acciaio spezzato da Nefi (1 Nefi 16:18), tratta da Salmi 18:34 “He teacheth my hands to war, so that a bow of steel is broken by mine arms”. La traduzione più aggiornata di Luzzi lo rende in “ammaestra le mie mani alla battaglia e le mie braccia tendono un arco di rame” perché il termine originale nehushah in ebraico significa rame o bronzo, ma non acciaio.
I nomi ebraici sono copiati dalla Bibbia (abbiamo addirittura un Timoteo in 3 Nefi 19:4, che però è greco) e Smith arriva a imitare i nomi teoforici ebraici per darsi credibilità (Geremia, Isaia, Elia, Malachia o Zaccaria, composti col suffisso -iah, che indica Geova, ispirano Moroniha, Nefiha, Mathonia, Ammoniha, Cumeniha nel Libro di Mormon). I nomi non biblici invece sono inventati di sana pianta e non seguono l'onomastica ebraica o di qualche popolo precolombiano. I Giarediti, nonostante vivessero molti secoli prima della cultura ebraica, avevano stranamente anche nomi ebraici (Efraim è una collina in Ether 7:9, mentre personaggi chiamati Levi e Aaronne sono presenti nella genealogia di Ether 1:15, 20). La stessa collina di Cumora è secondo me ispirata al nome di Gomorra, che in inglese si pronuncia in modo molto simile.
Il Libro di Mormon è anche pieno di discorsi simili a quelli dei predicatori del secondo grande risveglio. Alexander Campbell, uno dei fondatori del restaurazionismo a cui era legato personalmente Sidney Rigdon, disse dopo aver letto il Libro di Mormon: “Questo profeta Smith, attraverso i suoi occhiali di pietra, ha scritto sulle tavole di Nefi, nel suo Libro di Mormon, ogni errore e quasi tutte le verità discusse nello Stato di New York negli ultimi dieci anni. Egli decide riguardo tutte le grandi controversie -battesimo di bambini, ordinazione, la trinità, rigenerazione, pentimento, giustificazione, la caduta dell’uomo, l’espiazione, transustanziazione, digiuno, penitenza, governo della chiesa, esperienza religiosa, la vocazione al ministero, la resurrezione generale, la punizione eterna, chi può battezzare e perfino la questione della massoneria, del governo repubblicano e i diritti dell’uomo. Ci sono riferimenti ripetuti a tutti questi argomenti. Quanto è benevolo ed intelligente questo apostolo americano, più dei santi dodici, anche aiutati da Paolo! Ha profetizzato su tutti questi argomenti e sull’apostasia e decide, in modo infallibile, con la propria autorità, ogni questione. Com’è facile profetizzare sul passato o sul tempo presente!” (An Analysis of the Book of Mormon, 1832, p. 13) Campbell fa anche notare alle pagine 9-10 dello stesso testo che nel Libro di Mormon ci sono discorsi religiosi antimassonici riguardo alle società segrete (come i ladroni di Gadianton), anch'essi molto comuni all'epoca per via del complottismo di alcune figure religiose e il caso nato dopo la misteriosa scomparsa di William Morgan, nonostante diversi membri della famiglia Smith fossero massoni. Lo stesso Martin Harris riteneva che il Libro di Mormon fosse "la Bibbia antimassonica e che tutti coloro che non ci credono saranno dannati" (Geauga Gazette, 15 marzo 1831)
Lo storico mormone Richard Bushman in un AMA su Reddit del 2015 scrive che “[…] leggendo Alma nel Libro di Mormon, ho iniziato a cercare su Google lunghe frasi dai sermoni e queste apparivano in sermoni nello stesso identico contesto dottrinale. Tutti i discorsi su Gesù nel Libro di Mormon, la sua gloria diremmo, hanno un certo non so che del XIX secolo. Secondo me dovremmo diventare gli esperti di questo materiale e capire cosa ci dice sulla traduzione e la natura del testo." Anche lo scrittore mormone Blake Ostler sostiene che "molte dottrine del Libro di Mormon si spiegano meglio in un contesto teologico del XIX secolo."
Lo stesso re Beniamino che si fa costruire una torre per predicare al popolo che si è disposto in tende rivolte verso di lui (Mosia 2:6-7), riprende i camp meetings del secondo grande risveglio, dove i viaggiatori disponevano l'ingresso delle loro tende davanti alla piattaforma da cui il predicatore parlava.
Che i nativi americani fossero discendenti degli ebrei era un’opinione condivisa da molti nordamericani nel XIX secolo: era in voga il mito dei Moundbuilders (costruttori di tumuli), per cui si sosteneva che i nativi americani non fossero abbastanza avanzati da aver potuto erigere i notevoli tumuli che costellano gli Stati uniti come quelli di Cahokia (Illinois) o Serpent Mound (Ohio), ma che doveva essere stato qualche popolo originario del Vecchio Mondo, magari discendenti delle tribù perdute di Israele, poi caduto nella barbarie o sterminato dagli antenati dei nativi americani. Per fortuna l'archeologia ha smentito da tempo questa leggenda degradante e razzista nei confronti dei nativi. Il concetto è importante anche per View of the Hebrews, un libro del 1823 che secondo il Settanta e assistente storico della Chiesa B. H. Roberts avrebbe potuto ispirare Joseph Smith nella stesura del Libro di Mormon. View of the Hebrews inizia parlando dell’assedio di Gerusalemme da parte di Tito, poi racconta di un gruppo di ebrei che fugge e arriva in America; qui si separano in due fazioni, una civilizzata e repubblicana e una barbarica dedita alla caccia che finirà per distruggere il primo. Si racconta anche di un nativo americano che dice che i suoi antenati avevano sepolto un loro antico libro perché non erano più in grado di leggerlo. View of the Hebrews ha la finalità di spiegare che i nativi americani sono discendenti degli ebrei e che invece di essere sterminati dagli Statunitensi dovrebbero essere convertiti per compiere il raduno di Israele, invocato con molte citazioni tratte da Isaia. (Studies of the Book of Mormon, redatto negli anni ’20 ma pubblicato solo nel 1985)
Il Libro di Mormon e in seguito Joseph Smith in numerose occasioni fanno riferimento alla lingua, alla conoscenza oppure all’astronomia egiziana (Nefi 1:2, Mormon 9:32). La spedizione archeologica sotto Napoleone in Egitto (1799-1801) diede inizio all’egittomania sia in Europa che negli Stati Uniti e Smith dimostrerà molto interesse anche quando comprerà le mummie con i papiri che daranno origine al Libro di Abrahamo e in vari testi in cui sosterrà di conoscere l’egiziano.
Altri eventi del Libro di Mormon vengono dalle esperienze personali di Smith e famiglia, per esempio il sogno di Lehi è ispirato a uno praticamente identico fatto da Joseph Smith Sr:
“Credevo di star viaggiando in un campo aperto e desolato che appariva molto brullo. […] La mia guida, che era al mio fianco come l’altra volta, disse: “Questo è il mondo desolato, ma prosegui.” […] Camminando per un altro breve tratto, giunsi a un sentiero stretto. Imboccai questo sentiero e, dopo averlo percorso per un po’, vidi un bel corso d’acqua che scorreva da est a ovest. Non potevo vedere né la fonte né la fine; ma ovunque arrivassero i miei occhi potevo vedere una fune che correva lungo la sua riva, posta a un’altezza che un uomo poteva raggiungere, e oltre c’era una vallata bassa ma molto piacevole nella quale sorgeva un albero come non ne avevo mai visti prima. Era estremamente bello, tanto che lo contemplai con stupore e meraviglia. I suoi bei rami si allargavano un po’ come un ombrello e reggeva certi frutti molto simili a un riccio di castagno e bianchi come la neve o anche più, se possibile. […] Mi avvicinai e cominciai a mangiarne e lo trovai delizioso oltre ogni descrizione. Mentre mangiavo dissi nel mio cuore: “Non posso mangiarne da solo, devo portare mia moglie e i figli perché possano prenderne parte con me.” Pertanto andai e portai la mia famiglia […] Nel mentre, vidi un edificio spazioso che si ergeva dalla parte opposta della valle nella quale eravamo e sembrava raggiungere il cielo stesso. Era pieno di porte e finestre ed esse erano tutte piene di persone vestite molto lussuosamente. Quando quelle persone ci videro in basso nella pianura, ci puntarono con dita di scherno e ci trattarono in ogni modo irrispettoso e disprezzante. Ma noi ci infischiammo completamente dei loro oltraggi. Poi mi volsi verso la mia guida e gli chiesi il significato del frutto che era tanto delizioso. Egli mi disse che era il puro amore di Dio, riversato nei cuori di tutti coloro che lo amano e osservano i suoi comandamenti. […] chiesi alla mia guida quale fosse il significato dell’edificio spazioso che avevo visto. Rispose “È Babilonia, è Babilonia, e deve cadere. Le persone alle porte e alle finestre sono i suoi abitanti, che scherniscono e disprezzano i Santi di Dio a causa della loro umiltà.” (Lucy Mack Smith, History, 1845, pp. 53-55).
I tesori che sprofondano nella terra e non si riescono più a recuperare, come in Helaman 13:35 e Mormon 1:18, sono la stessa scusa usata da Smith quando cercava tesori nascosti con le sue pietre divinatorie (come testimoniano negli affidavit di Hurlbut molte persone che lo frequentavano). Allo stesso modo, Moroni che protegge le tavole d'oro e che Smith trova con le pietre divinatorie riprende le storie dei cercatori di tesori dell'epoca.
I discorsi di eccezionalismo americano (1 Nefi 2, 13, 22; 2 Nefi 1, 10, Ether 2, 13 e così via) che parlano di come gli USA siano una terra speciale e scelta da Dio su cui non ci saranno re sono significativi, visto che Joseph Smith era nato una generazione dopo la guerra d’indipendenza americana: fa un po’ come Cuore, che era stato scritto per infondere l’amor di patria e la morale nella nuova generazione dell’unità d’Italia. Solomon Mack, nonno materno di Joseph, era un veterano della guerra d'indipendenza. Amici statunitensi, incensando il loro Paese e la sua origine divina, mi fecero realizzare quante somiglianze ci sono fra la versione idealizzata di George Washington (che dichiarò nel 1775 “Abbiamo imbracciato le armi in difesa della nostra libertà, delle nostre proprietà, delle nostre mogli e dei nostri bambini: siamo determinati a conservarle o a morire”, cfr. con Alma 46:12) e il capitano Moroni, che combattono contro gli uomini del re per la propria libertà e i diritti religiosi, idee che appaiono anche in lunghi discorsi politici sia in Nefi che in Alma e che gli Americani più patriottici amano ricordare e citare occasionalmente.
Nel libro sono presenti anche vari vaticinia ex eventu, descrizioni “profetiche” dettagliate di Giovanni Battista (1 Nefi 10:7), Maria (Alma 7:10), apostoli (1 Nefi 11:34), Cristoforo Colombo (1 Nefi 13:12), i Tre Testimoni (Ether 5:4) e anche Joseph Smith stesso (2 Nefi 3:15) incredibilmente specifiche quando si parla di eventi fino a Smith, ma parecchio vaghe quando si parla di avvenimenti successivi.
Si sostiene spesso che Joseph Smith fosse troppo ignorante per aver potuto dettare il Libro di Mormon, ma come si può vedere si era portato avanti grazie alla Bibbia, alla cultura dell’epoca e a esperienze personali che vennero inserite in svariate occasioni nel libro. La prima edizione del Libro di Mormon è poi ricchissima di errori grammaticali. David Whitmer, uno dei Tre Testimoni, dice che “Joseph Smith metteva la pietra divinatoria in un cappello e metteva la faccia nel cappello […] Appariva un pezzo di qualcosa che somigliava a pergamena e su quello appariva la scritta. Appariva un carattere alla volta e sotto questo c'era l'interpretazione in inglese. Il fratello Joseph leggeva l'inglese a Oliver Cowdery, che era il suo scrivano principale, e quando era trascritto e ripetuto al fratello Joseph per vedere se fosse corretto, allora scompariva ed appariva un altro carattere con la sua interpretazione” (An Address to All Believers in Christ, 1887, p. 12). Eppure, nonostante tutta questa precisione, erano presenti discrepanze, contraddizioni, errori gravi nella coniugazione di verbi, un uso sbagliato del pronome thou nelle sue varie forme (poco familiare agli anglofoni oggi, ma anche a Smith), di much e many, di preposizioni e anche una scelta di lessico impropria: errori provenienti da ciò che Smith stesso dettava e non da sbagli di Cowdery, come racconta David Whitmer. Molti di questi errori vengono in seguito corretti, ma mostrano un vocabolario e una costruzione testuale che mi sembrano provenienti proprio da Smith e dal suo stile più che da un dio infallibile.
Insomma, se il Libro di Mormon sembra molto moderno su certe tematiche non è perché è stato scritto “per i nostri giorni”, ma più semplicemente ai nostri giorni.
submitted by MacCohen to Exmormoni [link] [comments]


2020.01.20 03:58 altovaliriano Arya Stark

Mais uma vez o “sábado de personagens” deslocado para o domingo. E mesmo assim atrasa...
Hoje, Arya Stark é a personagem da semana.
Arya é literalmente a filha do meio de Catelyn e Eddard. A terceira de cinco. A segunda do sexo feminino. Mas é a única criança de Catelyn que se parece com uma Stark. Esta constatação, isoladamente, já revela como Arya se diferencia de seus irmãos.
Porém, o caso de Arya vai mais além. Ela herdou o espírito selvagem da família de Eddard, sendo especialmente parecida com sua falecida tia Lyanna. Talvez por isso que Ned tenha tanta tolerância com Arya e seus ímpetos aventureiros e inclinações marciais. De todo modo, Ned não poderia alegar desconhecer que sua filha não aceita exercer os papéis que são relegados às mulheres nos Sete Reinos:
– E eu posso ser conselheira do rei, construir castelos ou me tornar Alta Septã?
– Você – disse Ned, dando-lhe um suave beijo na testa – casará com um rei e governará seu castelo, e seus filhos serão cavaleiros, príncipes e senhores e, sim, talvez mesmo um Alto Septão.
Arya fez uma careta.
– Não – ela protestou –, esta é a Sansa – dobrou a perna direita e voltou aos exercícios deequilíbrio. Ned suspirou e a deixou ali.
(AGOT, Eddard V)
A natureza diferenciada de Arya, porém, tem seus custos. E o principal custo é sua convivência com sua irmã Sansa. Martin chegou a declarar (vide seção abaixo) que Arya foi criada primeiro, mas que a personagem estava muito bem relacionada com os demais irmãos. Assim, ele sentiu que era necessário criar Sansa para atazana-la.
De fato, o papel de Sansa e Jeyne Poole é apenas o de ridicularizar Arya e fazer com que ela frequentemente sentisse que não tinha competência para desempenhar os papéis que eram esperados dela como mulher. Ao longo dos livros, estes sentimentos parecem não se alterar. De modo que fica cada vez mais evidente que o afeto que as irmãs nutrem uma pela outra é, no máximo, distante:
Sansa era educada demais para sorrir da desgraça da irmã, mas havia o sorriso afetado de Jeyne no seu lugar. (AGOT, Arya I)
Arya saíra ao senhor seu pai. Os cabelos eram de um castanho sem brilho, e o rosto, longo e solene. Jeyne costumava chamá-la Arya Cara de Cavalo, e relinchava sempre que ela se aproximava. (AGOT, Arya I)
Sansa sonhara em ter uma irmã como Margaery; bela e gentil, com todas as graças do mundo às suas ordens. Arya havia sido completamente insatisfatória no que tocava a ser irmã. (ASOS, Sansa II)
A Agulha era Robb, Bran e Rickon, a mãe e o pai, até Sansa. (AFFC, Arya II)
Dentre seus irmãos, Arya somente desfruta de um relacionamento próximo com seu “meio-irmão” Jon Snow. Não é coincidência que Jon seja outra pessoa por quem Sansa nutre um afeto distante. Arya e Jon dividem algumas características. Ambos não se adaptam bem à atual dinâmica familiar de Winterfell e são os parentes de Eddard que mais se assemelham a ele. Estas peculiaridades provavelmente foram as responsáveis por unir Jon e Arya.
Entretanto, muitos leitores enxergam mais do que isso. Há durante toda a saga diversos momentos em que os “meio-irmãos” pensam um no outro em contextos que sugerem inclinações românticas, ainda que platônicas.
GRRM afirma (vide seção abaixo) que tais indícios eram fortes no primeiro livro, quando ainda existia a idéia de tornar Jon e Arya um par romântico, mas que isso foi sumindo dos livros ao longo da saga. Tudo não poderia ser algum tipo de complexo fraterno.
Entretanto, não é o que se verifica nos livros seguintes. A última vez que Arya e Jon se viram foi no começo de A Guerra dos Tronos, mas eles ainda estão pensando carinhosamente um no outro mesmo nos mais recentes volumes da série:
Ygritte trotou para o lado de Jon enquanto este reduzia o passo do garrano. Ela dizia ser três anos mais velha do que ele, embora fosse quinze centímetros mais baixa; qualquer que fosse a sua idade, a garota era uma coisinha rija. Cobra das Pedras chamara-a de “esposa de lança” quando a tinham capturado no Passo dos Guinchos. Não era casada e sua arma favorita era um pequeno arco curvado feito de chifre e represeiro, mas “esposa de lança” ajustava-se a ela mesmo assim. Lembrava a Jon um pouco sua irmã, Arya*, embora esta fosse mais nova e provavelmente mais magra. Era difícil dizer se Ygritte era magra ou gorda, comtodas as*peles que usava.
(ASOS, Jon II)
Ela nunca se incomodara em ser bonita, mesmo quando era a estúpida Arya Stark. Apenas seu pai já lhe chamara daquilo. Ele, e Jon Snow, algumas vezes*. Sua mãe costumava dizer que ela poderia ser bonita se lavasse e escovasse o cabelo e tomasse mais cuidado com suas roupas, do jeito que a irmã fazia. Para a irmã, as amigas dela e todo o resto, ela fora apenas Ary a Cara de Cavalo. Mas estavam todos mortos agora, até mesmo Arya, todos menos seu meio-irmão Jon. Algumas noites, ela ouvia falarem dele nas tavernas e bordéis do Porto do Trapeiro. O Bastardo Negro da Muralha, os homens o chamavam.* Nem mesmo Jon teria reconhecido a Cega Beth, aposto. Aquilo a deixava triste*.*
(ADWD, A Garota Cega)
Em todo caso, qualquer que seja, foi este sentimento que moveu Jon Snow a abandonar seus votos e desertar a Patrulha. Assim, é algo que move Jon em direção à Arya e o leva a aceita-la da forma que ela é.
Tal qual Eddard, Jon não desdenha da aptidões de Arya. Ele foi, em verdade, o primeiro patrocinador delas, antes mesmo do pai. Ao presentar a “irmã” com Agulha, Jon semeou o terreno para que Eddard oferecesse a Arya um treinamento de dançarina da água. É notório que Eddard estava tentando desviar Arya de ambições maiores (como a cavalaria, por exemplo), mas a história de Agulha e o treinamento com a Syrio Forel forem responsáveis por plantar prenúncios frutíferos na história.
O primeiro foi tornar Braavos uma cidade com a qual Arya tinha uma ligeira familiaridade. Assim, quando ela tivesse que ir para lá, não parecesse um total tiro no escuro. A segunda é a frase que Jon Snow diz antes mesmo de presentar a irmã:
Quanto mais tempo ficar escondida, mais severa a penitência. Costurará durante todo o inverno. Quando chegar o degelo da primavera, encontrarão seu corpo ainda com uma agulha bem presa entre os dedos congelados.
(AGOT, Arya I)
Muitos leitores veem nesta frase um prenuncio de que Arya poderia morrer durante a Batalha pela Alvorada. Assim, caso se corpo fosse encontrado com a espada Agulha presa às suas mãos, saberíamos que as palavras inocente de Jon se provaram proféticas. Até mesmo poderia servir para que o corpo de Arya fosse identificado mesmo se ela estivesse com um rosto diferente.
Outro fato de nota que ocorreu a Arya antes de partir para Porto Real e todas as aventuras que se seguiram daí foi a adoção da loba gigante Nymeria. Ainda que soe natural que Arya daria um nome de uma mulher ousada para sua loba, a referência dornesa parece de alguma forma distante demais da realidade nortenha para que não haja algum significado nesta escolha... ou talvez seja apenas um detalhe de construção de mundo.
Qualquer que seja o caso, Nymeria e Arya foram separadas com pouco tempo de criação e adestramento. Este tempo,entretanto, foi suficiente para que o dom como troca-peles de Arya fosse despertado. O fato de que Nymeria conseguiu sobreviver ao ser forçada a fugir foi determinante para o desenvolvimento à distância das aptidões de Arya.
Plantadas estas idéias no leitor, Martin segue até o final de A Guerra dos Tronos fazendo com que Arya passe por horas de treinamento, ocasionalmente usando-a como espectadora de eventos inusitados, como o encontro entre Illyrio e Varys no subsolo da Fortaleza Vermelha. Um fato curioso deste encontro é que Arya observa bem a fisionomia de Illyrio, mas não a de Varys (que está disfarçado). Dessa forma, uma amiga me questionou se isso não seria um indício de que Arya poderia ter que acabar recusando uma missão da Casa do Preto e do Branco para matar Illyrio no futuro, pois o “conhece”. É uma questão a se pensar...
De toda forma, Arya presencia em mais vivacidade o massacre dos homens Stark no momento da prisão de seu pai, assim como está presente quando ele tem sua cabeça cortada. A fuga da Fortaleza Vermelha, inclusive, a provoca a matar uma pessoa pela primeira vez na vida: um cavalariço de sua idade que poderia denunciá-la.
Quando Yoren a extrai de Porto Real para leva-la ao Norte, Arya começa a ter que sobreviver em meio ao luto. Assim como Sansa, Arya é deixada em circunstância hostis. Durante os A Fúria dos Reis, ambas as garotas suportam muitos abusos e humilhações, mas ao menos Sansa pôde contar com relativo conforto. Da parte de Arya, ainda que ela desde pequena se sinta à vontade em meio à plebe, a jornada se prova particularmente árdua. Especialmente porque Arya se vê pela primeira vez vivendo sobre uma nova identidade.
Após a morte de Yoren, não demora para que o grupo de órfãos vire presa de Gregor Clegane e seu bando. Conforme se passam no cárcere, Arya começa a bolar sua famosa lista, com todas as pessoas que ela julga responsável por trazer sofrimento a ela e àqueles ao seu redor. O que é curioso é que, apesar de listar o Rei Joffrey entre os albos, a garota de 9 anos não tenha o discernimento de que sua lista somente mira em capangas e fantoches, mas esquece de vilões de verdade, como Tywin Lannister.
Essa falta de discernimento se repete quando Arya está em Harrenhal e Jaqen a oferece 3 mortes em troca das vidas que ela salvou do incêndio. Novamente, a garota Stark se limita a indicar nomes sem importância. Quando surge a ideia de nomear Tywin Lannister, sentimentos nacionalistas a fazem burlar a barganha de Jaqen para convencê-lo a ajudá-la na libertação dos prisioneiros nortenhos e dos homens Frey. Portanto, Arya não demonstra não empregar seu potencial assassino para grandes causas, atendo-se a pequenas vinganças e revanches.
Ainda assim, Jaqen entrega a Arya a moeda de ferro que mais tarde a levaria a Braavos para o treinamento junto aos homens sem rosto. O que causa curiosidade seria o motivo pelo qual Jaqen selecionou a menina. O perfil dela não combina com o da seita, como vemos ao longo de Festim dos Corvos e Dança dos Dragões. Sem falar que ele a presenciou fazendo uma barganha contra o próprio Jaqen.
Fora de Harrenhal, Arya acaba novamente sendo feita prisioneira alguns dias depois de partir. Mas dessa vez, é reconhecida e fica permanentemente na expectativa de ser levada a sua mãe, não importa se vendida ou simplesmente entregue. Mas o objetivo da viagem que Martin a impõe é conhecer os efeitos da guerra sobre as Terras Fluviais, sob o ponto de vista dos camponeses.
Antes que essa jornada termine, porém, duas coisas ocorrem: Arya é raptada por alguém em sua lista (Sandor Clegane) e Roose Bolton informa que encontrou Arya e vai enviá-la ao Norte.
Como GRRM gosta de lembrar as semelhanças entre Arya e Lyanna, não há como não enxergar em seu rapto ecos do rapto de sua tia por Rhaegar Targaryen. Talvez haja aqui algum paralelismo que estamos deixando de enxergar. Mas as distinções são bem claras. Sandor estava levando Arya de volta pra casa, enquanto Rhaegar estava levando Lyanna para longe do Norte. Um detalhe incidental nesta questão é que Sandor “morre” à beira do Tridente tal qual Rhaegar (ainda que este tenha morrido no vau rubi, local que Arya e Sandor evitaram).
Quanto ao segundo evento, a farsa de Jeyne Poole como a falsa Arya permitiria que a verdadeira se tornasse, de fato, ninguém. A intenção, claro, era fechar uma ponta para resgatar a história dali a 5 anos, quando Jeyne Poole já estivesse estabelecida como Arya. Neste futuro que nunca aconteceu, Arya haveria florescido, o que era a intenção de Martin. Ele sempre cita como as histórias dos adultos não tinha tempo para esperar que “Arya chegasse a puberdade”.
De fato, como Arya é comparada com Lyanna diversas vezes, seria de se esperar que a puberdade lhe avivasse a beleza selvagem e que já a víssemos em Braavos em estado avançado de seu treinamento. Se sabe que o primeiro capítulo de Arya em Os Ventos do Inverno foi escrito antes de Martin abandonar o salto de 5 anos, portanto, as circunstâncias que ela parece que vai viver agora aos 11 anos seriam aquelas que, originalmente, se pensava que ela viveria ao 16 anos (aproximadamente a mesma idade que Lyanna tinha quando morreu).
Porém, o caminho seguido em O Festim dos Corvos e A Dança dos Dragões foi acompanhar o treinamento de Arya desde o começo. Muitos leitores acusam estes capítulos de serem encheção de linguiça, mas eu os entendo apenas como lentos. Há 3 linhas mestras acontecendo neles: 1) modificações na política de Braavos, 2) conflitos internos da própria Arya não querendo abandonar sua herança Stark, 3) revelação de segredos da Casa do Preto e do Branco.
Caso o salto temporal houvesse ocorrido, eu imagino que os 2 primeiros itens poderiam ser contados facilmente via flashbacks, sem necessidade de presenciarmos as sementes serem plantadas (que é o que Martin parece ter feito ao longo de Festim e Dança). Porém, o terceiro item me parece ser o cerne dos capítulos de Arya, como ou sem salto temporal.
Era de se esperar que os sacerdotes não fiquem contando segredos a acólitos tão novos como Arya. Mas o Homem Gentil parece estar estranhamente aberto a instruir uma aprendiz com menos de 1 ano de Casa sobre a história da seita e lhe permitir fazer missões com rostos novos. E Arya não está se provando ser digna dessa confiança.
Bem, na série da HBO, a Casa do Preto e do Branco tentou eliminar Arya, mas ela simplesmente se mostrou superior ninguém sabe como. Em A Dança dos Dragões, Arya demonstrou estar um passo à frente do Homem Gentil entrando na pele de um gato de rua que a seguiu até o templo. Com este truque ela conseguiu descobrir que era o sacerdote quem a surrou quando estava cega.
Muitos leitores especulam que esta habilidade sobrenatural seria uma vantagem que Arya usaria para trapacear nos treinamentos, haja vista que não é uma habilidade pela qual Homens Sem Rosto são famosos. Daí, afirmam esses leitores, quando a convivência na Casa do Preto e do Branco se tornar insustentável e um Homem Sem Rosto for enviado para eliminar a discípula rebelde, os poderes de troca-pele são o diferencial que faria com que Arya sobrevivesse ao ataque do assassino e pudesse escapar de Braavos para Westeros.
O retorno de Arya a Westeros é outra icógnita. Atualmente não sabemos de motivos que a tirariam de Essos. Alguns apontam a morte de Jon Snow como o combustível. Mas eu costumo argumentar que Arya matou o cantor Dareon simplesmente por ele ser um desertor, como Jon. Outros acreditam que Arya saberá sobre o próprio casamento com Ramsay e virá a Westeros para desfazer a farsa. E, por fim, há aqueles que dizem que ela simplesmente voltará para matar Freys, Boltons e o restante de sua lista.
Porém, há um grande consenso que esta volta implicará em um encontro com sua mãe, agora na forma de Senhora Coração de Pedra. Alguns acreditam que este encontro será chocante o suficiente para mudar a cabeça de Arya com relação ao seu desejo de vingança. Outros acreditam que a confluência de objetivos só tornará tudo duplamente letal.
Bem, qualquer quer seja o desfecho da história, ainda não foi publicado. Nos resta especular.

Declarações de GRRM sobre Arya

PERGUNTAS

  1. Jon e Arya têm inclinações românticas reais (ainda que platônicas) um pelo outro? Ou é apenas Freud em ação?
  2. A frase de Jon sobre Arya ser encontrada congelada com agulha na mão é um presságio de que ela morrerá na batalha da alvorada?
  3. O fato de ter nomeado sua loba como Nymeria, revela que Arya teria alguma propensão para viajar a Dorne nos próximos livros?
  4. Os poderes de troca-pele de Arya são alguma forma de trapaça para o treinamento dos Homens Sem Rosto?
  5. O rapto de Arya por Sandor ecoa de alguma forma o rapto de Lyanna por Rhaegar?
  6. Você acha que os capítulos de Arya em Braavos estão mais para encheção de linguiça ou escalada de tensão?
  7. Que diferença você acha que o abandonado “salto temporal de 5 anos” faria na história de Arya pós-A Tormenta de Espadas?
  8. Você acredita que os poderes de troca-peles de Arya a farão uma assassina particularmente perigosa entre os Homens Sem Rosto?
  9. O que você acha que vai levar Arya de volta a Westeros?
  10. Você acredita que Arya se encontrará novamente com seus irmãos, Jeyne Poole ou Senhora Coração de Pedra? Caso positivo, que tipo de reação você espera que ela tenha nestes encontros?
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.01.10 22:33 altovaliriano Os Mil Tronos de Qarth, por Marcos Arthur Viana

Depois de ter escrito um texto magistral sobre a relação entre o sistema de mercês e o fracasso da campanha do jovem dragão em Dorne, o doutorando em História Política pela UERJ, Marcos Arthur Viana, escreveu novo (e também magistral) texto explorando o sistema político de Qarth.
É incrível que, mesmo diante da escassez de fontes e conhecida recusa de Martin em dar detalhes sobre Qarth (até para Linda Antosson e Elio Garcia), Marcos conseguiu especular consistentemente sobre o assunto. Para tanto, foi necessário pinçar referências de A Fúria dos Reis e O Mundo de Gelo e Fogo, sempre levando em consideração a possibilidade de as fontes (a saber: Xaro Xhoan Daxos e meistre Yandel, respectivamente) estarem dando informações tendenciosas.
Eu fiz algumas perguntas a Marcos, para que ele me esclarecesse algumas dúvidas, e muito gentilmente as respondeu. Abaixo, reproduzo trechos de nosso diálogo:
EU: No texto, vc afirma "A nova situação levou a uma modificação do estatuto político, de uma monarquia para um governo oligárquico". Curioso uma transição tão forte ter ocorrido em razão de monarcas refugiados terem se aglomerado em Qarth. Teria sido uma mudança pacífica ou violenta?
MAV: Aqui é pura especulação minha. Eu acredito que o processo não tenha sido pacífico, mas violento. Imagino que a expansão de Qarth, via colônias, foi uma solução para acomodar a grande quantidade de nobres que surgiu na cidade. Mas, não sei muito o que dizer. Martin não vai nos dar mais informações do que isso.
EU: Há também uma parte em que vc observa que o governo foi "formado pelos descendentes das linhagens reais das antigas cidades Qaathi: os Puronatos." O termo Puronatos não sugere que estas família somente casavam entre si, para manter o sangue aristocrático puro? Talvez até incentivasse a endogamia [como Valíria]?
MAV: Não parei para pensar nisto, mas faz total sentido que a classe dirigente praticasse endogamia. Porém, não descarto casamentos frequentes na classe mercantil também.
EU: Sobre a Irmandade da Turmalina, vc disse que "o nome sugere que estes príncipes mercadores controlavam o comércio de minerais e pedras preciosas, notadamente a turmalina". Como Xaro informa [a Daenerys] que a Irmandade é cheia de piratas, o nome não poderia decorrer do fato de serem pessoas que acumularam riqueza com saques (talvez até via corso), ao invés de serem simples comerciantes de gemas e metais?
MAV: Essa última questão é uma pegadinha. Aqui tem duas perspectivas pelas quais eu não acredito na afirmação de Xaro. A primeira, até presente no link que eu coloco na nota de rodapé, é a de que ele quer monopolizar Daenerys. Ele também é a sua única fonte de informação sobre Qarth. Ao negativizar as outras facções e guildas, Xaro consegue manter o monopólio sobre Daenerys e, como única fonte de informação, a pretendente Targaryen não tem como rejeitar ou não as afirmações de Xaro sobre a Irmandade.
E aqui entra a segunda. Eu acredito que o Xaro acredite que eles são compostos por piratas. Como membro dos Treze, ele tem uma visão negativa sobre as outras associações comerciais. De fato, em um diálogo com Daenerys, ele não só exprime uma visão ruim sobre a Irmandade como também sobre a Guilda das Especiarias. Isto é verdade? Não. Mas o Xaro acredita que seja, pois é a visão de um participante do jogo político.
Muito provavelmente as duas irmandades são legítimas, compostas por mercadores sérios e sem nenhuma relação com piratas. Isto vem da visão de um adversário político.
EU: Sobre a distribuição de cargos em Qarth, vc cita "a embaixada qartena de Xaro Xhoan Daxos a corte de Mereen" como um exemplo da distribuição de atribuições entre as facções.
Isto me lembrou uma interessante teoria do famoso (e pirado) youtuber Preston Jacobs, em que ele afirma que Daenerys ter sido visitada por três emisssários de Qarth, para além da analogia com o reis magos, poderia ser uma indicação de que cada um seria emissário de uma facção diferente.
Jacobs especula que Xaros seria o enviado dos príncipes mercantes (aqui compreendidas todas as 3 guildas), o que combina com sua idéia de que os Trezes (guilda de Xaro) tem importância mediana (ou seja, Xaro, como enviado, não era poderoso a ponto de ser perigoso, nem ralé a ponto de ser vil).
MAV: Rapaz, eu nunca pensei nisso. Assim, até faz sentido a Quaithe ser uma integrante dos Puronatos (afinal, ela é uma das três emissárias que recebem Daernerys em Qarth), mas como os Puronatos demandam a destruição e o assassinato da rainha no Dança dos Dragões, muito provavelmente ela não está alinhada com eles (ou nem seja de fato da classe dirigente de Qarth). Muitas poucas informações para se afirmar ou se negar, apesar de tender a acreditar que ela não seja da nobreza qartena.

Eu recomendo fortemente a leitura do texto a todos.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2020.01.06 10:32 alforo_ Embistiendo, que no invistiendo

"En España, de cada diez cabezas, nueve embisten y una piensa" (Antonio Machado). Así ha ocurrido en el debate de investidura estos días en el Congreso de los Diputados. Los representantes de la derecha, la ultraderecha y la ultra-ultraderecha reaccionaria no han hecho otra cosa que embestir; no investir que es lo que tocaba. Se han lanzado contra el candidato a Presidente y todo lo que se movía a su izquierda de forma violenta, con insultos y descalificaciones, aportando pocas ideas salvo la palabra que tanto les gusta repetir, cuadrándose y con voz engolada: ¡España, todo por España!
Pedro Sánchez no ha logrado la mayoría absoluta en la primera votación y confía en desbloquear el Gobierno en la del martes. Obtiene 166 'síes', 165 'noes' y 18 abstenciones. La votación se repetirá el próximo día 7 y todo parece que Sánchez saldrá investido por mayoría simple, más votos favorables que en contra. El candidato cerró el debate pidiendo moderación, afirmando que "Esta coalición progresista es el mejor antídoto contra esta coalición del apocalipsis"
España está a punto de marcar un nuevo hito en su historia si el pacto entre Pedro Sánchez y Pablo Iglesias obtiene el respaldo necesario en el Congreso, con la sombra del tamayazo planeando sobre el Congreso. De salir adelante, habrá por primera vez un gobierno de coalición en el país y España se sumaría al listado de otros países en Europa con tradición de gobiernos conjuntos entre dos o más partidos, algo que se ha ido implantando en los últimos años en las comunidades autónomas españolas pero que se resistía en el ámbito nacional.
La sesión de investidura del sábado ha sido muy literaria y poética, que ha chocado con los insultos e improperios lanzados. De Bertolt Brecht, Benito Pérez Galdós, Mario Vargas Llosa, Antonio Machado o Albert Camus. Citas literarias, textuales o retocadas, se han intercalado entre la artillería dialéctica. Comenzó el candidato a la Presidencia del Gobierno, con Bertolt Brecht: "¿Qué tiempos son estos en los que tenemos que defender lo obvio?". "Su moral política es como una capa con tantos remiendos que no se sabe ya cuál es el paño primitivo", le ha replicado, Pablo Casado, parafraseando a Benito Pérez Galdós, el día en que se cumple el centenario de su muerte. Más libertades se ha tomado el popular con Mario Vargas Llosa al preguntar a Sánchez: "¿Cuándo se jodió, no el Perú, sino el socialismo constitucional?"
Desde la Transición, ningún ganador de unas elecciones había necesitado tanto el apoyo de otras formaciones políticas como ahora. Sánchez ya lo necesitaba después del 28 de abril, cuando PSOE y Podemos sumaban diez escaños más, pero el socialista se negó a negociar desde un principio un gobierno de coalición y, cuando accedió, a Iglesias no le pareció suficiente. "No hay tradición" de un Gobierno de coalición, se justificaba, abogando por un gobierno "a la portuguesa" de apoyo parlamentario.
Pero tras las elecciones del 10 de Noviembre ambas fuerzas progresistas perdieron fuerza y el multipartidismo terminó por explotar con más partidos que nunca y el escenario se tornaba más complicado para formar un Gobierno estable. El fracaso de tres meses de negociaciones tras el 28A se consolido en menos de 48 horas tras el 10N; "Lo que en abril se había convertido en una oportunidad histórica, hoy es una necesidad histórica", dijo Pablo Iglesias desde la Moncloa durante una comparecencia conjunta con Sánchez y en esas estamos.
Según el #NuevoAcuerdoParaEspaña de la #CoaliciónProgresista, estas son algunas de las medidas que el PSOE y UP se comprometen: subida del salario mínimo a 1.200 euros y subida de pensiones con arreglo al IPC para los jubilados; subida del IRPF a las rentas altas a partir de 130.000 euros; bajada de impuestos a Pymes y autónomos que facturen menos de 1 millón de euros; derogar la ley; subir los impuestos a las rentas altas y derogar la reforma laboral; impulsar la vía política para abordar el conflicto político catalán; la asignatura de Religión dejará de contar para la nota media y no tendrá alternativa; compromiso para limitar el precio de los alquileres; una ley que blinde el solo sí es sí y más planes para la violencia machista; aprobar la ley de cambio climático; revertir los límites a las investigaciones judiciales aprobados por Rajoy; aprobar una de las grandes reivindicaciones de la actual fiscal general del Estado; asistencia sanitaria en casa y banda ancha para repoblar la España vacía; acuerdo por la eutanasia y para eliminar los copagos introducidos por el PP; aumentar el presupuesto para Cultura; homenaje a las víctimas del franquismo el 31 de octubre y a los exiliados el 8 de mayo, las casas de apuestas solo podrán abrir a partir de las diez de la noche.
La investidura de Sánchez resucita al PP de las trincheras y la radicalidad. Casado y Abascal compiten en insultos a Sánchez, por liderar una oposición que anticipa una legislatura bronca y de judicialización política. Abascal denunciará a los que quieren "trocear" España. El ambiente destila ya más crispación y más trazo grueso que el que se vivió entre 2004-2008 con la virulenta y vehemente estrategia que desplegó Rajoy contra el entonces presidente Zapatero. El PP, Vox y Cs, más que investir, embisten, pese a que el PP afirma que "Sánchez se ha sumado a la embestidura contra el Estado de derecho". En el Parlamento del XIX, los diputados se referían a quienes les precedían en el uso de la palabra como "mi ilustre opinante". En el del XXI, lo que se estila es llamarle "sociópata, mentiroso, fatuo, arrogante y patético", que es como el líder del PP, Pablo Casado, llamó a Pedro Sánchez nada más subirse a la tribuna de oradores. El "cayetanismo" se ha impuesto en la calle Génova. En su desvarío, Arrimadas pide un 'tamayazo' a la bancada socialista: Solo hace falta un valiente.
Santiago Abascal, que pidió la detención inmediata de Torra, por estar en "absoluta rebeldía", embistió contra Sánchez anunciando una triple ofensiva en el Congreso, en los tribunales y en las calles para "frenar" los planes de un Gobierno que calificó de traidor, fraudulento e ilegítimo. "Es un fraude, un mentiroso, un estafador, un político indigno y un personaje sin escrúpulos, que a caballo del apoyo mediático y sometiendo a las instituciones, es capaz de cualquier cosa por seguir viviendo en La Moncloa". Es un villano de cómic, llegó a decir "es un Tirano Banderas, que lo mismo se envuelve en la bandera nacional que en la estelada, en la europea o en la cubana". Impresentable.
El PSOE ha logrado la ruptura del bloque independentista; ERC mantiene la abstención pese a que ve un "golpe de Estado" tras la decisión de la JEC y JxCAT votará "no" porque duda de un candidato con "mil rostros". La sorpresa de la jornada la dio la diputada Ana Oramas, de Coalición Canaria, que decidió desobedecer la abstención aprobada por la dirección de su partido y anunciar que votará "no" por coherencia y sus principios. Hizo una introducción en forma de poema, "puedo escribir los versos más tristes esta noche", para después arremeter con dureza contra el candidato a la investidura. "Usted quería un gobierno gratis total y ahora esta dispuesto a pagar el mayor precio que se podría pagar".
Algunos discursos en titulares: Pedro Sánchez advierte de que "España no se va a romper ni la Constitucón" y enarbola el patriotismo social frente al discurso apocalíptico de la derecha. Sánchez defiende el diálogo en Cataluña porque la solución al conflicto no llegará sólo de la aplicación de la ley (Ver intervención completa de Pedro Sánchez). El candidato socialista propone "retomar el diálogo en el punto en que los agravios comenzaron a acumularse". Emplaza a todos los partidos a acordar "una propuesta de España diversa que se enriquece en la pluralidad de sus identidades, lenguas, culturas y personas".
Iglesias sale en tromba contra la derecha de la anti España. "Sólo aceptan la democracia y las instituciones cuando mandan ustedes", dice el líder de Podemos. Iglesias advierte a la derecha: "Los avances sociales se seguirán produciendo en este país a pesar de ustedes". Iglesias afirma que la tarea del próximo Gobierno será "reparar las traiciones a España" del Partido Popular. Otra frase: "Ustedes no entienden la diversidad de nuestra patria. No aceptan que una mayoría parlamentaria que representa a los ciudadanos construya un nuevo Gobierno. Desprecian a esta mayoría y, al despreciar al Parlamento, desprecian a España". Por su parte Alberto Garzón (futuro nuevo ministro de Consumo): "La radicalización de las derechas es para ver quién rentabiliza el conflicto".
Gabriel Rufián advierte a Sánchez de que si "no hay mesa de diálogo no hay legislatura": somos catalanes, republicanos y somos independentistas y ante todo somos demócratas. Jamás ni por activa ni por pasiva favoreceremos un gobierno de extrema derecha. Aitor Esteban del PNV defiende la investidura como "una gran oportunidad" pero pide a Sánchez "liderazgo" para enfrentar los riesgos .El diputado de Teruel Existe ha denunciado que es víctima de "una presión tremenda en los medios y las redes".
Decíamos que el debate ha sido muy literario y poético. Marcando distancias con el candidato, la portavoz de JxCAT, Laura Borràs, ha recordado un célebre texto de Martin Niemöller: Cuando los nazis vinieron a llevarse a los comunistas, guardé silencio, ya que no era comunista..., aunque ha preferido explicarlo a leerlo. "En España lo mejor es el pueblo. Siempre ha sido lo mismo. En los trances duros, los señoritos invocan la patria y la venden; el pueblo no la nombra siquiera, pero la compra con su sangre y la salva", recordaba Pablo Iglesias a Antonio Machado. "La democracia si es consecuente no puede beneficiarse de las ventajas de la venganza", citaba Jaume Asens, a Albert Camus, en los sesenta años de su muerte.
Frente a lo cultural y literario, la bronca sin medida, bajo el control de "la derecha, la ultraderecha y la ultra-ultraderecha". La portavoz de EH Bildu, Mertxe Aizpurua, ha tenido que soportar a las tres derechas gritando "asesinos", "viva el rey" y "fuera, fuera" y con el secretario de la Mesa, Adolfo Suárez, dándole la espalda durante toda su intervención. La tensión ha llegado a tal punto que la presidenta del Congreso ha tenido que intervenir: "En el Parlamento se defienden las posiciones políticas mediante la palabra, no mediante el grito o el insulto. ¿Pueden dejar de gritar por favor?". La primera chispa saltó cuando Aizpurua aludió al rey para calificar su intervención televisada el tres de octubre de 2017 como un gesto de autoritario. En medio de toda esa tensión, Pedro Sánchez ha conseguido salvar el debate con Bildu sin tomar partido en la bronca ni responder a las alusiones.
Adriana Lastra, portavoz del grupo socialista en el Congreso, cerró el debate, con una excelente intervención y de manera contundente: "Hemos escuchado a las derechas llamar traidor a quien ha ganado las elecciones y han llamado a frenarlo", amenazando con un golpe de Estado por todos los medios. Una mención especial le ha dedicado a Inés Arrimadas, a quien ha acusado de hacer el ridículo "alentando tamayazos" por pedir a los diputados socialistas que sean valientes y no secunden la investidura. "Los diputados de esta Cámara no son arribistas ni son tránsfugas", le ha espetado.
En su turno de respuesta a Lastra, Sánchez ha aprovechado para cargar contra la portavoz de Ciudadanos por llamar "al transfuguismo de diputados y diputadas". Ha clamado que "Frente a la coalición del apocalipsis, la coalición progresista que va a gobernar España", terminando su intervención con un menaje de esperanza: "dejemos a la coalición del apocalipsis con su rencor y su vuelta al blanco y negro".
Catalunya y ETA han sido protagonistas en el debate, junto con gritos, insultos, improperios y descalificaciones. Hay que destacar como positivo, que la izquierda ha escenificado su unidad, por primera vez desde la moción de censura, y se prepara para una oposición sin tregua.
El día 7 se votará definitivamente la investidura y sabremos si tenemos un gobierno progresista o vamos a unas nuevas elecciones, que todos dicen no querer. Veremos.
submitted by alforo_ to podemos [link] [comments]


Artist Spotlight: Rubén Martín Cintas LA PEOR CITA (ft. Magali Tajes) - YouTube La Cita en Jesus María Celebrating Rubén Martín Cintas Rubén Martín Cintas Principal Highlight Video MARTIN&MARTIN - CITA EN EL QUROFANO - COVER PXNDX Martin Cirio - YouTube Moises Martin Cintas in solo from Grosse Fuge Moises Martin Cintas - Het Nationale Ballet

Martin Niemöller - Frases Célebres y Citas - Aki Frases

  1. Artist Spotlight: Rubén Martín Cintas
  2. LA PEOR CITA (ft. Magali Tajes) - YouTube
  3. La Cita en Jesus María
  4. Celebrating Rubén Martín Cintas
  5. Rubén Martín Cintas Principal Highlight Video
  6. MARTIN&MARTIN - CITA EN EL QUROFANO - COVER PXNDX
  7. Martin Cirio - YouTube
  8. Moises Martin Cintas in solo from Grosse Fuge
  9. Moises Martin Cintas - Het Nationale Ballet
  10. Moises Martin Cintas - Het Nationale Ballet

Dutch National Ballet Etudes - Harald Lander Trois Gnossienes - Hans van Manen Moises Martin Cintas Reus, Spanje Opleiding: Gemeentelijke Dansschool en de Studio Maria van Avila (Zaragoza, Spanje ... RAYMONDA Grand Pas full MATHILDE FROUSTEY MOISES MARTIN CINTAS - Duration: 11:09. hildefy2 15,568 views. 11:09. Aljona Savchenko and Bruno Massot (GER) - Gold Medal ... Con Magali Tajes hablaremos sobre las peores citas que tuvimos nosotros y mis seguidores de Instagram. Instagram de Maga: https://www.instagram.com/magalitaj... 50+ videos Play all Mix - MARTIN&MARTIN - CITA EN EL QUROFANO - COVER PXNDX YouTube Pxndx - Procedimientos para llegar a un comun acuerdo (COVER BY MARTIN&MARTIN) - Duration: 3:20. Martin&Martin ... Moises Martin Cintas Reus, Spanje Opleiding: Gemeentelijke Dansschool en de Studio Maria van Avila (Zaragoza, Spanje); San Francisco Ballet School (V.S.). In 1999 was hij lid van het corps de ... Join SF Ballet in celebrating Rubén Martín Cintas' career with the Company as he retires at the end of the 2014 Season. Pirouettes en dehors. Basic steps for ballet class. By Ruben Martin. Dancer, Ming Xuang. - Duration: 0:15. ruben martin 1,685 views Videos sobre viajes por el mundo al estilo Marley pero POBRE. También subo videos respondiendo consultas sobre AMOR Y SEXO. Videos nuevos todos los miércoles... Pirouettes en dedans–Basic ballet combinations for ballet class By Ruben Martin. Dancer, Ming Xuan. - Duration: 0:15. ruben martin 858 views. 0:15. Provided to YouTube by The Orchard Enterprises La Cita en Jesus María · Martin Castillo Entre la Lumbre ℗ 2015 Gerencia 360 Music, Inc. Released on: 2015-08-21 Music Publisher: Gerencia 360 ...